Incrível

O que você precisa ter em mente para reduzir o consumo de carne com sucesso

4-76
501

Nossos hábitos definem quem nós somos, por isso é tão difícil mudá-los. Eles estão tão arraigados em nossa rotina diária que acabam ganhando ares de necessidade absoluta: só que não são. É por isso que, quando queremos nos livrar de algum deles, precisamos simplesmente cortá-lo de nossas vidas. O objetivo não é simples, mas é possível. E em se tratando de alimentação, cultivar hábitos saudáveis é essencial para nossa saúde.

Neste post, o Incrível.club apresenta uma lista de aspectos que você precisa levar em conta caso pretenda diminuir o consumo de carne.

1. Consultar um médico

Mudar a forma como nos alimentamos não é uma mudança de hábitos das mais simples. Trata-se de uma decisão importante que precisa ser supervisionada por um médico. Quando o caso é de parar de comer carne ou reduzir seu consumo, o profissional da saúde tem condições de dizer se nosso corpo tem possibilidades de encarar a missão e como podemos substituir os alimentos. Com acompanhamento médico, é possível ficar tranquilo diante da certeza de que a mudança na dieta afetará nosso corpo de maneira saudável.

Como sempre dizemos em nossos posts, lembre-se de que as informações disponíveis na Internet nunca podem substituir o consultório médico.

2. Reduzir o consumo gradualmente

Se a carne faz parte da sua dieta cotidiana, é melhor ir parando ou reduzindo seu consumo gradualmente. Assim, o corpo se acostuma às mudanças sem oferecer grandes resistências. Não estamos afirmando que, se você parar de comer carne de um dia para o outro, seu corpo apresentará sintomas de “abstinência”. Mas é sempre melhor que as mudanças ocorram de forma gradual, para que a adaptação seja mais tranquila e que a ansiedade não acabe colocando tudo a perder.

3. Consumir proteínas

Consumir carne não é a única forma de garantir proteínas para nosso organismo. Por isso, é preciso conhecer os alimentos ricos nos nutrientes necessários para que a mudança na alimentação seja saudável. Você deverá ingerir, por exemplo, ovos, abacate, cogumelos, legumes, frutos secos... Mas como já afirmamos no tópico 1, é fundamental que as alterações no cardápio diário sejam supervisionadas por um médico. Ele recomendará quais alimentos devem ser consumidos para que você receba os nutrientes de que precisa.

4. É preciso ter certeza da própria escolha

O fator psicológico desempenha um papel importante na mudança que você enfrentará. Portanto, é preciso ter certeza de que você realmente quer parar de comer carne (ou comer menos do alimento). Sem a convicção necessária, é provável que seu objetivo não seja alcançado e que, em vez de abandonar sua dieta anterior, você apenas tire umas “férias” dela. É importante evitar o sentimento de frustração. E não esqueça: se não puder resistir à tentação de querer comer carne, é sempre melhor apelar para o peixe ou para os frutos do mar.

5. Consuma mais frutas e verduras

Frutas e verduras são grandes aliadas para que você encontre a sensação de saciedade que era provocada pela carne. Comer mais desses alimentos deixará você com o estômago satisfeito, e é melhor investir neles do que aumentar, por exemplo, o consumo de farinhas ou frutos secos, que possuem mais calorias. A variedade de frutas e verduras é tão grande que você certamente encontrará várias que sejam do seu agrado.

6. Esforce-se para preparar pratos deliciosos

Saladas são deliciosas, mas não são as únicas escolhas para o seu novo menu. Pesquise, converse com outras pessoas que deixaram de comer carne e prepare um bom cardápio com variedades saborosas, capazes de deixar sua transição mais agradável. Existem pratos realmente deliciosos que não permitirão que você sinta falta da carne (pizza de vegetais, por exemplo). Esse ponto é especialmente importante, já que nunca devemos abrir mão do prazer de fazer uma boa refeição.

7. Preste atenção às mudanças em seu organismo

Quando a interrupção ou redução do consumo de carne se dá de maneira saudável, certamente seu corpo dá determinados sinais. Faça um check-up médico e compare os resultados com exames feitos na época em que comia mais carne. Você notará que certas taxas mudarão para melhor, e isso dará forças para continuar trilhando seu caminho. Sentir-se melhor é importante para não ter “recaídas”, mas para isso é preciso prestar atenção aos sinais dados pelo corpo. Assim, você terá a mais plena consciência de que está fazendo a melhor coisa para seu organismo.

Alguma vez você já tentou, sem sucesso, reduzir a ingestão de carne? O que aconteceu para que seu objetivo não fosse atingido? Em sua opinião, comer carne é algo negativo? O que acha da posição dos vegetarianos? Comente!

4-76
501