Seu cérebro pode diminuir com o estresse, mas é possível evitar esse transtorno

“O que não mata, fortalece” pode ser uma frase motivacional, mas quando se trata dos efeitos do estresse em seu cérebro, isso não é totalmente verdade. Você pode não ceder para a tensão, mas pode literalmente ficar mais fraco. Se você estiver estressado a maior parte do tempo, a sua saúde estará em perigo a ponto de até o seu cérebro encolher! Mas nem tudo está perdido, porque você ainda pode impedir que o estresse domine seu corpo.

Incrível.club investiga as maneiras pelas quais o estresse pode diminuir o seu cérebro e o que fazer para controlá-lo.

O estresse é um amigo e um inimigo

O estresse não é de todo ruim. Ele é realmente importante para nós, por exemplo, quando precisamos de foco e energia extras quando estamos em uma competição ou falando em público. Mas quando é excessivo, como quando você está sobrecarregado ou está em uma grande discussão, ele pode realmente mudar seu cérebro de uma maneira terrível. Estar sempre estressado pode resultar em dores de cabeça, dores de estômago, pressão alta, dores no peito e insônia.

Muito estresse pode diminuir o seu cérebro

Um estudo de 2018 publicado na revista Neurology mostrou que aqueles com altos níveis de estresse tiveram pior desempenho nos testes de memória e seus cérebros se tornaram menores do que aqueles com níveis mais baixos. Esse encolhimento cerebral afeta a parte do cérebro responsável pela memória e pelo aprendizado; portanto, quanto mais crônico for seu estresse, maior a probabilidade de você ter uma memória prejudicada e achar difícil aprender coisas novas.

Esse tipo de efeito pode estar associado a um risco maior de demência, de 10 a 20 anos depois, disse a Dra. Sudha Seshadri, uma das autoras do estudo. Também pode levar a sérios problemas mentais como a depressão.

Mas você pode manter seu nível de estresse sob controle

Mexa seu corpo! O exercício aeróbico regular pode melhorar a função da memória e manter a saúde do cérebro à medida que envelhecemos, segundo um estudo liderado pela Austrália. O exercício libera endorfina, o hormônio que dá uma sensação positiva ao corpo.

Durma o suficiente. O corpo é curado e é restaurado quando você está dormindo. Se você não tiver tempo suficiente de sono, os riscos de saúde aumentam e isso pode contribuir para o estresse.

Cuide do que você come. Comer adequadamente pode afetar seu humor e nivelar seus níveis de estresse. Fazer refeições regulares e saudáveis e reduzir a ingestão de cafeína também pode ajudar a reduzir o estresse.

Esteja perto de seus entes queridos. Ter boas relações para encontrar apoio é sempre útil na luta contra o estresse. Socializar com amigos e familiares produz o hormônio “sentir-se bem”, chamado ocitocina, que pode reduzir a ansiedade.

Tire um tempo. Faça uma aula de ioga ou meditação, faça uma massagem ou dê uma pequena escapada para ajudá-lo a relaxar e ter algum tempo para si mesmo. Se você se afastar um pouco da agitação da sua vida diária, poderá ter a tranquilidade da qual precisa.

Alguns dizem que o estresse não é o culpado...

Embora as descobertas sejam sérias, o Dr. Sudha Seshadri alertou que, mesmo que pareça haver uma ligação, o estresse possa não ser realmente o responsável pela diminuição do tamanho do cérebro. O estudo usou os níveis de cortisol para medir os níveis de estresse, porque o cérebro produz cortisol quando estamos estressados.

No entanto, o cortisol também pode ser produzido por inflamação, disse Bruce McEwen, neurocientista da Universidade de Rockefeller, em Nova York, que não participou da pesquisa. Portanto, os níveis de cortisol no estudo podem não ser 100% causados pelo estresse.

Esse estudo fez você pensar em como está estressado no momento? Acha que mantém um nível saudável de estresse ou já está com sua saúde prejudicada por ele? Comente!

Illustrated by Polina Koshel exclusivo para Incrível.club
Compartilhar este artigo