Estudo diz que falar com outras mães incentiva a amamentação

Quando acabamos de nos tornar mães, surgem diversas dúvidas sobre como garantir a saúde e o bem-estar de nossos bebês. Aprendemos a cuidar de sua saúde, a banhá-los a uma boa temperatura e lemos sobre os benefícios da amamentação.

Alguns textos dizem que, depois de algum tempo, o leite materno não oferece mais nutrientes. Mas a verdade é que a amamentação proporciona benefícios tanto para a saúde da mãe quanto da criança, pois o leite materno contém todos os elementos de que o bebê necessita para crescer e se desenvolver de forma saudável. Mas como não desistir durante esse processo?

Incrível.club vai apresentar um estudo que afirma que o apoio de amigas que têm filhos pode ser uma excelente maneira de se manter firme no aleitamento por mais tempo e, assim, garantir o fornecimento de mais nutrientes para os recém-nascidos.

A combinação perfeita

Quem não gosta de ter uma boa conversa com as amigas, ainda mais sabendo que isso pode trazer benefícios para seu bebê? É o que diz um estudo realizado pela Universidade La Trobe, na Austrália, e pelo projeto Ringing Up About Breastfeeding Early (RUBY) do Royal Women’s Hospital (também da Austrália), envolvendo 1.230 mulheres que recentemente se tornaram mães. Segundo o estudo, mesmo quando as mães conversam por telefone (para compartilhar os experiências e falar sobre os benefícios do aleitamento materno), os índices de amamentação tendem a aumentar. Portanto, se você está amamentando, passe a mão no telefone e ligue para aquela amiga que é ou já foi mãe.

Empatia e apoio mútuo

Mas vamos explicar melhor a pesquisa. O grupo foi dividido ao meio. As mães que durante os dois primeiros anos de vida de seus bebês telefonaram para as amigas que já eram mães ou para voluntárias com experiência em amamentação obtiveram resultados surpreendentes, que se traduziram em maior tempo de amamentação. O apoio telefônico proativo de mãe para mãe gerou sentimentos de empatia, permitiu que as dúvidas fossem solucionadas no momento adequado e as capacitou a continuar amamentando por mais tempo.

Os resultados incríveis

Cerca de 75% das mães que receberam apoio por telefone de mãe para mãe continuaram amamentando até os filhos completarem seis meses. Mas apenas 69% daquelas que receberam exclusivamente informações ao sair do hospital após o parto mantiveram esse mesmo tempo de lactância. Essa diferença de 6% (que pode parecer pouco, mas faz uma enorme diferença) se traduziu em 180 mil bebês a mais amamentados por ao menos seis meses, o que implica a obtenção de todos os já conhecidos benefícios do aleitamento materno.

Uma opção para melhorar a taxa de amamentação no mundo

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 40% das crianças menores de seis meses recebem somente leite materno e apenas 23 países registraram taxas acima de 60% de aleitamento materno exclusivo — apenas leite da mãe. Portanto, essa medida poderia ajudar a melhorar esses números no mundo e, além disso, dar apoio às mulheres que estão nesse estágio.

Quanto tempo você gostaria de amamentar seu filho? O que acha dessa iniciativa? Conte sua opinião na seção de comentários.

Imagem de capa oksixx / Depositphotos
Compartilhar este artigo