Incrível
Incrível

10 Fatos sobre táxis que você precisa conhecer antes da sua próxima viagem

É impossível saber exatamente quantos táxis existem no mundo, mas o número é estimado entre 17 milhões e 32 milhões de veículos. E como bem sabemos, os taxistas acabam tendo contato com centenas de pessoas todos os meses. Se você estiver entre os usuários frequentes do serviço, talvez pense saber tudo a respeito dele. Só que certos fatos tendem a ser desconhecidos pelo grande público, quando o ideal seria justamente o contrário.

Incrível.club preparou uma lista com 10 verdades envolvendo o serviço profissional de táxi para que você não corra o risco de ser pego de surpresa.

1. Há motoristas que faturam mais fazendo trajetos maiores

Ao entrar em um táxi, você não necessariamente precisa dizer a verdade caso o motorista pergunte para onde está indo. Talvez, a motivação para fazer a pergunta seja saber se você teria condições de identificar uma eventual rota mais longa. Quando o usuário afirma conhecer o caminho, o motorista entende que a pessoa conhece os arredores e não pode ser enganada. Logo, pode ser uma boa ideia mentir, ainda que nunca tenha estado naquele local antes. Afinal de contas, a estratégia talvez signifique economia de dinheiro.

2. É bom se preocupar se o motorista disser que você está atrasado

Você está com uma pressa daquelas, seu táxi não está exatamente no horário e, ao entrar no carro, você pede ao motorista que acelere. A primeira coisa a saber é que dificilmente o taxista atenderá à solicitação, por se importar com a segurança, tanto do carro quanto de todas as pessoas. Além disso, o profissional saberá logo de cara se você conseguirá ou não chegar a tempo. Assim, caso ele diga que você vai se atrasar, é bem provável que seja verdade. E aí, não há muito o que fazer. Como mencionamos, dificilmente ele irá exceder os limites de velocidade.

3. Eles podem recusar o serviço se não forem com a cara do cliente

Motoristas de táxi podem recusar uma viagem caso considerem que o carro corre o risco de ser danificado pelo passageiro. Eles têm o direito de colocar o viajante para fora caso a pessoa aja de forma mal-educada ou apresente ameaça à segurança.

4. Em alguns países, os táxis possuem botões de pânico

Em Bangkok, botões de pânico em táxis são realidade desde 2018, com cerca de 2 mil carros contando com o dispositivo. Tais botões foram projetados essencialmente para proteger passageiros diante de eventuais comportamentos inadequados dos motoristas. Já em Nova York, porém, os mesmos botões ainda estão em fase de discussão.

Caso a administração da cidade resolva adotar a funcionalidade, a ideia será proteger tanto taxistas quanto usuários. Quando ativado, o botão acenderá luzes nas laterais do veículo, atraindo a atenção da viatura policial mais próxima.

5. A melhor forma de chamar um táxi na rua

O primeiro passo é ficar no começo do quarteirão, logo após a esquina. Assim, o motorista de táxi perceberá sua presença com mais facilidade. O ideal é posicionar-se no limite da calçada e acenar com a mão ao ver um táxi se aproximando. Evite fazer movimentos muito amplos, e não se esqueça de fazer contato visual com o motorista. É preciso deixar claro que você não está acenando para outra pessoa e que quer utilizar o serviço.

6. Caso prefira uma viagem em silêncio, é só pedir

As pessoas não chegam a um acordo quando o assunto é conversar ou não com o motorista. Para quem prefere viajar em silêncio, o Uber criou uma funcionalidade em 2019 para que o profissional saiba como o passageiro lida com a questão da conversa. Se outros aplicativos de transporte não possuírem a mesma facilidade, você pode deixar isso claro por meio de uma mensagem prévia ou simplesmente pedir, com educação, que o motorista pare de falar. E não há motivo para ser grosseiro ou ignorar o motorista, mexendo no celular o tempo todo. Um aviso simples e educado resolve tudo.

7. Eles esperam do lado de fora de aeroportos e clubes ainda que não possam fazê-lo

Muitos táxis ficam esperando nas proximidades de espaços movimentados, como estações de trem e aeroportos, na tentativa de conseguir mais passageiros. Entretanto, nem sempre eles são autorizados a estar ali. Pegar um carro não autorizado dentro de um aeroporto pode não ser um grande problema, mas o usuário acaba encorajando a prática. Em vez de entrar em qualquer táxi, dirija-se à fila designada ou peça um carro via aplicativo.

8. Nem sempre as estimativas de valor são precisas

Em certas ocasiões, os motoristas dão uma estimativa mais baixa de valor quando perguntados sobre o assunto. Muita gente tende a ficar desconfiada, achando que o profissional está tentando “passar a perna”. No entanto, é perfeitamente possível que o motorista cometa erros honestos, pois nem sempre ele mesmo consegue dizer com certeza quanto ficará a viagem — o que depende, não apenas da distância, mas também dos índices de congestionamento, por exemplo. Portanto, da próxima vez em que pedir uma previsão de preço da corrida, entenda que a viagem talvez custe mais do que o estimado pelo motorista.

9. Se seu carro for roubado, avise não só a polícia, mas também as empresas de táxi

Os taxistas estão nas ruas o tempo todo. Portanto, têm maiores chances de avistar um veículo roubado. Por isso, além de avisar a polícia, você pode ligar também para algumas empresas de táxi para informar a respeito do roubo. Se possível, diga que está disposto a oferecer uma recompensa ao taxista que localizar seu veículo, de modo a criar um fator de motivação.

10. Se você pagar com dinheiro, talvez ganhe um desconto

Muitas empresas de transporte pessoal cobram de 2% a 4% por transação com cartão, o que significa menos dinheiro para o motorista. Além disso, caso o profissional precise fazer manualmente a transação, é possível que as taxas sejam ainda mais altas. Assim, caso queira ganhar um desconto, diga ao motorista que pode pagar com dinheiro, podendo até incluir uma gorjeta. A maioria certamente concordará em fazer um valor menor pela corrida em comparação com uma viagem paga com cartão.

Ficou surpreso com alguma das revelações feitas neste post? Você é daqueles passageiros que gostam de conversar com o motorista? Ou prefere fazer a viagem em silêncio? Comente!

Imagem de capa Depositphotos.com
Compartilhar este artigo