22 Pessoas sem noção que só não perdem a cabeça porque ela fica presa ao corpo

há 3 meses

O mundo está cheio de pessoas sem noção. Como aquelas que esquecem o controle remoto da TV no bolso e ele acaba na máquina de lavar, ou aquelas que acreditariam em nós se disséssemos que elas nasceram de um ovo.

  • Era tarde da noite e eu precisava ligar para o meu marido pelo celular. Comecei a procurar meu telefone pela casa e vi minha filha sentada no sofá falando ao telefone. Perguntei se era o meu, mas ela não respondeu. Pedi a ela que se levantasse um pouco para afastar o sofá, mas ela o fez sem olhar para mim, ainda com o celular ligado. Mudei o sofá de lugar no escuro e pensei em ligar a lanterna do aparelho para ver melhor. Nesse momento, percebi que estava com o celular na mão. São coisas que acontecem. 😁❤️ © Graciela Rodríguez / Facebook
  • Minha história não é sobre celular ou óculos, mas sobre distração. Peguei uma garrafa de água e um rolo vazio de guardanapos de uma mesa para jogá-los na lixeira, mas fiz ao contrário. Deixei em cima do balcão a garrafa que ia encher no filtro e comecei a derramar água no rolo de guardanapos. Obviamente, isso durou apenas um segundo! Mirta Inés López / Facebook
  • Há muitos anos, meu irmão tinha catarata nos dois olhos e mal conseguia enxergar. Ele usava uma lupa enorme acoplada ao computador para poder continuar trabalhando. Um dia, fui pedir emprestada uma pequena lupa que ele tinha, pois meu filho precisava levar uma para a escola e, como de costume, eles a pediram quando a papelaria já estava fechada. Entrei no quarto do meu irmão, que estava todo bagunçado devido a sua deficiência visual, e pedi o favor. De repente, eu o vi se aproximar do computador e começar a desmontar a enorme lupa. Eu disse: “Espere, é da pequena que eu preciso”. Ele respondeu: “Sim, eu sei, mas preciso da lupa para encontrar a lupa”. Claudimarter Retramidualc © Claudimarter Retramidualc / Facebook
  • Na época das passagens em papel, eu, minha mãe e meu irmão, costumávamos voltar de trem da cidade dos meus avós para a nossa (uma viagem de 40 horas, de um país para outro). Meu avô nos acompanhava, nós mostrávamos as passagens quando entrávamos no vagão, meu avô entrava conosco para nos ajudar com a bagagem e depois saía. Uma vez, o trem partiu e novamente vieram verificar as passagens, mas não estávamos com elas! Não podíamos viajar, tínhamos que descer na próxima estação (cerca de uma hora de viagem). Não sabíamos o que fazer! Quando chegamos à próxima estação, a primeira coisa que vimos foi meu avô com as passagens. Ele percebeu que havia guardado os bilhetes, então ele e seu amigo viajaram de carro até a próxima estação e conseguiram chegar lá antes do trem. Desde então, sempre verificamos as passagens, embora agora elas sejam eletrônicas, hahaha.
  • Eu estava fazendo um bolo e preparando o recheio quando alguém ligou para o meu celular. Atendi a chamada e continuei a rechear camada por camada. Cinco horas se passaram e comecei a procurar meu celular. Não consegui encontrá-lo em lugar nenhum. Quando chegou a hora de cortar o bolo, que tinha ficado na geladeira o tempo todo, enterrei a faca até a metade e encontrei algo extremamente duro que não permitia à faca ir até o fundo. Comecei a me preocupar e até pensei que não havia colocado fermento na massa. Na terceira tentativa de cortar o bolo, ele se iluminou por dentro. Obviamente, fiquei muito surpresa naquele momento, pois nunca imaginei que meu celular pudesse estar dentro do bolo. Verônica Camblor Vila / Facebook
  • Isso aconteceu comigo com meus óculos. Um dia, adormeci com eles à tarde e, quando acordei, disse: “Ah, que milagre, estou enxergando bem, não preciso mais de óculos”. Então, meu filho me disse que eu ainda estava com eles. Nós rimos muito, hahahaha. Miriam Juyo / Facebook
  • Certa vez, eu estava conversando com minha irmã pelo celular quando estava saindo de casa. Procurei minhas chaves, minha carteira e não encontrei meu celular e, por isso, não saí, mas continuei conversando. Só percebi quando desliguei e vi o aparelho em minha mão. Em outro dia, saí com meu filho e, quando desci do ônibus, toquei na minha bolsa e não senti o celular. Tive um microinfarto, mas também me lembrei que havia deixado o celular em casa naquele dia. 😂😂 © Padilha Mar / Facebook
  • Depois de um dia inteiro de trabalho, o chefe nos chamou para uma reunião e disse: “Você está usando um sapato preto e outro marrom?”. Me virei para zombar do cara sem noção do escritório. No fim das contas, era eu.
  • Eu estava dando uma aula por chamada de vídeo e comecei a olhar para todos os lados. Enquanto minha aluna ainda estava concentrada em seguir minhas instruções, eu olhava para todos os lados, mexia nas coisas, pegava cadernos, colocava coisas nas gavetas, e fiquei assim por mais de 20 minutos. Até que minha aluna me perguntou se eu estava procurando algo, vi que ela estava inquieta. Mas eu disse que não e que deveríamos continuar com a aula. Quando voltei a olhar para ela e disse que continuasse, percebi que meu celular estava na minha frente. Eu havia esquecido que estava dando a aula por videochamada 😃😃. © C & C Lore / Facebook
  • Sim, isso já aconteceu comigo muitas vezes. Certa vez, eu estava em um supermercado procurando meu celular na bolsa e falando com alguém ao telefone (eu estava segurando-o com o ombro enquanto procurava desesperadamente por ele). Eu disse à pessoa: “Não consigo encontrar meu celular, espere aí”. E ela respondeu: "E com quem você está falando agora? Obviamente, levei um susto ao pensar que havia perdido meu celular. Aihtnyc Braca / Facebook
  • Isso também já aconteceu comigo. Certa vez, fiquei procurando minha escova de dentes por mais de meia hora, verificando todos os cantos do banheiro, até perceber que ela estava na minha mão o tempo todo e que eu a estava usando para pentear o cabelo. Silvia Raquel Paredes / Facebook
  • Tenho miopia e astigmatismo, e o grau é tão alto que não consigo ver meus óculos se os tirar. Um dia, perdi os óculos e procurei por eles em todos os lugares, mexendo em tudo o que encontrava. Andei devagar para o caso de eles terem caído, chorando de angústia por não conseguir encontrá-los. Então toquei no meu cabelo e descobri que os óculos estavam na minha cabeça, hahaha, que felicidade! Yohanna Elizabeth Vasquez Campos / Facebook
  • Recentemente, eu estava animada porque iria ver minha banda favorita em um festival de música. Eu havia comprado o ingresso cerca de quatro meses antes, estava riscando os dias no calendário, me sentindo muito feliz. O problema é que o festival era em outro estado, que fica a cinco horas de distância de onde moro. Então, no dia do show, saí cedo, peguei o ônibus e, no meio do caminho, quando estava pegando a maquiagem para retocar, de repente me ocorreu que eu nunca havia comprado o ingresso. Hoje, isso me faz rir por causa do nível de distração que tenho, mas naquele momento foi triste não conseguir entrar no show.
  • Há alguns dias, eu estava saindo sozinho com a van, pois as crianças e o pai delas não estavam em casa. Coloquei algumas coisas no porta-malas e me preparei para sair. Sentei no banco do passageiro e fechei a porta. Peguei meu celular e fiquei lá dentro por um tempo, até que, de repente, reagi: “Mas eu estou dirigindo! Ding ding ding. Saí, dei a volta na van e sentei no banco do motorista 😁😂. © Adri Gutiérrez / Facebook
  • Certa vez, desci do ônibus com meu celular na mão. Quando, instintivamente, toquei no bolso direito da minha calça (que é onde eu o guardo), HORROR, O CELULAR NÃO ESTAVA LÁ! Gritei em desespero e corri atrás do ônibus. Felizmente, o motorista parou. Com o coração aos pulos, entrei no ônibus, procurei no corredor, fui até o assento que havia ocupado e nada. “Meu celular! Meu celular! Esqueci meu celular!”, gritei, à beira da neurose. “Além daquele que você tem na mão?”, disse o motorista, em tom preocupado, incrédulo, quase zombeteiro. “Sim, era outro”, respondi, para evitar a MAIOR VERGONHA DA MINHA VIDA. Eles ficaram parados por um tempo. Acho que ainda estavam procurando o celular. © Mauro Calderón Gamboa / Facebook
  • Eu estava descendo do trem quando, de repente, pensei: "Droga! Deixei meu óculos no assento. Subi rapidamente e fui até a poltrona na qual os havia deixado. Perguntei ao rapaz que estava sentado se ele tinha visto algum óculos (eu estava muito preocupado, pois havia perdido meu outro óculos duas semanas antes). Ele me perguntou como meu óculos era, e eu descrevi. Naquele momento, o jovem começou a rir porque eu estava com os óculos. Xiomara Alejandra Ruiz / Facebook
  • Depois de lavar o liquidificador, coloquei-o para secar e fui fazer outras coisas. Quando terminei, procurei o liquidificador, mas não o encontrei. Eu disse a mim mesma: "Como ele pode não estar lá se não anda por conta própria e eu estou sozinha? Parei de procurá-lo e fui dormir. No dia seguinte, abri a geladeira para pegar algo e, surpresa, surpresa, lá estava o liquidificador, congelado. Zeus Lastra Abad / Facebook
  • Na época em que não existiam telefones celulares, marquei um encontro com uma pessoa no centro da minha cidade. Não cheguei a ir ao encontro e, depois de fazer as coisas que precisava fazer no centro da cidade, fui direto para casa. E só me lembrei do encontro quando a pessoa me ligou à noite reclamando. Eu havia esquecido completamente do nosso encontro.

Ser uma pessoa esquecida realmente tende a gerar muitas histórias para serem contadas na posteridade, e alguns desses relatos são tão surpreendentes que beiram o inacreditável. Até porque ser avoado pode fazer qualquer um gerar situações mais parecidas com pequenos desastres, como aconteceu com internautas que narraram aqui as consequências de seus esquecimentos.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados