Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Um pombo que não consegue voar conheceu um cãozinho que não anda (e os 2 se tornaram melhores amigos)

Melhores amigos não precisam, necessariamente, ser iguais em tudo. Ao contrário, podemos formar um ótimo time com pessoas e até animais totalmente diferentes de nós. A dupla que mostraremos no post de hoje é um exemplo perfeito desse tipo de amizade.

Nós, do Incrível.club, gostaríamos de contar a história de Herman, um pombo, e Lundy, um filhote de cão, mostrando que não há limites para uma amizade verdadeira.

O pombo que não pode voar

Em 2018, um pombo foi trazido para a The Mia Foundation (Fundação Mia), uma organização de resgate de animais com defeitos congênitos localizada em Rochester, Nova Iorque. O pombo foi encontrado em um estacionamento, onde permaneceu imóvel por 3 dias, na calçada.

A pessoa que o resgatou percebeu que ele não conseguia voar e queria sacrificá-lo, mas Sue Rogers, fundadora da entidade de resgate, decidiu cuidar dele.

Por um tempo, ela alimentou Herman (como chamavam o pombo) com a ajuda de um tubo e o levou para espaços livres todos os dias, para ajudá-lo a se recuperar mais rapidamente. Logo a ave ficou bem, mas, infelizmente, nunca recuperou sua capacidade de voar. Foi assim que Herman se tornou residente permanente da Fundação Mia.

Pouco mais de um ano depois da chegada de Herman, em janeiro de 2020, um filhote de Chihuahua de 4 semanas chegou à organização e o simpático pombo foi um dos primeiros animais a ter contato com ele.

O cachorro que não consegue andar

Lundy, como foi chamado, foi trazido à fundação por um criador da Carolina do Norte, que havia notado que o cãozinho estava tendo problemas para caminhar. Quando ele perdeu completamente o movimento das pernas traseiras, esse mesmo criador ligou para Sue para perguntar se ela poderia levá-lo para a Fundação e ela concordou.

Quando chegou o resgate, Lundy, de 170 gramas, era tão pequeno que cabia facilmente no bolso de uma camisa. Os veterinários ainda não sabiam o que havia de errado com ele. Achavam que provavelmente sofria de hidrocefalia, uma condição que afeta principalmente cães pequenos e que pode levar a danos cerebrais.

Amor à primeira vista

Depois de uma de suas caminhadas regulares com Herman, Sue colocou o pássaro sobre uma cama de cachorro e começou a cuidar de Lundy. Foi então que os 2 animais se conheceram.

No início, a fundadora da entidade estava um pouco insegura sobre como reagiriam, então ficou de olho neles. Mas no final percebeu que não tinha motivos para se preocupar, pois, para sua surpresa, a dupla começou a se abraçar quase imediatamente. O momento foi tão doce que Sue rapidamente pegou uma câmera e tirou algumas fotos. Mais tarde publicou as imagens no Facebook.

Hoje Herman e Lundy são inseparáveis e geralmente se abraçam nas instalações da fundação.

O futuro da amizade

Sue acredita que os problemas de mobilidade do filhote podem estar relacionados a danos na medula espinhal, mas ainda não tem certeza. Depois de aprender mais sobre o motivo da doença, ela apresentará um plano para tratá-lo. Provavelmente será construída uma pequena cadeira de rodas para Lundy e ele será oferecido a uma família que esteja pronta para adotá-lo.

Quanto a Herman, provavelmente ficará sob os cuidados de Sue pelo resto da vida, a menos que alguém o adote junto com seu melhor amigo.

Você tem seus próprios exemplos de amizades incomuns? Conte-nos suas histórias nos comentários!

Compartilhar este artigo