Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Conselhos sobre como reagir às agressões para ensinar aos filhos

Quando o nosso filho começa a crescer, fica exposto a diferentes tipos de agressões e raramente estamos ao lado dele quando isso acontece. Às vezes, é muito difícil explicar que existem pessoas que podem nos ferir com ações e palavras, mas ainda assim é necessário falar com ele sobre a importância de saber se defender para que não sofra e para que o agressor o deixe em paz.

Incrível.club acredita que a segurança vem sempre em primeiro lugar. Por isso, juntamos alguns conselhos que podem te ajudar a mostrar ao seu filho o que fazer quando ele for ofendido ou agredido.

1. Ensine a ele como manter o controle

Ensine a criança a refletir e a dar um nome ao que está sentindo. Manter o equilíbrio é muito importante na vida de uma criança porque o autocontrole dos sentimentos permite decisões corretas, reações tranquilas e uma análise mais racional na hora de enfrentar uma situação incômoda. O melhor é que o seu filho saiba identificar as consequências de um possível descontrole. Isso vai ajudá-lo a se manter sereno e longe de conflitos. Ou pelo menos vai fazer com que saiba quando está pronto para enfrentar as situações.

2. Explique a importância de ignorar comentários agressivos

É fundamental que a criança saiba que não deve fugir do conflito, mas também não deve levar tudo para um lado muito pessoal. Algumas crianças podem incomodar outras apenas para chamar atenção, ou para imitar o comportamento de colegas que são referência. É importante que o seu filho entenda desde pequeno que há comentários negativos e que eles podem machucar, mas o melhor é não responder com a mesma atitude para não deixar o problema ainda maior. Fale com o seu filho sobre o que significa ’bullying’ e mostre a ele que ele não tem culpa de nada. Além disso, explique como pode se defender nessas horas.

3. Ensine como trabalhar a linguagem corporal

O seu filho deve saber o que é a linguagem corporal e os benefícios e os danos que uma determinada ação pode causar. Suas ações e posturas podem enviar uma mensagem muito clara em relação ao que ele está sentindo, sem a necessidade de dizer uma palavra. O mais recomendável é que não mostre medo nem baixe a cabeça. Caso contrário, é muito provável que a pessoa que o estiver incomodando continue fazendo a mesma coisa. Para uma criança, pode ser muito complicado entender como reagir a uma agressão. Por isso, é importante que você explique como ele pode se mostrar seguro, como manter o contato visual e ser suficientemente firme para se distanciar dos agressores de maneira tranquila.

4. Incentive a negociação

O seu filho deve compreender que sempre é melhor conversar antes de reagir de uma maneira agressiva. Explique que ele deve tratar as pessoas como gostaria de ser tratado. Se for capaz de evitar as provocações dos agressores, então é provável que o deixem em paz. Se ele aprender a negociar em casa, conseguirá fazer a mesma coisa no momento necessário. A comunicação é fundamental para chegar a acordos e, se o seu filho mostrar segurança, vai se livrar muito rapidamente dos problemas.

5. Ajude-o a se livrar da irritação

A ira é um sentimento que nem sempre conseguimos evitar. Por isso, é importante mostrar que devemos aceitar essa e outras emoções. Com o tempo, o seu filho terá mais confiança para falar dos próprios problemas e realmente expressar o que sente. Explique que não há nada de errado em ficar irritado, mas explique também que é necessário trabalhar as sensações para chegar a uma maior tranquilidade para ver as coisas com mais clareza. Ajude seu filho a identificar o que o incomoda e a observar qual é a melhor maneira de eliminar a irritação.

6. Mostre como encontrar soluções

Escute o seu filho e ajude-o a identificar qual é o problema. Dê a ele a oportunidade de pensar e analisar as possíveis soluções. Faça algumas perguntas para que ele encontre as respostas de que precisa. Quando ele mostrar uma alternativa de ação, incite-o a pensar no que aconteceria se agisse de outra maneira. Dessa forma, ele vai entender qual é a melhor opção para acabar com o problema, e se sentirá seguro para encarar os desafios sozinho. Você sempre pode mostrar filmes ou ler um conto para dar alguns exemplos.

7. Mostre a importância de pedir ajuda

comunicação que você mantiver com o seu filho será determinante para a relação que ele vai manter com você e com as outras pessoas. Quanto melhor for a relação entre vocês, maior será a confiança. Se a criança te contar sobre uma agressão, mantenha a calma. Caso contrário, ela pode se assustar e nunca mais abrir o jogo com você. Explique que não há nada de errado em pedir ajuda e mostre que ela sempre terá o seu apoio.

8. Dê espaço ao seu filho

Ainda que você pense que uma criança não precisa do próprio espaço, é importante que ela tenha momentos sozinha para se desenvolver e refletir sobre o que acontece na própria vida. Respeite o seu espaço pessoal e ela vai entender que as outras pessoas também devem fazer isso. Mostre a ela como se defender se alguém invadir o seu espaço. Isso é muito importante para que se sinta segura e aprenda a colocar limites.

9. Mostre o que você quer e não brigue o tempo todo

Se o seu filho confia em você e conta que uma criança na escola o incomoda e você fica brava, não estranhe se ele parar de confiar em você e deixar de contar o que acontece na própria vida. O ideal é que a criança sinta acolhimento e compreensão, nos bons e nos maus momentos. Caso contrário, ela pode começar a pensar que o agressor está certo. Afinal, a atitude desse “rival” não é tão diferente da dos pais que a reprimem por contar que foi agredida.

Isso deixa a criança mais estressada e pode afetar a sua autoestima na fase adulta, segundo um estudo. Escute o seu filho e tente não se alterar. Ele precisa saber que a sua família o valoriza e está do lado dele. Dessa forma, e com muito diálogo, poderá entender que o comportamento da outra criança é errado e encontrar razões para se defender.

10. Dê um bom exemplo

O que um filho vê em casa é crucial para a sua formação. Se ele vive em um ambiente violento, é possível que, na hora de sofrer uma agressão, ache que a melhor maneira de reagir é com violência; ou seja, ele acabará imitando o que viu em casa. É sempre muito importante dar um bom exemplo e mostrar qual é a maneira correta de enfrentar essas situações, demonstrando que ele não precisa ofender fisicamente a outra pessoa para resolver o problema.

Que conselhos você dá ao seu filho para que aprenda a se defender? Acrescentaria algum outro ponto à lista? Compartilhe nos comentários.