A ciência confirma: a gravidez pode ser “contagiosa”

Segundo algumas estatísticas, 2010 foi o ano com o maior número de mulheres grávidas nos Estados Unidos, com 6,2 milhões. Talvez isso possa ser explicado por uma descoberta que os cientistas fizeram sobre a gravidez.

No Incrível.club pesquisamos sobre esses estudos sobre gravidez realizados por cientistas que explicam por que ela é realmente “contagiosa”.

Em 2014, o Journal of American Sociological Association publicou um estudo que levou cientistas a chegarem a uma conclusão interessante: a gravidez pode ser contagiosa, ou seja, muitas mulheres do mesmo círculo de convivência esperam filhos ao mesmo tempo.

Durante o estudo, que durou 10 anos (dos anos 1990 aos anos 2000), os pesquisadores analisaram dados de 1720 mulheres e descobriram uma tendência muito interessante: mais da metade delas teve um filho no final do experimento.

Durante as entrevistas, as mulheres mencionaram coisas como “laços de amizade” como uma razão provável para um forte “contágio” nas gravidezes. Tudo porque os humanos tendem a agir de acordo com o ambiente e as interações interpessoais que influenciam as decisões que tomam.

Isso significa que ver uma amiga grávida evoca sentimentos positivos dentro de uma mulher e, subconscientemente, começa a afetar suas intenções de procriar também.

Além disso, existem outros fatores possíveis que incitam uma mulher a mudar a direção de suas intenções de ter um filho.

  • Ver sua amiga ser capaz de cuidar do seu filho dá a outra mulher confiança em suas próprias habilidades de cuidado infantil.
  • Ver as amigas dela entrarem na maternidade dá à mulher a sensação de ficar para trás, e ela começa a tentar se manter “em dia”, tornando-se mãe também.

Surpreendentemente, os “laços de amizade” também podem influenciar o número de filhos que uma mulher tem. As razões são as mesmas: se sua amiga pode ter vários filhos, você também pode fazê-lo. Além disso, a sensação de ficar para trás, se sua amiga tem 3 filhos e você tem apenas um, continua existindo.

Outro fato interessante é que esse elemento de contágio não existe entre os irmãos. Alguns pesquisadores explicam isso pelo fato de que, no mundo de hoje, os amigos podem ser de maior importância para as pessoas do que para seus próprios irmãos.

Portanto, o “risco” de uma mulher engravidar aumenta com cada amiga que já tem um filho.

Você já notou esse fenômeno entre você e suas amigas? O número de filhos que elas têm influenciou o número de filhos que você tem? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar este artigo