Incrível
Incrível

Por que vivemos de falsas esperanças e como podemos evitá-las

O ano de 2019 está prestes a acabar e, junto com o novo ano, as pessoas passam a pensar nas novas metas e nos novos objetivos. Quando paramos para pensar com mais profundidade sobre isso, percebemos que as nossas vidas são uma sequência interminável de metas que muitas vezes nunca são realizadas; elas aparecem e rapidamente caem em esquecimento. Quando essa conduta se torna negativa e começa a nos afetar é preciso ficar atento. A psicologia chama essa situação de “síndrome das falsas esperanças” e, diferentemente do que muitas pessoas pensam, ela pode ser combatida.

Hoje, o Incrível.club quer compartilhar com você uma pesquisa sobre esse tema tão complicado e ao mesmo tempo tão real. Além disso, para ajudar a concretizar os novos objetivos, juntamos alguns conselhos simples que você pode encontrar no final do artigo.

O que é a síndrome das falsas esperanças

É muito comum escutarmos que a esperança é a última que morre. Sim, é muito importante sonhar, mas, às vezes, a esperança pode gerar transtornos em níveis psicológicos; Isso acontece com pessoas que vivem sonhando com metas impossíveis e que as distanciam da realidade.

A síndrome das falsas esperanças surge quando uma pessoa não quer enfrentar a realidade e prefere, inconscientemente, continuar desejando que determinadas coisas aconteçam. Quando isso acontece, as pessoas passam a viver sonhos que mais parecem fantasias.

A esperança em si não é uma qualidade negativa, desde que ela seja “pé no chão”, centrada; ou seja, que o objeto de desejo tenha sentido e mereça esforço para ser alcançado. Para que um desejo se torne realidade é preciso trabalhar com paciência e muita dedicação.

Falsas esperanças ou não trabalhar pelo que se deseja

Segundo um estudo liderado pela psicóloga Polivy, a maioria das pessoas sofre da síndrome das falsas esperanças e não sabe. A pesquisa demonstrou que muitos de nós alimentam expectativas e colocam metas que nem sempre são impossíveis, mas que ainda assim nunca são realizadas. Isso acontece porque não investimos tempo, energia ou recursos suficientes para transformá-las em realidade.

O estudo mostrou que, muitas vezes, caímos nesse círculo vicioso de desejo, mas não nos esforçamos para que ele se realize porque somos pouco realistas ao estipularmos os nossos objetivos. Pensamos em metas grandes demais e não refletimos realmente sobre o tempo necessário para alcançá-las. Um exemplo disso é querer emagrecer em um piscar de olhos. Quando o resultado não é o esperado, nos frustramos e sofremos.

Como evitar a síndrome das falsas esperanças

Ter esperanças é algo natural e uma realidade da qual é praticamente impossível fugir. No entanto, para que a esperança seja realmente positiva e nos leve a alcançar algum objetivo é preciso ter muita força de vontade. É importante evitar o ciclo negativo de querer mudar o tempo todo. Para isso, existem alguns conselhos que podem servir de ajuda para realizar metas com sucesso.

Bônus: 4 conselhos para alcançar as metas

  • Ser realista: estipular metas lógicas e dentro das capacidades reais de cada um.

  • Evitar a passividade: uma vez estipulado o objetivo, é necessário pensar em pequenas metas diárias que nos ajudem a chegar até o final. É possível materializar os desejos em situações concretas.

  • Ser construtivo: é importante estabelecer um plano a seguir, sempre assumindo com antecedência que, às vezes, precisamos dar um passo para trás e recomeçar.

  • Confiar em si mesmo: a realização dos nossos sonhos depende em grande medida de nossas forças. Para isso, é importante que confiemos em nossas capacidades. Esperar que os outros façam algo por nós é diminuir muito a possibilidade de alcançar o sucesso.

Quais são as suas metas para o Ano Novo e como você pensa em realizá-las? Compartilhe os seus desejos para o próximo ano nos comentários.

Compartilhar este artigo