Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Funcionários da Disney compartilharam no Reddit as histórias que já viveram em seu trabalho

É muito comum que, ao vermos fotos dos parques temáticos da Disney, pensemos que aqueles lugares dedicados a tornar realidade todas as fantasias e sonhos infantis são tão felizes como se vê nas fotos. Mas o certo é que, por trás dos bastidores, os funcionários que trabalham lá têm muitas coisas surpreendentes para contar. E, é claro, em sua maioria elas não são “mágicas”, muito menos “felizes”.

Incrível.club traz 16 histórias contadas por usuários do Reddit que trabalharam na Disney e que são muito mais interessantes do que seus trabalhos em si.

  • Estava sentado com um grupo de rapazes perto de onde o Mickey e a Minnie se vestem. Quando a dupla saiu, os caras começaram a chamar a Minnie. O rapaz que era o Mickey disse, com uma voz perfeita do ratinho: “Se você olhar minha namorada outra vez, vai se ver comigo!” (Usuário).

  • Isto aconteceu nos anos 70 na Disneylandia, na Califórnia, conforme contou um amigo meu, que era contador do parque. Naquele ano, a banda que marchou no desfile não gostou muito do membro do elenco que interpretou o Mickey. Aparentemente, ele tinha uma verdadeira atitude de estrela. Então, depois que o rato começou a liderar o desfile pela rua principal, tropeçou e caiu no chão, e então os membros da banda começaram a passar por ele, deixando-o no chão, irritado. Os pais e as crianças começaram a rir ao ver Mickey tentando alcançar a banda correndo, para poder estar à frente, novamente. Tudo terminou de modo privado com uma briga lendária entre a banda e o Mickey. (oliverhart27).

  • Alguém havia deixado uma sacola abandonada em um local durante mais de 15 minutos, por isso foram seguidos os procedimentos normais de segurança e trouxeram um cão policial para cheirá-la. Quando o cachorro chegou, farejou a sacola e logo se sentou, o que indica que alguma coisa estava errada. Por isso tivemos de evacuar todo o parque, literalmente tudo (atrações/lojas/ restaurantes) estava parado em todas as entradas e todos estávamos loucos porque, é claro, estávamos certos de que ia expolir alguma bomba e todos morreríamos. Resultou que o pacote havia sido esquecido e estava cheio de burritos de carne assada, e o cachorro se sentou porque pensou que estava recebendo um prêmio (steakandasideofsteak).

  • Quando trabalhei no Space Mountain, em torno de 2003, o Tom Cruise chegou com sua então namorada, a Penélope Cruz, e família. Seu grupo foi para a atração, se divertiu e voltou para a estação. Conforme o procedimento padrão, perguntamos a eles se queriam ficar no carrinho e viajar novamente. Isso era apenas para que não precisassem sair e voltar a embarcar de imediato (privilégios de estrelas!). Partimos com o carrinho e, quando começamos a avançar, a família da Penélope, que não fala inglês, começou a se virar. Aparentemente, não queriam ir de novo. Então, ficaram de pé. Isso fez com que pressionássemos o botão para parar os carros (somente na estação). Os alarmes começaram a soar (já que o sistema falha se você parar por muito tempo o processo). Todos, menos as pessoas que trabalhavam no Space Mountain, ficaram loucos e sem entender o que acontecia. Bips, gritos, momentos bem engraçados. De qualquer forma, acionamos a “parada na estação”. Eu tive que puxar manualmente o carrinho para o próximo ponto na estação, através do guidão do passageiro na parte dianteira. Foi quando minha mão entrou em contato com a do Tom Cruise. Eu nunca a lavei de novo (MykeXero).

  • Estava na fila da Disneylândia, na Califórnia, com um grupo de turistas adolescentes japoneses diante de mim. Falo japonês, por isso pude entender que estavam zoando dos outros americanos. Em sua maioria, diziam coisas como: “Na televisão parecem tão incríveis, mas na realidade são gordos e feios”. Riam e até em algumas ocasiões apontavam para as pessoas. Eu fiquei calado, mas um dos membros do local que evidentemente também falava o idioma se aproximou do grupo e disse em um perfeito japonês: “Vocês realmente devem ter cuidado, a maioria dos americanos também pode falar japonês”. Todos congelaram e olharam para nós, e eu ainda assenti como se estivesse respaldando o que a pessoa disse. Ficaram chocados. (O7Knight7O)
  • Quando trabalhei lá, a única coisa que realmente me chamou a atenção foi que uma senhora queria comprar vários bottons que havíamos emoldurado e exposto para a mansão mal assombrada, mas que não estava à venda. Ela deu meia volta e eu continuei fazendo minhas coisas, mas logo a vi sair correndo da loja. A mulher havia roubado o quadro, foi uma loucura. (UCMCoyote)
  • As pessoas ficam loucas pelos bottons. Meu namorado costumava trabalhar para a Disney e os comerciantes de bottons são a razão pela qual ele pediu demissão. (rachface636)
  • Estava pegando meu cheque de pagamento para trocá-lo no banco de membros da empresa. Enquanto caminhava, a porta que conduz à rua se abriu rapidamente, e entrou o Pato Donald, seguido da Minnie, do Pateta e alguns outros personagens. O Donald arrancou a cabeça, a jogou no chão e gritou: “Um pirralho me chutou!” Tive de me conter para não rir do ator enfurecido com meia fantasia de pato, por medo de que me chutasse também. (Phantom_Scarecrow)
  • Estava fantasiado como a Rainha de Copas (que quase sempre é interpretada por um homem) e caminhava com a Alice e 2 Tweedles. Nos divertíamos enquanto eu interpretava uma rainha inquieta fazendo com que as pessoas me reverenciassem e me beijassem a mão — os Tweedles faziam travessuras enquanto a Alice falava com as crianças. Estávamos próximos do passeio do Dumbo e havia uma pequena fonte dos desejos próxima que foi drenada por qualquer razão naquele dia, deixando expostas todas as moedas que as pessoas jogavam. Suponho que um dos Tweedles decidiu que queria roubar algo, mas como era muito baixinho e sua fantasia era muito pesada e com um bambolê para que ficasse redondo, ao se inclinar na fonte caiu e não conseguia sair. Só me recordo de me virar e ver seus pés no ar, enquanto ele estava caído dentro da fonte. (IWasGoofyAMA)

  • Fui socorrista no Contemporary Resort. Nós vigiávamos as piscinas de hidromassagem, mas por casualidade notei que havia uma garotinha de uns 7 anos sozinha. Como as crianças não podem ir até lá sem supervisão, educadamente disse que ela não podia usar a “piscina de água quente”. A criança saiu correndo e aproximadamente 5 minutos mais tarde veio sua mãe, irritada, uma mulher corpulenta, gritando no meu ouvido que expulsei sua filha da piscina. Após as explicações que dei, ela ficou vermelha e começou a gritar (mais forte) que eu havia deixado outras crianças entrarem (eram adolescentes). Eu disse: “Senhora, sinto muito, mas a regra é para crianças menores de 12 anos”. Pensei que havia terminado, mas enquanto estava parada ao meu lado, ela se virou para a filha e disse: “Querida, pode seguir usando a banheira, e não dê importância se disserem para você sair”. Então eu lhe disse: “Senhora, se é assim, não teremos outro remédio a não ser pedir que se retire”. Ela virou e começou a me falar desaforos, então liguei para o “Código 3”, que alerta o Controle, e um guarda uniformizado chegou para acalmá-la. Infelizmente, o Código 3 também significa que a piscina precisa ser evacuada, portanto cerca de 200 convidados se alinharam ao lado da piscina para ver o que estava acontecendo. (lolzergrush)

  • Recentemente, um morador de rua entrou e jogou um objeto misterioso nos arbustos, o qual tratamos como uma ameaça em potencial (bomba). Isolamos a área enquanto os cães eram trazidos para investigar. Perdi a noção do tempo quando uma criança recolheu o que estava nos arbustos e me deu, dizendo que era dela e que havia perdido. Resultou que era um caracol de pelúcia, me assustei um pouco. (Tagstit)

  • Vi na minha área de trabalho uma criança de aproximadamente 2 anos que podia caminhar mas não podia se comunicar. Felizmente, trabalhei com crianças muito pequenas antes e pude pelo menos perceber que ela estava perdida, mas a sua família levou entre 10 e 20 minutos para perceber que a havia perdido. (Anyhoodle)

  • Meu primo trabalhava no parque aquático, a equipe usava códigos de rádio e quando havia algum descuido humano, chamavam de “código marrom”. Um dia, uma loja Walmart próxima do parque aparentemente mudou sua frequência de rádio, porque estava dando interferência constantemente. Uma criança se atirou na piscina e o salva-vidas acionou o “código marrom”. Ao que tudo indica, o Walmart usa o código marrom para uma ameaça exterior (como uma bomba, ou um derramamento tóxico... não conheço bem a natureza disso mas não era algo bom) e, no momento em que as frequências se misturaram, fecharam todas as portas, pensando que o alerta era para eles. (CrossCheckPanda)

  • Minha irmã trabalhava em uma loja em Main Street quando o ex-jogador de basquete Kobe Bryant entrou e perguntou em voz baixa: “Sabe quem eu sou?”. Ela respondeu “Sim”. “Acredita que pode me ajudar a comprar um moletom sem fazer alvoroços?” e, para o alívio dele, ela respondeu que sim. (Jmac0585)

  • Trabalhei no Animal Kingdom há muito tempo. Vi uma cobra de 2-3 metros de comprimento emergir de uma área com muitas plantas e arbustos. Lentamente ela atravessou uma linha de aproximadamente 200 pessoas. Cruzou através de pernas, carrinhos, sacolas, etc. das pessoas, e logo simplesmente deslizou casualmente até outra área verde. Ninguém percebeu! (Usuario)

  • Estava trabalhando na cozinha do castelo da Cinderela quando uma família de 4 veio jantar. Mais ou menos na metade do jantar, o marido se levanta cortesmente e bate no copo para chamar a atenção. Anunciou que sua esposa, com quem era casado havia 15 anos, o enganou por mais de um ano. Todo o lugar ficou em silêncio, em estado de choque. Fez um gesto aos seus filhos, pagou a atendente e se foi, deixando a esposa sozinha e chorando na mesa. (Azov237)

Você já foi para a Disney? Qual dessas histórias foi a mais engraçada e surpreendente, na sua opinião? Compartilhe com a gente nos comentários!

Compartilhar este artigo