Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

11 Cidades que mudaram radicalmente para salvar o planeta

Quanto mais rápido as geleiras derretem na Antártida, mais as pessoas param para pensar sobre o meio ambiente e que a poluição do ar e o aquecimento global estão chegando. Os cientistas acreditam que a má qualidade do ar mata mais pessoas do que o tabaco. Portanto, as autoridades de diferentes cidades tentam assimilar um novo estilo de vida e habituar seus moradores.

No Incrível.club analisamos cidades que já iniciaram esse caminho em direção à melhoria e estão dispostas a mostrar seus resultados. Embora também existam aquelas que estão dando os primeiros passos na luta por um planeta que respeite o meio ambiente.

1. Em Oslo, os estacionamentos se transformam em ciclovias

No centro de Oslo, as áreas de estacionamento em vias públicas tornaram-se ciclovias, bancos e pequenos parques. No início de 2019, a cidade concluiu o processo de eliminação de outros 700 estacionamentos como forma de incentivar as pessoas a não entrarem nesta parte da cidade com o carro. Ao mesmo tempo, especialistas urbanos acrescentaram várias estações de carregamento para veículos elétricos e adaptaram mais vagas para motoristas com algum tipo de deficiência.

2. A prefeitura de Buenos Aires coloca vasos com flores nas avenidas, para maior segurança dos pedestres e ciclistas

Uma enorme avenida em Buenos Aires, que anteriormente abrigava até 20 pistas, agora é ocupada apenas por ônibus. Quando essas mudanças ocorreram na cidade, o tempo necessário para os moradores chegarem ao trabalho foi reduzido drasticamente.

Eles também conseguiram se livrar dos automóveis, transformando um trecho de aproximadamente 100 quadras em passeio público.

Além disso, nos movimentados cruzamentos da cidade, é preciso ter cuidado para garantir que as avenidas estejam bem sinalizadas, então vasos de flores foram colocados ao longo delas para torná-las tão seguras quanto possível para pedestres e ciclistas. Desta forma, as autoridades estão colocando em prática o método conhecido como urbanismo tático, que envolve reformas de baixo custo em áreas já construídas, destinadas a melhorar os bairros e áreas concorridas.

3. Londres reduz a rua em benefício dos pedestres

Em 2003, o governo de Londres impôs um pagamento pela entrada no centro da cidade durante os horários de pico. Em 2010, começaram a abrir as primeiras ciclovias nas rotas movimentadas. E já em 2019, o desenvolvimento de uma nova estratégia de transporte foi concluída para melhorar a qualidade do ar e reduzir o ruído, substituindo veículos por carros de emissão zero.

E para lidar com o problema da poluição do ar associada ao crescimento da população, um plano especial para a cidade também foi desenvolvido. Consiste em liberar metade das ruas do tráfego de automóveis para a passagem de pedestres e um limite de velocidade de 24 quilômetros por hora. Também está prevista a construção de ciclovias protegidas na maioria das ruas principais.

4. Seul planeja se livrar completamente de carros “poluidores” até 2020

Em 2017, Seul completou a transformação da rodovia em uma estrada de pedestres semelhante ao High Line, um parque elevado em Nova York. Mais de 10 milhões de pessoas já aproveitaram essa nova infraestrutura. Graças a isso, o volume de negócios melhorou na área do parque: as vendas aumentaram 42%.

Até 2025, o governo da cidade planeja lançar 3.000 ônibus elétricos, bem como melhorar suas rotas para encorajar as pessoas a escolher o transporte público no lugar do carro.

5. Madri livrou o centro do tráfego

Se você não mora no centro de Madrid, há uma grande probabilidade de que não possa mais chegar lá com seu carro particular. Em novembro de 2018, limitações começaram a ser impostas para acesso ao centro da cidade de meios de transporte que poluem o meio ambiente. Depois que as novas regras entraram em vigor, o tráfego caiu 32% e isso aconteceu muito rapidamente.

O projeto para introduzir a chamada “zona de emissão zero” é pensado para limpar o ar no centro da capital. Inspirado pelo sucesso da iniciativa, o governo da Espanha propôs proibir também em outros centros urbanos, de todo o país, o trânsito de qualquer veículo que não seja elétrico (ou seja, com emissões zero).

6. Em Pequim, os carros só podem ser usados em determinados dias da semana

Em Pequim, os motoristas, apesar de terem permissão para dirigir carros poluentes, estão limitados em termos de tempo de uso, de acordo com a placa. Se terminar em um certo número, o carro só poderá rodar em um dia específico da semana. A administração da cidade também oferece pequenos incentivos financeiros para pessoas que optam por não dirigir no dia do seu rodízio. E nas novas zonas o governo decidiu proibir qualquer carro particular, com exceção dos elétricos.

7. Em Paris, uma estrada movimentada tornou-se um passeio público

Em 2017, uma estrada ao longo do Sena tornou-se uma avenida e um parque sem carros. Esta é uma das etapas no trabalho contínuo da cidade para reduzir a poluição, diminuindo o tráfego de carros. Há também uma restrição ao acesso a carros antigos e poluidores durante a semana. Até 2024, as autoridades locais estão planejando proibir completamente os carros a diesel e, em 2030, os carros movidos a gás.

8. A Índia concluirá uma transição completa para veículos elétricos até 2024

Até recentemente, caminhar e fazer compras em uma rua movimentada em Chennai significava passar por um monte de carros e ciclo-riquixás. Mas agora esta área tornou-se uma praça de pedestres, cuja construção terminará neste ano. Além disso, o governo da Índia afirmou que, até 2030, todos os carros deverão ser elétricos.

9. Copenhague está criando uma grande ciclovia

Hoje, mais da metade da população de Copenhague vai para o trabalho de bicicleta. O programa dinamarquês para a criação de zonas de pedestres começou na década de 1960 e, hoje, a capital da Dinamarca tem mais de 300 quilômetros de ciclovias e uma das menores porcentagens de carros particulares na Europa. A última etapa de seu projeto foi construir uma grande ciclovia, que abrange todos os bairros. A primeira das 28 rotas planejadas foi inaugurada em 2014, outras 11 estavam prontas em 2018. Também está previsto que a cidade reconheça a marca de zero carbono até 2025.

10. Em Berlim, uma ciclovia é construída longe das ruas

Em 2017, foi realizado um estudo encomendado pelo Departamento de Meio Ambiente, Transporte e Proteção Climática de Berlim, cujo resultado foi a reconstrução de até 12 vias para convertê-las em ciclovias. Esta foi uma das primeiras tentativas da cidade de criar melhores condições para um transporte ainda mais seguro. O principal objetivo do governo é aumentar o número de bicicletas nas ruas para chegar a 2,4 milhões até 2025.

11. A Geórgia descarta completamente a fabricação e o uso de polietileno

Em abril de 2019, o Ministério de Proteção Ambiental e Agricultura da Geórgia, no leste europeu, impôs a proibição da produção, uso e importação de sacolas de polietileno. Eles propõem introduzir o uso de sacolas biodegradáveis, que se desintegram em menos tempo e causam menos danos ao planeta. Se alguém violar a proibição, os policiais começarão com um aviso. Se os empresários insistirem, terão que pagar uma multa em primeira instância de mais de 185 dólares, dependendo do câmbio com a moeda local, e a próxima sanção punição chega a cerca de 370 dólares.

E o que você faz para proteger o meio ambiente?

Imagem de capa juanjom / Twitter