Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Mães holandesas compartilharam 13 segredos para criar uma criança feliz

2-1-
950

A maneira holandesa de ser mãe não inclui nada de extraordinário no momento de lidar com as crianças, mas parece funcionar muito bem. Até pesquisadores provaram que as crianças holandesas estão muito à frente de seus pares internacionais em termos de bem-estar e felicidade. Portanto, se você quiser saber exatamente o que faz as mães na Holanda se destacarem do resto do mundo, continue lendo este post. Esperamos que você considere úteis as lições que vamos trazer.

O Incrível.club reuniu 13 conselhos de mães holandesas que você pode seguir se quiser criar um filho feliz. Acompanhe!

13. Permita que as crianças durmam mais tempo

O foco no descanso está literalmente gravado na cultura holandesa de parentalidade e educação. Diferentemente de outras nações que tendem a estimular demais os filhos, os pais holandeses geralmente escolhem atividades de menor intensidade em casa, com distrações mínimas. Isso ajuda os filhos a se sentirem mais calmos e a ter um horário de sono mais regular.

Inclusive, alguns estudos afirmam que bebês holandeses, com 6 meses de idade, dormem duas horas a mais por dia se comparados aos bebês americanos. E como os bebês dormem melhor, as mães holandesas dormem melhor e também se sentem mais descansadas.

12. Deixe que elas comam chocolate no café da manhã

Comer chocolate no café da manhã parece uma má ideia, mas não para as mães holandesas. Na verdade, elas acreditam que, se seus filhos podem comer hagelslag, ou chocolate granulado, pela manhã, isso se torna menos tabu e eles aprendem a ter mais autocontrole. O mais importante é ter em mente que tudo é bom com moderação.

11. Mostre que o dinheiro não importa

Os holandeses se concentram principalmente em uma vida simples, com atividades de baixo custo e uma abordagem de retorno ao básico. As crianças estão acostumadas a ter brinquedos de segunda mão, pois sabem que, se querem algo novo, precisam trabalhar para isso. E isso faz com que elas sejam mais pragmáticas e confiantes e a não se preocuparem com seu status financeiro.

Mesmo quando as crianças holandesas comemoram aniversários, elas não esperam por presentes caros ou roupas extravagantes. Existe até um pacto silencioso de que presentes para os aniversários não devem custar mais de 10 euros, cerca de 45 reais. Isso é feito porque, principalmente, as crianças na Holanda devem se reunir para brincar e se divertir, em vez de se exibir com seu dinheiro.

10. Deixe seus familiares passarem mais tempo com elas

A terceirização é uma ótima maneira de ter filhos felizes, e as mães holandesas sabem disso muito bem. Nesse país, as crianças passam muito tempo com os pais, que costumam reduzir suas horas de trabalho em período integral a apenas 4 dias, dedicando pelo menos um dia por semana para passar o tempo com os filhos. Este dia é até chamado de “Daddy Day” (Dia do Papai).

Há também um “Dia da Oma” em que as crianças ficam com os avós em um dia fixo toda semana. Estima-se que 50% a 60% dos avós holandeses estão envolvidos de alguma forma no cuidado infantil, então ninguém fica surpreso ao ver uma avó ou um avô empurrando um carrinho de bebê em um parque público.

9. Incentive-as a expressar sua própria opinião

Em uma família holandesa, todos, inclusive os mais jovens, têm um lugar de fala. Embora às vezes tentar negociar com uma criança de 3 anos possa ser realmente desgastante, as mães holandesas acreditam que a negociação ensina as crianças a definirem seus próprios limites e a expressar o que querem de uma maneira clara.

As mães e os pais holandeses também tentam criar regras com os filhos. Por exemplo, se o seu filho costuma gastar muito tempo nas telas (celulares, tablets, entre outros), basta discutir o assunto com ele e permitir que escolha um período limitado de tempo todos os dias, quando se sentir mais confortável assistindo TV ou mexendo no celular.

8. Crie seus próprios rituais familiares

Um dos pilares mais valiosos da parentalidade holandesa é a rotina. Ela significa previsibilidade, e previsibilidade significa gerenciabilidade. Quando você tem uma agenda rígida, seus filhos sempre sabem quando é hora de comer, tirar uma soneca e brincar com os amigos.

Dessa forma, há menos confusão para os pais — todo mundo sabe o que se espera deles, as crianças não ficam com fome ou sonolentas em momentos inconvenientes e é mais fácil manter hábitos alimentares saudáveis.

Quanto a comer, os holandeses realmente valorizam suas refeições em família. Não se trata de tentar fazer seus filhos comerem legumes no jantar ou cortar calorias ou carboidratos. Para o povo holandês, as refeições em família são sagradas, porque unem a família inteira em conversas apaixonadas e fazem com que se sintam mais próximos uns dos outros.

7. Não as pressione

Em outros países, os pais realmente estimulam demais seus bebês, enfatizando seu desenvolvimento cognitivo e criativo desde tenra idade. Em comparação a isso, os pais holandeses podem parecer um pouco preguiçosos e despreocupados porque apenas deixam seus filhos serem crianças.

Segundo os holandeses, para um bebê recém-nascido o mundo é suficientemente interessante e estimulante, sem outras coisas. Eles têm certeza de que o bebê vai engatinhar, andar e falar quando estiver pronto, sem necessidade de treinamento ou pressão extra, apenas muito amor e interação.

Os pais holandeses também não pressionam seus filhos em termos escolares. Eles não ensinam o alfabeto para as crianças, a pré-escola é principalmente para brincar e as crianças não participam de aulas extras após o horário da escola primária. E a maioria delas tem pouco ou nenhum dever de casa.

Apesar de toda essa aparente negligência no processo educacional, a Holanda é o terceiro país mais bem educado do mundo, logo após a Finlândia e Singapura. A razão para isso pode ser o ambiente livre de estresse que cria uma situação de aprendizado saudável e faz as crianças irem à escola de boa vontade.

6. Deixe-as explorar o mundo por conta própria

O estilo parental holandês é completamente sobre manter o equilíbrio entre o envolvimento dos pais e a negligência branda. As mães não ficam como “helicópteros” pelos playgrounds, tentando manter seus filhos a salvo de todos os perigos do mundo exterior. Em vez disso, elas acreditam que as crianças precisam brincar por conta própria o máximo possível, sem elas para interferirem.

Desde os primeiros anos de escola, as crianças holandesas são incentivadas a criar suas próprias datas de brincadeiras. Os pais conversam entre si e aprovam em que casa os filhos estarão, a que horas os filhos serão levados e assim por diante. Durante esse tempo de brincadeira, as crianças se divertem, brincando com seus amigos e irmãos do lado de fora, sempre sem supervisão.

Isso não significa que os holandeses não estejam preocupados com os filhos. Como todos os pais, eles têm suas próprias preocupações. Mas, em vez de tentar controlar tudo, tentam equipar seus filhos desde pequenos com todas as habilidades que serão necessárias no futuro. Por exemplo, desde os 2 anos de idade, as crianças aprendem as regras básicas de trânsito. E, com 5 anos de idade, todos eles têm seus diplomas de natação.

Essa abordagem minimalista da educação dos filhos ensina as crianças a serem autossuficientes e a aceitarem responsabilidades desde muito cedo.

5. Nunca se esqueça de si mesma

Pais felizes têm filhos felizes — isso pode ser aplicado a qualquer nação, mas é especialmente verdade quando se trata dos holandeses. Aqui, as mães têm uma visão mais realista da criação de filhos e entendem que elas e seus pequenos estão longe de serem perfeitos. Elas nunca se envolvem na “mãepetição” e se sentem mais tolerantes com suas próprias imperfeições e falhas.

As mulheres holandesas também têm um bom equilíbrio entre vida profissional e pessoal. A maioria delas trabalha em período parcial, para que não apenas possam passar mais tempo com os filhos, como também reservar algum tempo para si mesmas. Isso dá a elas uma sensação mais forte de confiança e de bem-estar geral.

4. Deixe-as andar de bicicleta pela chuva

Os holandeses não gostam muito de carros, então seus filhos costumam ir à escola de bicicleta. Mas há um pequeno problema nisso — o clima. Na Holanda, chove muito, há ventos fortes e as temperaturas médias no inverno são de 1ºC a 4ºC. No entanto, nem isso impede os holandeses de andar de bicicleta por toda parte.

Para poder sobreviver a essas condições climáticas, os holandeses simplesmente se vestem e a seus filhos com roupas quentes, casacos impermeáveis e botas de borracha e saem para enfrentar a chuva. Andar de bicicleta na chuva ensina às crianças uma lição poderosa — a vida nem sempre é ensolarada e cheia de arco-íris, e é importante não desistir sob nenhuma circunstância.

3. Converse com elas sobre assuntos íntimos

Pais holandeses conversam com os filhos sobre tudo, não há tópicos proibidos para eles. Assim, a partir dos 4 anos de idade, as crianças são ensinadas sobre como são diferentes umas das outras e o que devem saber sobre isso. À medida que a criança cresce, os tópicos se tornam mais detalhados e explícitos, de modo que, quando se aproximam da adolescência, eles já se sentem confortáveis ​​com seus corpos e desejos.

Mas não pense que as crianças desse país fazem o que querem. Os holandeses simplesmente têm uma abordagem completamente diferente para estreitar relacionamentos — em vez de se concentrarem nos riscos e perigos potenciais, ensinam aos filhos a importância do amor, da responsabilidade e de como estabelecer limites saudáveis ​​com o parceiro.

Os adolescentes holandeses podem dormir fora com seus parceiros, porque os pais preferem manter seus filhos em um ambiente seguro. Graças a isso, as crianças confiam nos pais e sempre os procuram caso tenham problemas ou precisem de aconselhamento.

governo holandês também apoia esse modelo de parentalidade — tornou os exames pélvicos, o controle de natalidade e o aborto gratuitos para menores de 22 anos, sem requisitos de consentimento dos pais. Por causa dessa política, a Holanda tem uma das taxas mais baixas de gravidez na adolescência na Europa.

2. Faça-os felizes, não bem-sucedidos

Obviamente, os holandeses têm ambições para os filhos, como todos os outros pais, mas sua visão de sucesso é bem diferente. Enquanto a maioria das mães estrangeiras se gaba de quantas notas excelentes seus filhos obtiveram na escola, as mães holandesas se preocupam mais com o bem-estar de seus filhos.

No lugar de serem bem-sucedidas, as crianças devem ser felizes, autoconscientes, motivadas, independentes e ter laços positivos com sua família e com seus amigos — é nisso que os holandeses acreditam. E, segundo eles, apenas esse sentimento de felicidade pode levar a grandes conquistas agora e no futuro.

Além disso, os pais holandeses sempre veem seus filhos como indivíduos com suas próprias forças e fraquezas e nunca tentam impor a eles seus próprios valores e sonhos.

1. Dê um bom exemplo para elas

Pratique o que você prega — essa é uma das regras essenciais dos pais holandeses. Nesse país, as mães entendem que, se quiserem criar filhos criativos, resilientes e felizes, devem dar um exemplo dessa pessoa na vida real.
Existe até uma expressão comum lá — “O que o velho galo canta, o jovem galo aprende”.

Será que é hora de todos “ficarmos um pouco mais holandeses” e usarmos a receita deles para criar crianças felizes? O que você pensa sobre isso? Comente!

Imagem de capa shutterstock.com
2-1-
950