Incrível
Incrível

12 Segredos dos bastidores da vida dos bailarinos que nem todo mundo conhece

Certamente, muitas meninas já sonharam em se tornar bailarinas. Viajar pelo mundo dançando com roupas fabulosas, ser aplaudida de pé pelo público, trabalhar em produções famosas — parece até um sonho. E, claro, poucas pessoas sequer imaginam o esforço colossal por trás de um simples movimento de mão ou de um salto gracioso. Isso sem mencionar os segredos e regras diferentes que existem nos bastidores do mundo do balé.

Nós, do Incrível.club, resolvemos desvendar o dia a dia da vida dos bailarinos e quais são os “perrengues” que poucas pessoas conhecem sobre como é ser um profissional dessa área. Confira!

Não pintam as unhas com esmalte escuro

Kashaev Pavel / East News, YakobchukOlena / easyfotostock / East News

As bailarinas não usam esmalte escuro durante as apresentações por vários motivos. Primeiramente, a cor reflete a individualidade e o dançarino deve ser percebido como parte de um todo. Em segundo, chama a atenção do espectador. As mãos são tão expressivas quanto as pernas durante a performance, então nada deve desviar a atenção dos movimentos em si. Essa regra é ensinada durante os anos de estudos na escola de balé.

Os homens usam uma roupa íntima especial

AP / Associated Press / East News, © Julio Macias / Shutterstock.com

Embaixo das leggings usadas pelos dançarinos masculinos, eles não usam roupas íntimas comuns, mas uma especial. A peça é chamada de suporte masculino, e é uma parte integrante do traje e da roupa principal que os rapazes usam nas aulas, ensaios ou apresentações. O objetivo é fornecer um suporte anatômico e proteger a região contra lesões.

Já as meninas frequentemente não usam nenhuma

Embora, às vezes, algumas bailarinas usem roupas íntimas, geralmente, elas são feitas de um material muito fino e muitas vezes com costura invisível. Contudo, muitos collants de dança já vêm com um forro embutido, então muitas garotas ignoram a lingerie como parte do traje. E é bem conveniente, porque esses forros podem ser removidos para serem lavados.

Não cortam as unhas dos pés curtas

Dizem que as bailarinas são três vezes mais tolerantes à dor do que uma pessoa comum, isso porque usar sapatilhas todos os dias é extremamente doloroso. Além disso, elas mantém as unhas do pés grandes, porque as unhas encravam com mais frequência quando estão mais curtas.

As meias geralmente têm buracos nos dedos

A maioria dos modelos de meias de balé são feitas com furos na parte inferior. Eles permitem que as bailarinas consigam acessar rapidamente os dedos dos pés para prendê-los com fita adesiva ou inserir palmilhas ou tecido para dançar na ponta do pé. E dessa forma também é mais fácil de limpar e enfaixar bolhas, cortes ou outros machucados sem ter que tirar completamente a roupa para isso.

Existem truques para manter o equilíbrio enquanto se move no palco

AP / Associated Press / East News

Os bailarinos têm um dom para manter o equilíbrio, já que essa característica é fundamental na hora de fazer piruetas. É por isso que alguns teatros inventaram uma maneira de ajudar os dançarinos durante movimentos difíceis, instalando holofotes azuis no fundo do auditório. É lá que as bailarinas procuram se concentrar durante o movimento.

As bailarinas fazem o próprio cabelo e maquiagem

Magnolia Pictures / Courtesy Everett Collection / East News

O cabelo e maquiagem para uma apresentação requerem muita preparação, mas a maioria das dançarinas faz tudo sozinhas. Ninguém conseguiria preparar todo o elenco do espetáculo a tempo, pois supõe-se que levaria um total de 400 horas para montar o famoso coque de bailarina em todo mundo para um espetáculo.

Portanto, toda bailarina profissional tem muitos truques na manga para preparar a maquiagem de palco. Por exemplo, elas adicionam um delineador marrom ao batom vermelho clássico para destacar mais os lábios, além de não usarem base porque sabem que vão suar.

O corpo de bailarinos não tem um camarim individual

KIRILL KUDRYAVTSEV / AFP / East News

Os bailarinos têm que lutar contra a timidez nos bastidores no início de suas carreiras. Todos os dançarinos, tanto masculinos quanto femininos, trocam de roupa em um espaço comum: em uma sala com um espelho, uma prateleira suspensa e um armário de teatro. Não há vestiários ou camarins separados.

Usam botas de lã no intervalo entre as aulas

É crucial para os dançarinos manter os músculos, articulações e tendões aquecidos e prontos para o esforço durante os ensaios e as aulas. Mesmo que fique quente após uma hora de treinamento, é costume usar leggings de malha e um suéter sobre o uniforme imediatamente depois da aula para que os músculos mantenham a elasticidade e o fluxo sanguíneo. E um dos itens mais inesperados para um leigo são as botas de lã. São divertidos calçados em forma de “botas espaciais” que são usados sobre as sapatilhas de ponta ou qualquer sapato de dança básico.

Além de reter o calor, eles protegem os sapatos de dança de superfícies que não são apropriadas para essa atividade, como cerâmicas e carpetes, que muitas vezes levam ao desgaste prematuro das sapatilhas.

Bailarinos são cheios de superstições e cada um tem seu próprio ritual antes de subir ao palco

AA / ABACA / Abaca / East News

O sucesso de uma apresentação de balé depende de muitos fatores que os bailarinos não podem controlar. E os dançarinos precisam de pelo menos alguma ferramenta para controlar a situação. É por isso que eles são extremamente supersticiosos, e cada um tem seu próprio ritual. E essa correlação foi confirmada em um artigo publicado na revista Psychological Science, que afirma que superstições, tais como dedos cruzados e talismãs, podem estar associadas à melhora do desempenho devido ao aumento da autoconfiança.

Alguns bailarinos compartilharam seus rituais para dar sorte:

  • “Eu tenho que ser o último a sair do vestiário, mesmo que já esteja pronto”.
  • “Sempre deixo um par de sapatos sobrando na beira do palco ao lado de uma caixa de resina. Às vezes, um par em ambos os lados”.
  • “Quando dancei para Lara Lubovitch, ela insistia que não podíamos assobiar nos bastidores! Ele disse que despertava os espíritos adormecidos”.

As saias de tutu são feitas à mão

AFP STORY BY ANELLA RETA / East News

Um dos símbolos tradicionais de uma bailarina é o tutu. E ele é feito à mão. Pode levar de 60 a 90 horas para fazer uma peça, utilizando até 10 metros de tecido. É por isso que um tutu tradicional custa de US$ 900 a US$ 2.500.

Existem espectadores fictícios na plateia

Todo mundo que já foi a um balé provavelmente notou que em algum momento um espectador particularmente atencioso começa a aplaudir alto. E só então, é claro, o resto das pessoas também começam a aplaudir de pé. Contudo, poucas pessoas sabem que, na maioria das vezes, isso é planejado. Essas pessoas são conhecidas como claques, e são pagas para começar a apoiar os dançarinos em determinados momentos. Na verdade, esse truque existe há muitos anos. Já na década de 1830, os teatros parisienses contratavam profissionais para provocar uma resposta positiva do público.

Você já praticou balé ou já foi a algum espetáculo? Qual característica da vida dos bailarinos acredita ser a mais difícil: os extensos treinos físicos ou os movimentos precisos? Conte para a gente na seção de comentários.

Incrível/Curiosidades/12 Segredos dos bastidores da vida dos bailarinos que nem todo mundo conhece
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos