Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

11 Provas de que Paris não é como a descrevem

Para muitos, Paris é uma cidade dos sonhos. Por muitos anos, consecutivamente, entrou nas dez megalópoles mais visitadas do mundo. Muitos diretores de cinema e escritores lhe dedicam suas obras e turistas de todo o mundo idealizam sua imagem. No entanto, tendo o desejo de sentir a verdadeira atmosfera da capital francesa, os turistas muitas vezes ficam desapontados e experimentam a síndrome de Paris (um distúrbio psicológico devido a falsas expectativas) depois de visitar a cidade e até recorrem a psicólogos.

Para evitar surpresas inesperadas entre os futuros visitantes, o Incrível.club decidiu contar com a confeiteira Marie Troïtskaia, que há 3 anos se mudou para Paris para descobrir o que realmente acontece na “cidade do amor”.

1. Paris é uma cidade pouco ensolarada

Quando vemos os cartões postais da Torre Eiffel banhados por um sol radiante, pensamos que a cidade desfruta de um excelente clima, já que a chuva está associada mais a Londres e não a Paris! Só que a capital da Inglaterra ocupa a 33ª posição no ranking das cidades mais chuvosas, enquanto a capital da moda é a de número 24.

E há realmente momentos em que o tempo me lembra uma cidade do norte junto com todas as piadas dos Cinquenta tons de cinza. De novembro a março, pode ser considerado o Dia da Marmota, onde todas as manhãs tem-se uma leve garoa constante e um céu coberto de nuvens. O problema é pior em casas que têm um aquecimento fraco e alta umidade. Portanto, no inverno, muitas vezes você tem que usar um casaco quente dentro do apartamento.

2. As francesas não têm segredos

É interessante que a “Meca da moda mundial” não pode se gabar de ter habitantes do sexo feminino com estilo. Os chamados “segredos de estilo das francesas” definitivamente foram inventados por revistas estrangeiras. Em Paris, é mais fácil encontrar homens de todas as idades bem arrumados e elegantes. No entanto, para encontrar uma parisiense bem vestida, você tem que andar pelas ruas por um longo tempo.

As mulheres não gostam de muita maquiagem, preferem roupas brancas, cinzentas e pretas largas, sapatos sem salto e nada de penteados. Eu notei que eu mesma caí sob a influência deste estilo. O rímel nos cílios e as unhas de gel, comuns para muitas mulheres, aqui se transformam na pergunta: você tem um evento importante? Então, quando chegar à capital da moda, ousadamente rejeite vestidos, roupas chamativas, maquiagem e penteado, só assim vai parecer uma francesa.

3. Há bairros em que é melhor não ir

Como em qualquer cidade grande, em Paris há bairros ricos e outros nem tanto. Ao planejar uma viagem, é preciso pesquisar com cuidado para não se decepcionar. É melhor ficar no centro para estar a poucos passos das atrações turísticas e economizar em transporte (claro, a diária será mais cara). Aliás, nem sempre é melhor procurar um hotel, porque mesmo nos caros as condições podem não ser as melhores. Será mais barato e conveniente encontrar um apartamento no Airbnb.

Eu aconselho evitar os bairros em torno das estações Gare do Norte e do Leste, os bairros ao norte de Montmartre, os subúrbios de Montreuil, Saint-Denis, Porte de la Chapelle e Aubervilliers (as áreas vermelhas no mapa). A margem esquerda do Sena e o sul são mais calmos. Em geral, Paris é uma cidade segura, mas você sempre tem que cuidar de suas malas e celulares em áreas cheias de turistas.

4. A capital é muito cara

Em 2019, Paris foi nomeada uma das cidades mais caras do mundo. Existe uma percepção de que as lojas atribuem um zero adicional a qualquer item simplesmente porque é vendido aqui. Um exemplo curioso: um pepino no supermercado pode custar mais de 1 euro (quase 4,50 reais); uma salada pronta para comer, de 8 a 10 euros (de 35 a 45 reais); uma noite em um hotel 3 estrelas, entre 100 e 150 euros (entre 450 e 660 reais).

Em relação a isso, é importante planejar seu orçamento com antecedência. Por exemplo, nunca peça café no terraço de uma cafeteria, em 90% dos casos ele será caro e terá um gosto ruim. Não coma em restaurantes onde o cardápio está em todas as línguas do mundo. Os estabelecimentos turísticos geralmente economizam em produtos e usam congelados semiprocessados. No entanto, nos supermercados, você pode facilmente encontrar um delicioso vinho, queijo e baguete por apenas um euro (cerca de 4,50 reais). Meus amigos e eu brincamos, nossa fórmula favorita é “1 + 1 + 1”: com 3 euros (13,50 reais) você pode jantar muito bem com vista para o rio Sena.

5. A cidade não é tão limpa como parece

Em 2017, Paris foi visitada por 40 milhões de pessoas, um número recorde. Não é de surpreender que, com um número tão grande de visitantes, seja difícil para a administração manter a limpeza. Os pombos estão em muitas praças e, como são aves portadoras de doenças, é melhor não alimentá-las.

No entanto, o ar da cidade é bastante limpo e fresco graças ao grande número de parques e jardins. O lado sudoeste é mais limpo do que o sudeste, então recomendo procurar alojamento por lá.

6. Os sem-teto fazem suas casas nas ruas

Na cidade, há realmente muitos moradores de rua, que são tratados pelo governo e pelos habitantes locais de maneira muito tolerante e até fazem todo o possível para ajudá-los. Alguns deles dormem pacificamente em sacos de dormir, outros fazem casas com objetos encontrados às vezes até na rua. À tarde, voluntários e jovens ciclistas ajudam. Periodicamente, o governo organiza grandes ações de apoio e distribuição de comida gratuita no centro da cidade (ao lado de Châtelet), onde uma multidão de moradores de rua e sem-teto se reúne.

Tenho regularmente observado como os parisienses cumprimentam as pessoas que moram nas ruas e perguntam como vão. A única coisa que causa desconforto é quando mendigos entram no ônibus com seus pertences. Eu imediatamente saio de perto, enquanto os franceses, corteses, cobrem o nariz sem dizer uma palavra.

7. É melhor se preparar psicologicamente para o metrô parisiense

Comparado com outros metrôs do mundo, o de Paris pode causar uma grande comoção. Muitas estações estão em estado de reforma permanente, com o estuque destruído e os cabos pendurados por todos os lados. Também têm um cheiro desagradável. Em quase todas as estações você pode encontrar mendigos dormindo. Nas linhas 5, 13 e 7 é preferível viajar em pé, já que os mendigos costumam passar a noite lá.

Muitas vezes, os turistas acham que a estrutura do metrô de Paris é bastante confusa, embora na realidade a localização das estações seja muito cômoda. Você pode alcançar qualquer ponto do mapa em 20 ou 30 minutos. Mas, ao mesmo tempo, o sistema não levou em conta pessoas com certas necessidades. Honestamente, eu não consigo imaginar como pessoas idosas e cadeirantes descem até o metrô. Existem escadas rolantes instaladas em apenas algumas estações. Para fazer uma baldeação, é necessário passar por 3-4 lances de escadas.

8. Alguns parisienses vivem em apartamentos de 8 metros quadrados

A busca por apartamentos em Paris torna-se um jogo complicado que pode durar alguns meses. Há mais demanda para viver na cidade do que oferta. Até 50 pessoas podem ver um pequeno apartamento. Para agradar o proprietário, você tem que preparar uma pasta detalhada com documentos sobre sua renda, que deve ser várias vezes superior ao valor do aluguel.

Alguns franceses, na maioria estudantes, vivem em apartamentos de 12 metros quadrados nos últimos andares, sem elevador e um banheiro compartilhado, pagando 450 a 600 euros por mês (de 1.700 a 2.650 reais). Nos primeiros 8 meses eu vivi em um apartamento de 8 metros sem janela e o chuveiro ao lado da cama. À minha pergunta sobre o motivo pelo qual o agente imobiliário não me avisou sobre a falta de janela, eles calmamente me explicaram que o anúncio não mencionava nenhuma.

9. À tarde há muitos ratos no cais

“Executamos neste local uma operação de extermínio de ratos”

Paris tem o dobro de ratos em relação ao de habitantes. Devido ao trabalho de dedetização, há parques e praças que estão fechados. Frequentemente eles podem ser vistos na Île de la Cité e no bairro Châtelet. À noite, os roedores saem de suas tocas. Assim, para evitar encontros desagradáveis, vale a pena recusar passeios românticos ao longo do calçadão do rio Sena ou um piquenique na Île de la Cité. O mesmo acontece com as casas nas ilhas de Paris. Há casos em que hóspedes indesejados esperam pelo proprietário do apartamento diretamente nas mesas.

10. Nem todas as padarias vendem croissants deliciosos

Não espere que qualquer bolo comprado seja uma obra de arte. Nem todas as padarias podem se orgulhar de um croissant crocante e macio. Nas vitrines, frequentemente você pode ver os últimos pães com uma cobertura açucarada medíocre e bolinhos deformados. Portanto, antes de comprar, é preciso ver as resenhas e avaliações no Google ou no TripAdvisor. O meu preferido em Paris é o croissant com lichia, framboesa e rosa de Pierre Hermé. Todos os parisienses sabem como é importante encontrar a sua baguete e seu pain au chocolat perfeitos.

11. Os franceses não são o povo mais sorridente

Uma vez na França, você vai enfrentar uma incrível cortesia e educação. E tem que estar pronto para repetir 20 vezes por dia “Bom dia”, “Tenha um bom dia”, “Desculpe”. Mas não espere sorrisos deslumbrantes como em outros países. Os franceses são muito moderados em seus sentimentos. Até parece que na língua não existem muitas palavras que transmitam alegria e felicidade.

No entanto, você pode contar com sua franqueza, já que os moradores locais expressam sua alegria apenas quando realmente a sentem. Para encontrar um amigo verdadeiro, é preciso passar juntos pelo bem e pelo mal, e só então, os franceses se abrirão e confiarão em você.

Mas, apesar de tudo, Paris é um mundo mágico!

Apesar de todas as sutilezas inesperadas e desvantagens evidentes, Paris continua a deslumbrar com a sua beleza e grandeza. Ela tem uma gama de impressões e é nisso que consiste sua exclusividade. As antigas ruas estreitas do Marais e do Quartier-Latin, a ampla avenida Baron Haussmann, a arquitetura moderna de La Défense, os locais emblemáticos do cinema e as praças repletas de flores... Todo mundo pode encontrar seu lugar favorito, seu refúgio de tranquilidade em uma megalópole cultural. Aqui há produtos deliciosos e de alta qualidade, uma boa ecologia e as pessoas estão sempre dispostas a ajudá-lo.

Mesmo depois de 3 anos, toda semana eu continuo descobrindo lugares incríveis. Por que gastar tempo e esforço em emoções negativas, se você pode admirar a beleza do seu entorno a qualquer hora?

E você, já esteve na capital da França? Quais suas impressões após a viagem?

Imagem de capa Depositphotos