Incrível
Incrível

15 Dados sobre o nosso tempo que farão parte dos livros de História

Muitos de nós associamos a antiguidade com as obras de Sócrates e a Idade Média com a caça às bruxas e com os grandes descobrimentos. Mas e se parássemos para pensar nos grandes acontecimentos do século XXI, do que será que as próximas gerações vão se lembrar?

Claro que o Incrível.club não pode ter 100% de certeza do que será e do que não será incluído nos livros de História, mas alguns aspectos com certeza merecem destaque.

1. O apogeu da informática e dos efeitos especiais no cinema

Hoje em dia poucos filmes são feitos sem o uso de efeitos especiais. Um dos exemplos mais recentes é a personagem principal do filme Alita: Anjo de Combate. Os olhos da menina cyborg foram feitos grandes demais, como os olhos dos personagens de mangá. Para conseguir esse efeito, o rosto da atriz Rosa Salazar era filmado por meio da tecnologia de captura de imagens, e seus olhos foram aumentados com programas digitais especiais.

Além disso, no século XXI até a morte deixou de ser uma desculpa para terminar uma carreira sobre um palco. As tecnologias modernas permitem aos cantores continuar em frente ao público por meio de hologramas. Aconteceu, por exemplo, com Michael Jackson: ele morreu em 2009 e cinco anos depois, fez um ’show’ em Las Vegas.

2. Trabalho à distância e professores virtuais

O século XXI se transformou na melhor época para os autônomos, assim como para aqueles que não gostam de ficar em apenas um lugar durante muito tempo. Muitos profissionais de TI preferem trabalhar de casa, e os blogs há algum tempo passaram a ser considerados ótimos negócios.

Até mesmo professores muitas vezes acabam no meio virtual, onde dão palestras para estudantes que, por exemplo, moram em outros países. O Imperial College London foi ainda mais longe: está criando um tipo de aula em que os professores aparecem em forma de um holograma. Claro que esse tema é muito polêmico, mas não deixa de ser uma realidade.

3. Os hologramas como uma forma de arte

Dizer que tocamos algo belo em breve terá apenas um significado simbólico, porque hoje em dia as pessoas trabalham ativamente para passar a arte a um formato totalmente virtual. Sobre o cenário já é possível aparecerem bailarinas holográficas, e nas exposições em museus é possível ver cópias digitais de todas as obras.

Esse método também foi adotado em leilões: um deles usou hologramas para ’mostrar’ aos interessados um objeto em Londres e em Hong Kong ao mesmo tempo. Como resultado, um comprador adquiriu uma obra baseando-se apenas em uma imagem de holograma.

4. O início da era dos tablets

Em 2002, Bill Gates apresentou um protótipo de tablet PC com uma tela tátil. Foi uma tentativa de sucesso por parte da Microsoft de adaptar os computadores para as necessidades diárias das pessoas que estão acostumadas a anotar informações em reuniões, se comunicam o tempo todo por meio de emails e querem ler documentos em uma tela.

5. Digitalização do conhecimento acumulado durante a história da humanidade

Os tempos de fila em bibliotecas parecem ter ficado para trás. Hoje em dia quase todas obras literárias, pinturas e trabalhos científicos são digitalizados. Qualquer pessoa pode ter acesso a muitos deles a qualquer momento.

Em 2008, criou-se o site Еuropeana, que contém pinturas escaneadas, arquivos de sons gravados, fotografias, mapas, livros e manuscritos de milhares de museus, bibliotecas e arquivos europeus. Os usuários desse recurso podem acessar a Biblioteca Britânica deitados no sofá, ou ver a Mona Lisa sem precisa enfrentar as filas do Museu do Louvre.

6. Tecnologias de ’realidade aumentada’

Um capacete de realidade virtual que nos leva a outra dimensão em segundos. Por exemplo, a um mundo inventado onde podemos interagir com outros personagens.

E essa não é a única maneira de usar a tecnologia RV. Há 15 anos, os simuladores de atividade virtual eram usados ativamente na reabilitação infantil. Os pequenos pacientes com paralisia cerebral e outros transtornos neurológicos, por exemplo, usavam simuladores de realidade aumentada na reabilitação. Isso ajuda a fixar a realização de certas ações e faz com que o medo do fracasso fique no mundo real.

7. Um objeto feito pela humanidade pela primeira vez saiu do sistema solar

Em 5 de novembro de 2018, a sonda interplanetária Voyager-2, lançada pela NASA, chegou ao espaço interestelar — ou seja, deixou o sistema solar. Ela foi lançada em 1977 e agora está a aproximadamente 18 bilhões de quilômetros da Terra, cumprindo uma missão ampliada de estudo dos limites exteriores do Sistema Solar. Os cientistas acreditam que poderão se comunicar com os viajantes interestelares até 2027.

Contudo, em 24 de agosto de 2006 os cientistas retiraram a categoria de planeta de Plutão, que foi ’rebaixado’ à categoria de planeta anão.

8. Da insatisfação ao ’body positive’

Psicólogos dizem que a difusão generalizada dos meios de comunicação fortaleceu o desejo das mulheres de alcançarem a perfeição física. Mergulhadas em um sem-fim de artigos do tipo ’Como perder peso’, muitas delas entraram em regimes desumanos e cultuavam corpos magros demais.

O resultado foi o aparecimento de um novo movimento chamado body positive. Gradualmente, as mulheres estão parando de sentir vergonha de seus corpos, e nas capas de revistas é possível encontrar muitas modelos mais gordinhas.

9. Redes sociais no lugar da comunicação real

Em 2004, o estudante universitário americano Mark Zuckerberg e seu colega de quarto, inventaram o Facebook. Agora, todos nós podemos contar o que quisermos sobre nós mesmos nas redes sociais, procurar amigos, ler notícias, ganhar dinheiro, colocar anúncios, arrecadar fundos para tratamentos médicos e muito mais.

Hoje em dia milhões de usuários estão inscritos nas redes sociais. Os cientistas inclusive se preocupam com o fato de que muitas pessoas passem a esquecer a importância da comunicação real e passem tempo demais em frente à tela do computador e dos celulares, algo que já acontece em muitos países.

10. A ficção científica se torna realidade

Hoje em dia quase todo mundo tem e entende os smartphones e os programas de ligação com vídeo, e em breve vamos nos comunicar com uma projeção virtual de nossos interlocutores, assim como no filme Star Wars.

11. Surgimento dos documentos biométricos

Os documentos em papel estão começando a se transformar em objetos do passado. Agora, é possível obter um passaporte biométrico com um microchip integrado. Ele permite confirmar a identidade da pessoa em poucos segundos, o que diminui o tempo de controle nos aeroportos.

É possível que o seguinte passo seja o reconhecimento de uma pessoa pelo padrão retiniano. Contudo, hoje os cientistas enfrentam uma série de dificuldades, como por exemplo, a complicação para realizar uma foto de alta qualidade e a recusa das pessoas a colocarem os seus olhos em um dispositivo especial para escanear.

12. O avanço da arquitetura

Talvez os pioneiros no campo da arquitetura do século XXI sejam os que projetam os prédios de Dubai. Foi lá que, em 2010, se ergueu o maior edifício do mundo, o Burj Khalifa (828 metros), e onde em um futuro próximo um novo recorde será quebrado, quando for completada a construção da torre de 928 metros chamada Dubai Creek Tower.

Além disso, os moradores de Dubai criaram o ’escritório do futuro’, o primeiro prédio de escritório 3D do mundo. Para a impressão foram necessários 17 dias, um funcionário e uma impressora de seis metros. Foram necessários dois dias para criar o edifício e mais cerca de três meses para desenhar o paisagismo.

13. Coração artificial e orelha impressa

Em 2001 foi realizada a primeira operação para implantar um coração artificial. Um dispositivo chamado AbioCor foi instalado em Robert Tulsa, em Louisville, EUA. Infelizmente, ele viveu com o dispositivo por apenas 151 dias.

Mas os especialistas em órgãos ’impressos’ parecem ter cada vez mais sucesso. Há pouco tempo, cientistas chineses criaram orelhas novas para cinco crianças (a bolinha rosa na imagem é justamente a base do futuro órgão de audição).

Foi criado um modelo impresso em 3D em um laboratório e depois foram coletadas células da cartilagem da orelha deformada. Durante três meses eles a fizeram crescer em uma solução especial e depois a colocaram com sucesso nos pequenos pacientes.

14. Novas direções artísticas

Os pesquisadores indicam que a arte do começo do século XXI começou a responder ativamente aos problemas sociais. Um dos exemplos mais claros é o trabalho da artista Nicole Dextras, que decidiu chamar atenção para a situação ecológica no mundo atual. Suas instalações de inverno eram letras de gelo, e sua vida útil era curta (duravam exatamente até o começo da primavera). Essa foi a maneira que ela encontrou para chamar atenção para a fragilidade da natureza.

Outra coisa que pode assustar as pessoas no futuro são os preços das obras de arte. Em 2013, a obra Três estudos de Lucian Freud, de Francis Bacon, foi vendida em um leilão por 142,4 milhões de dólares e se transformou na obra de arte mais cara do mundo.

15. Mudanças no comportamento familiar

Cada vez mais as pessoas preferem se casar e ter filhos após os 30 anos. Além disso, muitas pessoas preferem ficar solteiras ou mesmo ter filhos sozinhas.

Também vale destacar que o número de divórcios não para de aumentar. Em 1901, na Dinamarca foram registrados 376 divórcios; em 2004, foram 15.774 casais que terminaram o casamento no país. Isso não tem relação com o aumento da população. Em 1900, na Dinamarca viviam aproximadamente 2,6 milhões de pessoas, e em 2005 havia dobrado, passado para 5,4 milhões de pessoas. Ou seja, um pouco mais de 100 anos, a população duplicou, mas o número de divórcios aumentou 41 vezes. Um tema para se pensar.

Esses são apenas alguns exemplos de fatos que caracterizam esse novo século. Que outros você acha que poderão entrar nos livros de história que serão estudados pelas futuras gerações?

Incrível/Curiosidades/15 Dados sobre o nosso tempo que farão parte dos livros de História
Compartilhar este artigo