Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Pais que não deixam os filhos ajudarem nas tarefas tendem a ter mais problemas quando eles se tornam adolescentes

7-45
638

Algumas pessoas acham que as crianças são frágeis e atrapalhadas demais para ajudar nas tarefas domésticas, mas existem evidências que apontam justamente na direção contrária. Diversas pesquisas concluíram que os pequenos não apenas se interessam em colaborar com os afazeres domésticos, como também executam certas atividades à perfeição. E o melhor é que eles levam tais hábitos para a adolescência e para a vida adulta.

O Incrível.club resumiu as conclusões obtidas por diversos estudos para mostrar o quanto é importante para o futuro das crianças permitir que assumam responsabilidades nas tarefas do lar.

As crianças podem fazer bagunça ou ajudar muito, tudo depende da sua postura

Na civilização ocidental, muita gente pensa que criança é sinônimo de trabalho extra, não de ajudante para pequenos trabalhos — e essas são coisa bem diferentes. São pessoas que simplesmente abrem mão da força que os pequenos podem dar nas tarefas domésticas. Para diversos pais, os filhos são incapazes de executar certos trabalhos em casa de forma satisfatória, o que faz com que fiquem totalmente sobrecarregados. Por outro lado, há aqueles que até querem que as crianças ajudem em casa, mas acabam recorrendo a subornos ou ameaçando os pequenos com a imposição de castigos.

À medida em que enxergamos o trabalho, sobretudo as tarefas domésticas, como atividades que as pessoas normalmente não gostam de fazer, essa é a mensagem que acabamos mandando às crianças. Mas estamos totalmente errados! Estudos revelaram que crianças, até mesmo com 12 meses de vida, desejam naturalmente ajudar. E quando autorizadas, elas continuam se responsabilizando por trabalhos domésticos até chegar à vida adulta. Quando o contrário acontece, os pequenos podem se tornar adolescentes e até adultos que não sentem a necessidade de fazer sua parte ou de ajudar na rotina da casa.

Pesquisadores confirmam que crianças querem ser úteis

A psicóloga de desenvolvimento infantil Harriet Rheingold comandou uma pesquisa que observou como crianças com 18, 24 e 30 meses de vida interagiam com os pais. O responsável pela criança executava tarefas domésticas regulares, como tirar o pó dos móveis, varrer ou pegar objetos do chão para organizá-los, tudo sem pedir ajuda à criança. Os pais receberam a orientação de realizar cada tarefa em um ritmo lento, permitindo que os filhos ajudassem, caso quisessem. No final das contas, todas as 80 crianças participantes se ofereceram voluntariamente para ajudar, realizando metade das tarefas com entusiasmo e motivação.

Em algumas culturas, as crianças são vistas como boas parceiras para o trabalho

Essa não é a primeira vez que crianças pequenas se revelam dispostas a se voluntariar para o trabalho. As descobertas de Harriet Rheingold representam um fenômeno global. Vejamos as comunidades indígenas, por exemplo. Em tais grupos, pais e mães enxergam os filhos como parceiros naturais do trabalho, não como ajudantes. Desde cedo, eles aceitam de bom grado os esforços que as crianças fazem para ajudar, mesmo que elas demorem um pouco mais de tempo na tarefa.

Os indígenas sabem que as crianças que realizam tarefas não apenas se sentem satisfeitas após um trabalho bem feito, mas também levam à vida adulta o hábito de ajudar. Um estudo comparou a frequência com que crianças de 8 anos tomam a iniciativa de executar tarefas domésticas e descobriu que os pequenos que vivem no mundo ocidental raramente se voluntariam, enquanto 74% das crianças de comunidades indígenas fazem isso regularmente.

Não há necessidade de oferecer prêmios — as crianças não estão em busca deles e a recompensa pode acabar jogando contra

E não pense que a vontade infantil de ajudar é motivada pelo interesse por ganhar recompensas, como doces ou algo do tipo. Estudos demonstraram que querer realizar tarefas domésticas não tem a ver com uma motivação externa, e sim interna. É uma maneira que a criança tem de fortalecer seu vínculo com os adultos e de ser útil. Na verdade, quando o costume de ajudar é recompensado, as crianças geralmente se disponibilizam menos em comparação com aquelas que recebem um sorriso honesto e um “obrigado” ao fim de seus esforços.

Isso foi testado em uma experiência na qual um grupo de crianças foi recompensado por ajudar um cientista, enquanto o segundo grupo não recebeu prêmio algum pela mesma atividade. O primeiro grupo continuou auxiliando o pesquisador apenas em 53% dos casos enquanto 89% das crianças do grupo não recompensado se ofereceram para ajudar novamente.

Por isso, na próxima vez em que seu filho se oferecer para ajudar, lembre-se das conclusões obtidas pelos estudos citados neste post e aceite de bom grado o auxílio do pequeno. Assim, você estará ajudando a formar um futuro adulto altruísta e solidário.

Você concorda que permitir que as crianças ajudem em casa estimula nelas a responsabilidade? Em sua opinião, quais as melhores tarefas que os pais podem delegar aos filhos no dia a dia do lar? Comente!

Imagem de capa shutterstock.com
Illustrated by Mariya Zavolokina exclusivo para Incrível.club
7-45
638
Compartilhar este artigo