Incrível

20 Mulheres inspiradoras de diferentes países que foram homenageadas nas novas Barbies (uma delas é brasileira)

--1-
895

A Barbie completou 60 anos recentemente e o aniversário foi comemorado de uma forma muito especial: homenageando mulheres inspiradoras de diferentes países. A marca criadora da boneca, a Mattel, se juntou com mulheres fortes para lançar as Role Models, uma continuação das Sheroes, de 2015. O objetivo é mostrar às novas gerações de mulheres que elas podem e devem fazer o que quiserem, sem se preocupar com os estereótipos.

Hoje, o Incrível.club quer que você conheça quem são as mulheres que serviram de inspiração para as novas Barbies.

1. Yara Shahidi (atriz, modelo e ativista)

Yara Shahidi é uma atriz, modelo e ativista americana que foi premiada com o NAACP Image Awards como melhor atriz coadjuvante pela série de comédia Black-ish. Ela também apareceu na lista anual dos ’30 jovens mais influentes com menos de 30 anos’ da revista Forbes em 2017 e em 2018, principalmente pela sua contribuição humanitária.

Como se isso não bastasse, Yara lançou o Eighteenx18, um programa para educar e motivar os jovens a participarem das eleições. Além disso, ela criou a Yara’s Club, uma associação de escolas de liderança para mulheres jovens de Nova York. Também participou de diferentes projetos de ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM — sigla formada pelas primeiras letras de cada área quando escritas em inglês) para ampliar as oportunidades acadêmicas para as garotas.

2. Naomi Osaka (tenista)

Naomi é uma tenista japonesa. Ela foi a primeira mulher do Japão a vencer 2 Grand Slams (os torneios mais importantes de tênis do mundo) de maneira consecutiva: conquistou o Aberto dos Estados Unidos em 2018 e o Aberto da Austrália em 2019. A façanha a colocou no topo do ranking da Associação de Tênis de Mulheres (WTA). Vamos ver o que Osaka pretende aprontar nas próximas Olimpíadas, que serão realizadas justamente no seu país em 2020.

3. Adwoa Aboah (modelo e ativista)

Adwoa é a fundadora de Gurls Talks, uma comunidade digital mundial para que as mulheres comecem a falar sobre temas complicados como saúde mental, cuidados pessoais e educação. Ela já participou de muitas campanhas para marcas como Dior e Versace e seu trabalho como modelo sempre foi muito elogiado. Em dezembro de 2017, apareceu na capa da revista Vogue britânica. Além disso, ela também já foi capa das revistas Vogue americana e italiana.

4. Kristina Vogel (ciclista)

Kristina é uma esportista alemã muito famosa, que já ganhou diversas competições nacionais e internacionais, incluindo os Jogos Olímpicos. O pesadelo veio em 2009, quando ela sofreu um grave acidente: um carro a tirou da estrada enquanto ela treinava e a deixou em coma por 2 dias. Mas o pior aconteceu em 2018, quando chocou-se com um colega enquanto treinava e, por conta das lesões, ficou paralítica. Apesar disso, Kristina contou em uma entrevista 3 meses após o ocorrido que, desde o acidente, se sente “livre”.

5. Dipa Karkamar (ginasta)

Dipa começou a carreira na ginástica aos 6 anos. As pessoas diziam que ela não teria muita chance por causa de seus pés chatos. Contudo, após muito treino, Dipa conseguiu desenvolver um arco nos pés e, desde então, já ganhou mais de 70 medalhas em eventos internacionais. Na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro, ela ficou em quarto lugar, pouco atrás da terceira colocada, uma conquista brilhante, ainda mais se pensarmos que a ginasta é a primeira indiana a chegar tão longe nesse esporte. Em 2018, ela foi medalha de ouro no Campeonato Mundial de Ginástica.

6. Chen Man (artista)

Chen é uma artista visual e uma empresária chinesa que desenha capas e tira fotos para revistas como Elle, Vogue ou Marie Claire. Além disso, ela é a co-fundadora da Vnision, uma empresa que desenvolve aplicativos de fotografia. Chen é membro do Fórum Econômico Mundial e uma das suas mais jovens e maiores lideranças.

7. Melodie Robinson (jornalista)

Melodie é uma jornalista e apresentadora de programas esportivos na Nova Zelândia. Antes de começar a trabalhar com comunicação, Melodie foi uma esportista de muito sucesso. Ela integrou a equipe de rugby de seu país e venceu duas vezes a Copa do Mundo. A jornalista tem experiência com política, cria sites esportivos e trabalha como comentarista na série mundial de rugby feminino.

8. Karla Weelock (alpinista, professora e escritora)

Karla é uma conhecida alpinista mexicana. A paixão pela aventura a levou a escalar o Everest em 1999. Em 2005, ela foi reconhecida como a primeira mulher latino-americana a escalar os picos mais altos de cada continente, os chamados 7 cumes. Além disso, é advogada, professora e escritora.

9. Tessa Virtue (patinadora artística)

Tessa é uma patinadora artística canadense que, em 2010, conquistou a medalha de ouro na dança no gelo nos Jogos Olímpicos de Inverno. Ela e seu parceiro foram os primeiros patinadores da América do Norte a ganharem um ouro olímpico, acabando com 34 anos de hegemonia europeia. Eles se transformaram nos primeiros ex-campeões mundiais na categoria júnior a vencer os Jogos Olímpicos e na primeira equipe de dança no gelo a conquistar o ouro em casa. Além disso, são o casal mais jovem a ganhar um título. Tessa quis descansar durante um tempo e, 2 anos depois, voltou para participar dos Jogos de Pieonchang, em 2018.

10. Lisa Azuelos (diretora de cinema)

Lisa é francesa, diretora, escritora e produtora de filmes. Seu trabalho mais conhecido é LOL, que, em 2012, teve uma versão americana protagonizada por Miley Cyrus. Atualmente, Lisa trabalha lutando pelo empoderamento das mulheres no mundo do cinema. Ela produziu um documentário chamado YOLOVE, sobre sexismo e abuso. Além disso, continua trabalhando para evitar que os casamentos forçados aconteçam. Lisa luta contra todo tipo de discriminação e sempre ajuda em projetos de apoio a mulheres maltratadas.

11. Eleni Antoniadou (cientista de medicina regenerativa)

A grega Eleni se destaca por seu trabalho com medicina regenerativa e bioaustronáutica. Seu interesse também está em terapias com células-tronco para regenerar partes do corpo e em protótipos em 3D para aplicações espaciais. Em 2012, ela entrou na NASA, um sonho de criança, e trabalhou com empresas de biotecnologia em várias partes do mundo. Eleni luta contra o tráfico mundial de órgãos e defende projetos de ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM) para meninas.

12. Rossana Marziale (chef de cozinha)

Rossana é uma chef italiana. Ela sempre teve como grande exemplo o pai, um cozinheiro que, nos anos 50, abriu um dos restaurantes familiares mais conhecidos de Caserta, na Itália. Em 2013, ela ganhou uma estrela no Guia Michelin, transformando-se em uma das mais famosas chefs da nova cozinha do sul da Itália. Rossana já escreveu 2 livros para crianças e um sobre seu grande ingrediente: o queijo mozzarella.

13. Ita Buttrose (jornalista e editora)

Ita é jornalista, criou a revista Cleo nos anos 70 e, pouco tempo depois, se transformou na editora mais jovem da Australian Women’s Weekly. Ela ficou ainda mais conhecida por ser a primeira mulher a editar um importante jornal da Austrália. Mais tarde, ficaria famosa por escrever 11 livros. Em 2018, recebeu um doutorado honorário, um reconhecimento por sua contribuição para a saúde.

14. Tetsuko Kuroyanagi (atriz e embaixadora da UNICEF)

Tetsuko é uma reconhecida atriz e apresentadora japonesa, além de embaixadora da UNICEF. Sua principal influência foi seu pai, um violinista da orquestra NHK (Corporação de Radiodifusão do Japão). Tetsuko participa, há mais de 40 anos, de um programa de entrevistas no Japão. Além disso, escreveu o livro Totto-Chan, que vendeu mais de 8 milhões de cópias no Japão, um recorde no país. Com o dinheiro que ganhou com as vendas, ela criou a Fundação Totto, que oferece capacitação para pessoas com problemas auditivos.

15. Mariana Costa (empreendedora e ativista)

Mariana nasceu no Peru e é cofundadora e diretora do Laboratoria, projeto que ajuda jovens mulheres a começarem a trabalhar com programação e desenvolvimento informático. O Laboratoria já tem escritórios em outros países, como Chile e México. Pelo seu trabalho, ela já obteve muito reconhecimento, incluindo o de estar no grupo ’mulheres mais influentes do mundo’ da BBC.

16. Iwona Blecharczyk (motorista profissional de caminhões)

Sua paixão por dirigir caminhões começou cedo e foi muito importante para que ela mostrasse para outras mulheres que elas podem desempenhar as funções que quiserem, sem se preocuparem com os estereótipos. Antes de trabalhar como motorista de caminhão, Iwona era estilista e professora. Ela é uma das poucas mulheres na Polônia e na Europa que trabalham como motorista de caminhões pesados. Em 2014, lançou um canal no YouTube em que conta as suas viagens e os desafios que precisa enfrentar.

17. Gülse Birsel (roteirista)

Gülse é uma roteirista e colunista turca que já trabalhou para revistas como EsquireHarper’s Bazaar. Ela já escreveu nada menos que 6 livros e trabalhou como atriz e roteirista para muitas séries de televisão na Turquia.

18. Maya Gabeira (surfista)

Maya nasceu no Brasil e é considerada uma das melhores surfistas da atualidade. Sua paixão pelas ondas começou aos 14 anos e, desde então, ela não parou de conquistar títulos. Em 2009, Maya levou o ESPY como melhor atleta de esportes radicais e se transformou na primeira mulher a surfar no mar do Alasca. Em 2010, recebeu um Teen Choice Awards como atleta feminina de ação. Em 2018, ela entrou para o Livro dos Recordes por surfar uma onda de 20,72 metros.

19. Lyasan Utiasheva (apresentadora de TV e ex-ginasta)

Lyasan é russa, apresentadora de televisão e ginasta aposentada, vencedora de campeonatos nacionais e internacionais. Infelizmente, uma lesão a obrigou a largar o esporte. Hoje, ela também é uma empresária de muito sucesso. Além disso, é fundadora do Sila Voli, um projeto educativo online que ajuda a fortalecer corpo e cérebro.

20. Ibtihaj Muhammad (esgrimista)

Ibtihaj descobriu a esgrima quando tinha 13 anos de idade. Nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, ela ganhou uma medalha de bronze, tornando-se, assim, a primeira mulher de origem muçulmana a alcançar essa façanha. Além disso, foi a primeira mulher muçulmana-americana a usar o hijab na competição. Hoje, ela ocupa a posição 8 no ranking mundial e trabalha ativamente para empoderar mulheres e meninas por meio do esporte.

Com qual dessas bonecas você mais se identificou? Conte nos comentários!

--1-
895