Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

14 Fatos sobre o Butão, um país sem moradores de rua

O Butão, um país misterioso e colorido, localizado entre a Índia e a China, era fechado para turistas até 1974. Hoje, qualquer um pode visitar o país, mas só depois de passar por muitos processos burocráticos e tendo muito dinheiro. Apesar da relativa abertura comercial, essa nação da Ásia possui uma política bastante rígida para evitar uma invasão de turistas.

Incrível.club gostaria de esclarecer todas as dúvidas sobre as tradições e as várias restrições desse país misterioso, o primeiro no mundo a lançar um índice oficial de felicidade, como detalharemos ao longo deste post. Fique conosco.

1. Sem Internet e televisão

No Butão, a televisão e a Internet eram oficialmente proibidas até 1999. Porém, era impossível isolar o país inteiro das tecnologias modernas. Então o rei acabou liberando o acesso aos confortos da vida cotidiana. Assim, o Butão foi o último país do mundo com acesso à TV.

2. Ministério da Felicidade

Para cuidar da paz interior dos habitantes, foi estabelecida a Comissão da Felicidade Interna Bruta. O questionário do Censo do país possui até mesmo um campo especial em que é necessário definir o nível de satisfação com a vida. Mas não é só isso! No país, existe um Ministério Felicidade e o conceito de felicidade está nas prioridades da política nacional: o Produto Interno Bruto (PIB) foi substituído pela Felicidade Nacional Bruta (FIB). Ou seja, a qualidade de vida é determinada pelo equilíbrio entre os valores materiais e espirituais.

3. Não existem pessoas sem teto

No Butão, não há ninguém morando nas ruas. Se uma pessoa perde a sua casa, ela só precisa ir ao rei, que dará um pedaço de terra onde ela pode construir uma casa e trabalhar com agricultura. Esse fato é um dos motivos pelos quais os butaneses se consideram felizes.

4. Assistência médica gratuita

Cada cidadão do Butão tem o direito de receber atendimento médico gratuito. Vale lembrar que tanto a medicina tradicional oriental quanto a clássica são comuns no país, e o paciente pode escolher entre os métodos de tratamento.

5. Código de vestimenta tradicional

Os butaneses usam as roupas típicas do país. Os homens vestem camisas até o joelho e as mulheres usam vestidos que arrastam no chão. O status e a classe social de uma pessoa são determinados pela cor de um lenço, que é amarrado sobre o ombro esquerdo. Os cidadãos comuns usam lenços brancos; já os monges e os nobres usam lenços amarelos.

6. É proibido fumar

O Butão estabeleceu uma lei proibindo o cultivo, a colheita e a venda de tabaco em todo o país. É impossível comprar tabaco em território butanês. E os turistas que conseguem todos os documentos necessários para viajar ao Butão têm de pagar uma taxa caríssima para entrar com cigarros.

7. Cuidado com os animais e a natureza

O país toma todas as medidas possíveis para cuidar do Meio Ambiente, com um cuidado especial em relação ao replantio de árvores. Em 2015, o Butão quebrou um recorde mundial: os habitantes plantaram 50.000 árvores em apenas uma hora.

8. Peculiaridades gastronômicas

A maioria dos butaneses é budista. Uma vez que essa religião ensina a respeitar toda a fauna, o vegetarianismo é muito comum por lá. A base da culinária local é o arroz. Vale destacar que a variedade branca, que consumimos aqui no Brasil, não pode ser cultivada nas montanhas; por isso os butaneses cultivam o arroz vermelho, que é muito duro e possui um gosto incomum. No Butão, há uma cultura muito forte do chá. Os habitantes tomam chá preto e verde com sal, uma pitada de pimenta e uma colher de manteiga.

9. Restrições ao turismo predatório

Embora o país tenha flexibilizado a política para a entrada de turistas, a única maneira de visitar o país é fazendo parte de um grupo de turistas. Todos os documentos e o visto podem ser concedidos por uma empresa indicada pelo Estado. Para obter uma permissão de entrada, é preciso pagar todas as despesas com antecedência (voos, hotel, taxas e comissões, serviços de operador turístico e guia de turismo, visto e seguro). É possível fazer viagens pelo país apenas através de transfers fornecidos pelo operador turístico e acompanhados por guias. Programar o passeio por conta própria é impossível. O preço médio para um roteiro de um dia equivale a 1.000 reais. No território do país existe apenas uma companhia aérea que realiza todos os voos. Os preços de hotéis são definidos pelo governo. É necessário destacar que existem tanto hotéis 5 estrelas, confortáveis e com spa, como acomodações mais simples.

10. Tradição quanto à herança

Os butaneses respeitam e honram as mulheres e a sua tradição de herança prova isso. Todo o patrimônio, como casa, gado e terra, é deixado para a filha mais velha, não para o filho.

11. A ecologia é tudo

Hoje, o mundo inteiro está comprando produtos com o rótulo “bio”. Mas o Butão não se preocupa com esse assunto por uma questão muito simples: importar ou usar produtos químicos é contra a lei. Por isso tudo cultivado dentro do país é totalmente natural.

12. Tradições de casamento

No Butão, é proibido se casar com um estrangeiro. O rei (o atual ocupante do posto é Jigme Khesar Namgyel Wangchuck, coroado em 2008) faz todo o possível para preservar a identidade e o isolamento do país do resto do mundo. Durante uma cerimônia de casamento, os monges entoam mantras. Dizem que esse processo permite que os recém-casados ​​criem uma conexão mental forte. Existe também um ritual de tributo de cálice de licor para as divindades. Após a oferenda, a bebida restante é compartilhada entre a noiva e o noivo.

Somente depois de todos os rituais necessários serem realizados, os noivos são considerados oficialmente casados. Em geral, o homem se muda para a casa da esposa e, quando ganha dinheiro suficiente, os cônjuges podem se mudar para sua própria moradia.

13. Trânsito nada caótico

Na capital do Butão não há semáforos, mas parece que isso não é problema para as pessoas. Além disso, todas as placas de trânsito são desenhadas à mão.

14. “Casinhas de gengibre”

Os butaneses gostam de decorar as suas casas. Eles desenham pássaros, animais e diferentes tipos de padrões nas paredes. Uma casa tradicional é um edifício pequeno de três andares. O primeiro andar serve para manter os animais. Já no segundo andar estão localizados os quartos. E o terceiro andar é usado para secar e armazenar feno.

Apesar de ter várias restrições e regras rígidas, os habitantes do Butão são felizes e sorridentes, como mostra o já mencionado índice de FIB. Os turistas ficam mais curiosos ainda para visitar esse país tão misterioso e isolado, embora existam tantas leis e tradições estranhas.

Você arriscaria ir para o Butão e se tornar um dos sortudos visitantes desse país?

Imagem de capa NIV / SIPA / Eastnews