Incrível
Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

13 Obras arquitetônicas incríveis que parecem desafiar as leis da gravidade

A arquitetura e a engenharia estão se reinventando constantemente, e cada vez mais os edifícios desafiam as leis da física. Embora alguns pareçam estar prestes a desmoronar ou se equilibrar como um trapezista na corda bamba, esses projetos se destacam por sua beleza e por representarem grandes realizações arquitetônicas (e de engenharia, obviamente).

Incrível.club elaborou uma lista de construções que se atreveram a desafiar as leis da gravidade, e o convida a admirar estas proezas da arquitetura moderna.

1. Museu Timmelsjoch Experience Pass

Esse museu está localizado exatamente na fronteira alpina entre a Áustria e a Itália, por isso é conhecido como Passagem de Timmelsjoch ou Passagem do Losango (Paso del Rombo, em italiano). Projetada pelo arquiteto Werner Tscholl, a estrutura parece uma rocha aparentemente apoiada em um ponto, com as janelas panorâmicas do lado italiano completamente expostas.

O Timmelsjoch Experience Pass foi idealizado para comemorar o 50º aniversário da construção da rodovia Timmelsjoch Hochalpenstrasse, concebida em 1897, mas que ficou pronta apenas em 1959. O museu foi concluído em 2010 e mostra a história da região, a cultura compartilhada por seus habitantes e uma pequena caverna em referência aos antigos pioneiros que se aventuraram por essas montanhas na Idade da Pedra.

2. Flying Mud Boat

Acredite ou não, é uma casa de chá localizada dentro do Museu Jinchokan Moriya, da cidade de Chino, Prefeitura de Nagano, Japão. O estabelecimento, sustentado no ar por cabos de suspensão, foi projetado pelo arquiteto local Terunobu Fujimori, que também fez outras casas de chá próximas a essa, como a Takasugi-an (erguida nas alturas).

A construção é feita com materiais tradicionais japoneses, como madeira, barro e gesso, em um design que harmoniza com o ambiente. O trabalho de Fujimori caracteriza-se por desenhos fantasiosos tirados dos contos de fada e atualmente essa casa de chá está aberta ao público, sob reserva e/ou eventos especiais.

3. Edifício Rohner Port

Esse edifício localizado no porto da cidade austríaca de Fussach foi projetado pela empresa Baumschlager Eberle, encomendado por Maria Rohner. A estrutura consiste em um retângulo sustentado em uma extremidade por uma espécie de pata, dando-lhe esse aspecto peculiar que até parece estar a ponto de cair por falta de equilíbrio.

O desenho é inspirado nas dinâmicas das velas dos barcos, já que o prédio foi concebido como um ponto de encontro da comunidade náutica local. O retângulo possui um pequeno mirante e está a oito metros do nível do mar.

4. Casas Cubo

Essas curiosas casas, localizadas em Roterdã, foram projetadas pelo arquiteto Piet Blom, em 1984, e são uma atração emblemática da cidade holandesa desde então. Elas fazem parte de um plano de urbanização central, uma área próxima ao antigo porto da cidade.

As casas possuem uma inclinação de 45º e foram erguidas sobre pilares de concreto que lhes conferem esse aspecto peculiar, já que Blom as concebeu para que fossem uma espécie de floresta abstrata. Dentro desse complexo há uma casa-museu chamada Kijk-Kubus, na qual se mostra como seria uma dessas curiosas residências mobiliadas.

5. Museu de Arte Contemporânea de Niterói

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói, ou MAC, em Niterói, no Rio de Janeiro, é um símbolo especial. Foi construído em 1996 pelo célebre arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, famoso por seus desenhos vanguardistas como o da Catedral de Brasília.

O MAC Niterói está localizado na baía de Guanabara, sendo uma estrutura circular chamada “Flor Branca”, com 50 metros de diâmetro e 16 metros de altura, sustentada por um talo de cinco metros de altura, em cuja base se encontra um pequeno espelho d’água. Esse prédio futurista é considerado uma das maravilhas arquitetônicas dos museus na atualidade.

6. Apartamentos WoZoCo

Esse complexo de apartamentos, construído em 1997, foi o primeiro projeto residencial elaborado pelo grupo de arquitetos MVRDV, em Amsterdã. O edifício foi idealizado como uma residência para idosos, por isso recorreu-se a um desenho de circulação pelas galerias para facilitar a mobilidade de seus residentes.

Os apartamentos parecem estar empilhados em blocos sustentados por uma estrutura ampla e firme, que conferem o aspecto de casas suspensas. O projeto respondeu a uma demanda de moradias, devido ao aumento da densidade populacional que a capital holandesa começou a ter na década de 1990, e continua sendo referência para a arquitetura moderna local.

7. Habitat 67

Em 1967, o arquiteto israelense Moshe Safdie, que se mudou para o Canadá ainda adolescente, construiu esse complexo residencial em Montreal. O projeto, seu trabalho de graduação, foi apresentado na Exposição Mundial daquele ano, celebrada na cidade. Por seu desenho desafiador, o Habitat 67 chamou a atenção das autoridades municipais, que decidiram investir nele, sendo esse o início da bem-sucedida carreira de Safdie.

Esse complexo residencial conta com espaços abertos e 158 apartamentos, que parecem empilhados como blocos do jogo de habilidades Jenga. Estruturalmente, é composto por 365 blocos de concreto colocados de maneira estratégica, para que não percam o equilíbrio e possam conferir uma aparência de instabilidade.

8. Cliff House

Essa casa de férias feita pelo escritório Modscape, em Victoria, na Austrália, destaca-se por sua localização tão assustadora: presa a um penhasco. O projeto foi uma encomenda difícil de um casal que queria um espaço cercado pela natureza, levando a Modscape a pensar em como construir uma casa sustentável com grandes janelas e vista para o mar, harmonizada com seu entorno.

A casa é presa ao penhasco por vigas de aço que estão atadas à rocha, dando a impressão de estar colada, sem suporte algum. Quanto ao design, a inspiração da forma são os crustáceos percebes dos cascos dos barcos, razão pela qual a Cliff House tem esse formato peculiar.

9. Walk-On Balcony

Trata-se de um dos corredores de um complexo de escritórios em Gliwice, na Polônia, desenhados pelo estúdio Zalewski. A passarela está suspensa no ar, no terceiro andar, constituindo uma estrutura curva com jardim e varandas. A ideia surgiu como um espaço para os funcionários caminharem e relaxarem durante a jornada de trabalho.

10. Hotel Marina Bay Sands

Se você assistiu a Podres de Ricos, vai reconhecer esse edifício, pela festa realizada no final do filme. O hotel inaugurado em 2010 é outra obra de Moshe Safdie, sendo um dos prédios mais icônicos de Singapura. Fica em frente à Reserva Marinha da cidade-estado insular e faz parte de um grande projeto de modernização da ilha.

O complexo é composto por três torres de 55 andares, todas conectadas pelo Skypark no teto: um jardim de 1,1 hectare que confere ao complexo esse aspecto único. As torres têm uma certa inclinação, já que Safdie se inspirou em cartas de baralhos para fazer o desenho.

11. Edifício Cruz del Sur

Esse prédio de escritórios foi executado pelo estúdio chileno Izquierdo Lehman, em Santiago, no Chile, e se destaca por seu desenho ousado. Diferentemente do design tradicional, a torre é estreita na sua base, o que dá a sensação de instabilidade, pois a estrutura vai se alargando à medida que sobe.

Mais que um edifício de escritórios, também possui uma área comercial, por isso os arquitetos arriscaram fazer uma base aparentemente fina para um melhor aproveitamento do espaço. Além disso, foi um desafio arquitetônico, já que queriam brincar na sua estrutura, com a perspectiva e as normas da gravidade.

12. Estádio Olímpico de Montreal

Para os Jogos Olímpicos de 1976, disputados em Montreal, no Canadá, foi construído o Parque Olímpico que inclui esse estádio projetado pelo arquiteto francês Roger Taillibert. Sua peculiaridade é a torre inclinada em um ângulo de 45º, com 165 metros de altura, conhecida como Torre de Montreal, a mais alta inclinada do mundo.

Atualmente, ela tem um observatório, que oferece uma vista panorâmica de 360º da cidade. A piscina olímpica se encontra abaixo dela e o Jardim Botânico de Montreal (que durante as Olimpíadas foi o velódromo) está na sua base.

13. Pira Olímpica de Sochi

Para os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, em 2014, a construção do Parque Olímpico esteve a cargo da empresa Olympstroy e foi iniciada em 2009. A Pira Olímpica de Sochi ficou situada em uma explanada com uma fonte de 75,3 metros de diâmetro, criada pela empresa californiana WET Design, reconhecida por seu trabalho com as fontes, como a de Dubai, por exemplo.

A Pira Olímpica de Sochi é uma torre branca com certa inclinação, semelhante à tocha usada no percurso até a cidade-sede, em um esquema de revezamento de vários atletas até o início dos jogos, em fevereiro de 2014. Durante as cerimônias de abertura e fechamento, espetáculos com água, fogos de artifício, fumaça e luzes foram apresentados.

Bônus: Urban Cactus

Esse peculiar edifício estará em Roterdã, já que ainda é um projeto a ser construído pelo escritório de arquitetura AEMSEN. O conceito é o da sustentabilidade, pois deseja-se formar um pulmão de ar limpo para a cidade, além de ser uma espécie de jardim nos céus, como descrito pela AEMSEN.

O edifício terá 98 apartamentos em 19 camadas empilhadas de forma a parecer um cacto. Cada apartamento terá uma grande varanda com diversos jardins, e assim cumprirá a função sustentável do projeto.

Cada vez mais os arquitetos e designers apostam em propostas que aparentemente desafiam as normas básicas da gravidade, mas os resultados são peças urbanas incríveis. Comente qual delas achou mais impressionante e gostaríamos de saber que outros projetos semelhantes você conhece!

Compartilhar este artigo