Incrível
Incrível

10 Provas de que o Big Brother de outros países pode ser mais excêntrico que o nosso

Você conhece um reality show mais atípico do que o Big Brother? Provavelmente não. Se no Brasil ele dá o que falar, no exterior o programa também cria situações que levam os espectadores à loucura, como montar duas casas, colocar trigêmeas para se passar por uma pessoa só e transmitir o nascimento de um bebê. Certamente ainda há mais por vir. Afinal, o formato permite variar e trazer novidades para conquistar ainda mais o coração de milhões de pessoas ao redor do mundo.

Incrível.club trouxe alguns fatos que mostram como o Big Brother ao redor do mundo pode ser bem inusitado, rivalizando com algumas cenas que já vimos no nosso querido BBB. Duvida? Então dê uma olhada!

1. Não nasceu, estreou

Na terra-natal do Big Brother, a Holanda, aconteceu uma das cenas mais inusitadas da TV mundial. Em 2005, Tanja Savanna já estava no sétimo mês de gestação quando entrou no programa. Após sentir as contrações, ela percebeu que daria à luz ali mesmo. Com a presença da avó materna, Joscelyn nasceu em frente às câmeras — que focaram no rosto da mãe —, mas a transmissão só foi feita horas depois. A criança ficou no programa em um quarto separado e só poderia ser filmada duas horas por dia.

2. É proibido cantar

No Big Brother Brasil, os participantes adoram soltar a voz, só que não são todas as versões do programa que permitem isso. Por questões ligadas a direitos autorais, em certas edições, os brothers não podem cantar ou fazer referências a filmes. Quando isso acontece ao vivo, a transmissão é interrompida e a direção dá uma advertência ao infrator.

Os participantes também não podem conversar sobre a produção do programa nem contar o que falaram no confessionário, pois esse espaço é apenas para se comunicar com o público.

3. Nem sempre o público tem poder no Big Brother

O voto da audiência é um fator em comum na grande maioria dos Big Brother mundo afora, inclusive nosso BBB é recordista mundial de participação do público. Só que a dinâmica em alguns países funciona diferente. O líder sozinho indica dois participantes para sair e os confinados decidem quem vai embora. No fim, sobram três e o ganhador é escolhido por um júri formado pelos eliminados.

Os espectadores entram em cena apenas quando acaba o programa, para escolher o “queridinho” do público na casa.

4. Recordista de confinamento e ainda queria mais

Na história do BBB, Natália Casassola foi quem mais apareceu no programa, tendo participado das edições 4, 8, 10 e 13. Já o Big Brother mais longo do mundo foi a quinta edição da Alemanha. Na temporada de 2004, o ganhador, Sascha Sirtl, passou exatos 365 dias dentro da casa. Ele competiu com outras 58 pessoas por 1 milhão de euros.

Mas parece que o brother achou pouco, pois, quatro anos depois, entrou no programa novamente e ficou mais quatro meses trancafiado.

5. Gêmeas em fuga

No quinto dia do Big Brother 17, no Reino Unido, as gêmeas Emma e Victoria decidiram que “já tinha dado para elas”. Como a saída foi negada pela produção, elas fugiram pelos bastidores e causaram furor por trás das câmeras, sendo alcançadas por seguranças. No dia seguinte, Emma decidiu voltar, enquanto sua irmã permaneceu fora. Dias depois, a gêmea que ficou tentou fugir novamente e foi expulsa devido a essa segunda tentativa. Já imaginou se isso acontece no BBB?

6. Big Brother continental

Big Brother Brasil já teve diversos participantes estrangeiros, como Kaysar, Antonela e Serginho. Mas o Big Brother África quis internacionalizar ainda mais e reuniu pessoas de 14 países em Joanesburgo, África do Sul, por duas temporadas. A primeira aconteceu em 2003 e teve como vencedora a zambiana Cherise Makabale. Já a segunda foi em 2007 e quem ganhou foi o tanzaniano Richard Bezuidenhout.

7. Brothers distraídos na Bulgária

Coloque trigêmeas se passando por uma pessoa só. Se ninguém descobrir a pegadinha, elas passam, oficialmente, a fazer parte da casa. Esse foi o desafio posto em prática pelas irmãs Lyubov, Nadejda e Vyara no BBB 3, só que na Bulgária.

Enquanto duas ficavam em um quarto secreto, uma convivia com os moradores da casa. Elas deveriam se revezar e fazer de tudo para que ninguém descobrisse. Como esse fato passou despercebido, elas entraram e Lyubov foi a campeã da edição. Bem que o Boninho poderia trazer essa ideia para o Brasil, não acha?

8. Sem limite de idade

Ainda que a maioria dos participantes seja jovem, o Big Brother constantemente seleciona pessoas com mais idade. No Brasil, a pessoa mais experiente que já participou do programa foi Ieda, no BBB17. Entretanto, a recordista mundial nessa categoria foi a astróloga e mãe do ator Sylvester Stallone, Jackie Stallone, que entrou no programa quando tinha 83 anos.

No Celebrity Big Brother 3 dos EUA, em 2005, ela teve de dividir espaço com a ex-nora, com quem não tinha uma boa relação. Após desentendimentos com ela e outros integrantes, Jackie foi eliminada depois de apenas quatro dias.

9. Porque um quarto secreto é pouco

BBB costuma usar o recurso do “quarto secreto”, mas o Big Brother 17 do Reino Unido foi além e estreou com duas casas. A primeira abrigava os participantes principais, que eram falsamente eliminados para a segunda, onde havia menos privilégios. Já quem estava nessa deveria cumprir tarefas para se juntar aos colegas mais favorecidos. Apesar de todos serem reunidos após alguns dias, a segunda casa foi muito útil quando a principal inundou devido a uma tempestade.

10. Bilhetes aéreos

Uma mania inusitada tomou conta dos céus portugueses. No Big Brother 2020, familiares e fãs dos concorrentes passaram a usar faixas em aviões para mandar mensagens de apoio e até códigos sobre alguns acontecimentos que estavam ocorrendo dentro e fora da casa. O recurso foi tão usado que chegou a ter quatro aeronaves por dia sobrevoando a casa e, pelo menos, 71 durante todo o programa. Já imaginou se essa moda pega no Brasil?

Você se lembra de algum fato ou situação sobre o Big Brother Brasil que supera os citados aqui? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar este artigo