Incrível
Incrível

14 Dados pouco conhecidos sobre a “Lady Di” que fizeram com que muitos a enxergassem como uma pessoa diferente

Entre as figuras mais representativas da família real britânica, uma sempre teve todo o amor e admiração do povo. A princesa Diana ficou marcada no coração dos seus fãs e sua lembrança é imune à passagem do tempo. Mas há quem tenha construído uma imagem dela a partir de histórias que muitas vezes não passavam de boatos e que não refletiam em nada sua verdadeira personalidade.

O Incrível.club fez uma compilação de mais de 10 coisas sobre as quais muitas pessoas pensavam sobre Lady Di e que não eram totalmente verdadeiras.

1. Não era uma princesa real

Embora os meios de comunicação, e o povo em geral, sempre se referissem a ela como a “princesa Diana”, Lady Di nunca foi realmente uma princesa. Segundo os regulamentos reais, apenas uma princesa de sangue, ou seja, nascida de outros membros reais, pode ostentar esse título antes do seu nome. As pessoas que ingressavam na realeza pelo casamento usavam o nome do marido após o título, por exemplo, no caso dela seria “a princesa Charles”. Mas Diana usava o nome da nação que a rainha a encarregou de representar. Seu título era “Sua Alteza Real, a princesa de Gales”. Quando se divorciou, perdeu o tratamento de “Alteza Real”, mas manteve o título de princesa.

2. Seu apelido nem sempre foi “Di”

O nome “Lady Di” é reconhecido mundialmente e faz referência imediata à Diana de Gales. Por isso, muitos poderiam pensar que “Di” ero o apelido usado por ela desde pequena, originário do nome “Diana”. Mas, na verdade, seu apelido era “Duch”, ou “Duquesa” em inglês, e em casa a chamavam assim desde menina. Isso porque Diana sempre se comportou como uma duquesa e foi chamada desse modo até ficar noiva do príncipe Charles, quando os meios de comunicação a rebatizaram de “Di”.

3. Não era uma plebeia

O noivado entre o príncipe Charles e Diana Spencer foi um verdadeiro acontecimento na Inglaterra e no mundo, especialmente porque o herdeiro do trono havia escolhido uma plebeia para ser sua esposa. No entanto, faltam alguns detalhes nessa história. Embora não tivesse um título real, ela pertencia à aristocracia inglesa desde o nascimento, pois seu pai era o conde Spencer. Na verdade, Diana era parente distante do príncipe Charles e de Sarah Ferguson, que mais tarde se casou com o príncipe Andrew.

4. Ela não era mais baixa do que Charles

Em muitas fotografias de Charles e Diana juntos, principalmente as oficiais, o príncipe sempre parecia ser mais alto do que ela. Na verdade, em algumas conseguimos vê-lo colocando suas mãos sobre os ombros dela. Esse tipo de imagem costuma confundir as pessoas. Na verdade, os dois tinham a mesma altura e, por esse motivo, a princesa evitava usar salto alto durante o seu casamento.

5. Não era tímida

Embora Diana tenha passado a imagem de uma mulher tímida e quieta desde o momento do noivado com o príncipe Charles, a verdade é que essa palavra não descrevia em nada sua personalidade. Isso foi confirmado por seu próprio irmão, o conde Charles Spencer, que afirmou que sua irmã nunca foi tímida, mas astuta e reservada. Além disso, o ex-secretário de imprensa do Palácio recorda que ela tinha “um grande senso de humor”.

6. Sim, ela tinha companhia dentro da família real

Diana deixou claro muitas vezes como seu casamento e sua vida dentro da família real eram difíceis. Em muitas ocasiões, garantiu se sentir muito sozinha e incompreendida pela realeza. No entanto, mantinha uma relação muito próxima com o príncipe Philip, que sempre a apoiou e a incentivou a seguir adiante. Na verdade, em cartas privadas trocadas entre os dois, o duque de Edimburgo expressou sua indignação com a maneira como Charles a tratava. “Não consigo imaginar ninguém em seu perfeito juízo a deixando pela Camila”, escreveu uma vez.

7. Não foi a primeira “princesa do povo”

Depois de se divorciar do príncipe Charles, os seguidores de Lady Di a batizaram de “princesa do povo”, o que Diana considerou um grande gesto, pois não seria mais rainha. No entanto, ela não foi a primeira a levar esse nome. Charlotte Augusta de Gales foi a “princesa do povo” original. A jovem era filha única de George IV e Caroline de Brunswick.

8. Não adotou os votos matrimoniais tradicionais

Antes do casamento de Diana, todas as noivas da realeza mantinham os votos tradicionais da igreja anglicana. A rainha Elizabeth, a princesa Margaret e a princesa Anne juraram “amar, cuidar e obedecer” aos seus maridos. Porém, Diana não gostou muito de ter de obedecer a Charles, por isso, no dia do casamento retirou essa palavra dos seus votos. Mas não sabia que suas futuras noras, Kate e Meghan, seguiriam seu exemplo em suas próprias cerimônias.

9. O balé era uma das suas paixões

Quando criança, Diana estudou balé e sonhava em dançar no Royal Ballet. No entanto, sua estatura frustrou seus desejos. Mas isso não a impediu de manter sua paixão pela dança ao longo de toda sua vida. De fato, certa vez chegou a surpreender o príncipe Charles ao oferecer uma apresentação de dança contemporânea na Royal Opera House. Ela também entrou para a história graças à sua dança icônica com John Travolta na Casa Branca, durante uma visita aos Estados Unidos.

10. Quase todo o mundo viu seu casamento pela televisão

O casamento da princesa Diana foi tema de conversa em muitos países na época. Por isso era de se esperar que milhões de pessoas se sentassem em frente à televisão para assistir à grande cerimônia nupcial. Mas ninguém esperava que a quantidade de telespectadores chegasse a 750 milhões em 74 nações.

11. Era muito popular nas capas de revistas

Lady Di era a modelo preferida dos editoriais; a quantidade de vezes que apareceu nas capas foi realmente notória. A princesa foi capa da People 57 vezes, mais do que qualquer outra pessoa até hoje. Além disso, também repetiu a façanha em revistas como Time, Newsweek, Vanity Fair, Tatler, LIFE, Vogue, McCall’s, Good Housekeeping, entre outras.

12. Era muito comprometida com a caridade

De acordo com a revista Time, Diana se voltou à caridade depois de se separar. Lady Di considerava que sua fama e importância poderiam atrair muito mais atenção para questões como pobreza, minas terrestres, falta de moradia e educação, e prevenção contra o HIV. Seu compromisso era tão grande, que chegou a doar vários dos seus vestidos mais caros para serem leiloados e, assim, arrecadar fundos.

13. Estudou em casa até os 9 anos

Naquela época, os filhos de personalidades aristocráticas eram educados por um tutor; entretanto, Lady Di recebeu esse tipo de educação até os 9 anos de idade. Após o divórcio dos seus pais, a então menina foi enviada para uma escola local e, posteriormente, para um internato ao completar 12 anos.

14. A sua cor preferida era rosa

Embora Lady Di tivesse muitos vestidos em sua ampla coleção de roupas, uma das cores mais repetidas era rosa, pois essa era sua cor favorita. Desde o início das aparições públicas como integrante da família real, até seus últimos dias de vida, Diana usou roupas dessa cor em todos os tipos de eventos.

Como acha que seria a vida da princesa Diana se ela ainda estivesse viva? Quais coisas as pessoas pensam sobre você que não são verdadeiras?

Compartilhar este artigo