Incrível

Como o ideal de beleza masculina mudou nos últimos 120 anos

É um erro pensar que os homens não se importam com a sua aparência física. Assim como as mulheres, eles também se preocupam em engordar, perder peso, ganhar massa muscular, deixar a barba crescer ou apará-la, mudar o corte de cabelo, entre outras coisas. No entanto, um aspecto permanece inalterado através dos tempos — a busca pelo ideal de beleza.

Incrível.club examinou arquivos fotográficos para descobrir como o ideal de beleza masculina mudou nos últimos 120 anos. Acompanhe!

Década de 1900: bigode e o culto ao corpo

O ideal de beleza no início do século XX era parecer forte e poderoso. Alta estatura, ombros largos, músculos desenvolvidos e roupas justas; isso é o que chamava a atenção. O mundo ia a loucura com atletas como Ivan Poddubny e Eugen Sandow.

O principal destaque masculino era o bigode. Eles eram tão bem cuidados quanto os cabelos: eram enrolados com pinças quentes, aparados e depilados com cera. Os homens usavam ternos elegantes com gravatas e colarinhos tão apertados que arranhavam o pescoço.

Década de 1910: abatimento e palidez

Os jovens pálidos e dramáticos (do francês décadent — decadente) vieram para substituir os homens fortes e saudáveis. Nesse período a magreza, os dedos finos, o olhar caído e o descuido com as roupas eram tendência. Os homens continuavam usando bigode, mas agora os cabelos eram extremamente bem penteados e com aparência de “lambidos”.

Casacos e ternos folgados eram moda. O guarda-roupa masculino era complementado por luvas, bengalas e chapéu-coco.

Década de 1920: jazz e etiqueta

Os anos 1920 foram a época do jazz e do cinema. Estrelas do cinema como Rudolph Valentino, Ronald Colman e Ivor Novello eram considerados representantes do padrão masculino ideal. Os homens não deviam ser apenas bonitos, mas também bem instruídos. Deviam ser capazes de manter facilmente qualquer conversa, dançar graciosamente e ter boas maneiras.

O estereótipo da moda era ter um rosto oval, cabelo “lambido”, barba curta e sobrancelhas escuras. Os acessórios que estavam em alta eram as meias coloridas e brilhantes com estampas e calças curtas estilo jogador de golfe.

Década de 1930: entusiasmo e ombros largos

A elegância pomposa e refinada praticamente desaparece. O homem dos anos 1930 é um entusiasta, um aventureiro. As referências de beleza eram Gary Cooper e Clark Gable. Quase todo homem usava um bigode no estilo de Clark Gable.

Um estilo mais despojado e a masculinidade estavam em alta nessa época — simplicidade, ombros largos, quadris estreitos e músculos desenvolvidos eram as características essenciais da beleza masculina. Se um homem não tinha tais parâmetros, as roupas auxiliavam a criar a silhueta correta. O visual era complementado por chapéus trilby e sapatos oxford.

Década de 1940: bravura e uniforme militar

A Segunda Guerra Mundial alterou os parâmetros da beleza masculina. Os ternos foram substituídos pelos uniformes militares, e as roupas se tornaram mais democráticas e práticas. Devido à falta de tecido, bolsos e botões de casaco e o corte das calças ficaram mais simples. A mudança mais significativa nesse período é a adoção da vestimenta militar como vestuário no cotidiano.

homem dos anos 1940 é um homem corajoso e versátil. Ele tem a barba feita, os cabelos curtos, é forte e pratica esportes.

Década de 1950: rebeldia e rockabilly

ideal masculino da década de 1950 era representado pelo homem belo e rebelde. O vestuário é marcado por blusões de malha, casaco de couro e bijuterias em vez de gravatas e camisas de cores fortes. Os homens usavam brilhantina para modelar o cabelo e dar-lhe mais brilho. A tendência de penteado era o topete de Elvis Presley ou repartido de lado.

Ombros fortes, maxilar definido e um aspecto pálido como Marlon Brando ou James Dean eram as características físicas da moda. Camisetas apertadas marcando todos os músculos enfatizavam a beleza masculina.

Década de 1960: juventude e The Beatles

Esse período foi marcado pelos Beatles. Blazers sem colarinho, calças e camisas justas e botas de bico fino eram a tendência. Os ternos abafados dos homens que trabalhavam em escritórios foram substituídos por camisas de cores vivas, gola alta preta, jeans e calças de veludo.

Devido aos massivos protestos dos estudantes, um novo ideal masculino foi formado — o de estudante esbelto, com olhar vibrante e traços faciais jovens. As mulheres enlouqueciam por Alain Delon, e os homens copiavam seu estilo e olhar característico.

Década de 1970: rock e hippies

O período hippie, do rock psicodélico e da negação do materialismo. Os homens deixaram os cabelos crescer, pararam de penteá-los e de raspar os pelos faciais. O ícone do estilo era Jim Morrison, o vocalista do The Doors.

Apenas funcionários de escritório usavam roupas apertadas. Calças largas, camisas coloridas com babados, camisas polo coloridas e botas de salto alto ficaram em alta nessa época.

Década de 1980: músculos e saúde

Os roqueiros despenteados são substituídos pelos homens atléticos e fortes. O austríaco Arnold Schwarzenegger vence o concurso “Mr. Olympia” e estabelece o fisiculturismo como uma tendência, fazendo com que o alcoolismo e tabagismo saiam de “moda” e com que os homens se matriculem em massa nas academias.

Os cabelos compridos vão ficando no passado, agora a barba feita e o cabelo cortado é que ditam o estilo. O homem dos anos 1980 é apelidado de yuppie (jovem trabalhador urbano): um jovem inteligente, ambicioso e confiante, obcecado por sua carreira. Vaidoso, seguidor de tendências da moda, mas que prefere um estilo de roupa mais formal.

Década de 1990: grunge e desleixo

O movimento grunge surgiu nos Estados Unidos e, se traduzido literalmente, significa “sujeira”. Esse estilo caiu no gosto popular através do rock. Roupas desleixadas, barbas e cabelos bagunçados eram tendência entre os homens. Os brechós ganharam bastante popularidade. Os homens usavam camisas largas e jeans rasgados. Os símbolos sexuais dos anos 1990 são os “bad boys” e os rebeldes do rock, Kurt Cobain e Johnny Depp.

Década de 2000: metrossexualidade e redefinição de conceito

Os heróis dessa década são os caras “bombadões”, de abdômen perfeito, com muitas tatuagens e com um rosto bonito. Os homens começaram a se cuidar tanto quanto as mulheres. Em sua rotina diária, estava uma visita ao esteticista, ao cabeleireiro e às academias de ginástica. Cada vez mais, os homens começavam a usar roupas justas, mas o principal hit da moda masculina era a camiseta regata que ressaltava os braços.

Década de 2010: hipsters e intelectualidade

A displicência com as roupas, a barba aparada, as camisas xadrez, as tatuagens e os óculos grandes são os principais componentes do hipster dessa época. O bigode e a barba também voltaram à moda. O jovem intelectual que adora ler, está sempre atualizado com as novidades culturais, participa de exposições, assiste a filmes cult e mantém suas redes sociais sempre ativas — é também uma marca registrada do padrão de beleza dessa época.

Qual você acha que será a tendência para o ideal masculino nas próximas décadas? Conte para a gente na seção de comentários.