Incrível
Incrível

6 Coisas da história do Queen que o filme Bohemian Rhapsody ignorou

O filme “Bohemian Rhapsody percorreu uma longa jornada para chegar às telonas, já que o projeto levou quase 10 anos para poder começar a ser produzido e dar início à seleção de elenco. O primeiro ator cotado para interpretar Freddie Mercury foi Sacha Baron Cohen, que deixou o projeto quando se deu conta de que o filme não seria tão realista quanto ele queria. Em seguida, surgiu Rami Malek, e o resto da história já conhecemos.

Porém, o fato é que o filme mistura vida real e ficção, e o Incrível.club resolveu investigar aquilo que é mostrado no longa, mas que não aconteceu. Acompanhe conosco e não perca o bônus que te espera ao fim do post.

1. Freddie e os membros da banda “Smile” se conheceram anos antes da formação do Queen

No filme, Freddie Mercury encontra os membros da banda Smile (o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor) num estacionamento, logo depois de o cantor e baixista Tim Staffell abandonar o grupo. Freddie diz estar acompanhando a banda há algum tempo, e pede para trabalhar com eles como cantor sempre que for preciso.

Na vida real, porém, Freddie Mercury foi apresentado aos futuros membros do Queen pelo próprio Tim Staffell, com quem havia frequentado a universidade e de quem já era amigo. Freddie sonhava em ser o cantor principal, então quando Staffell deixou o grupo, ele imediatamente assumiu o posto.

2. Freddie Mercury tinha olhos castanhos, não azuis

Os críticos podem até não ter amado o filme, mas uma coisa é certa: os atores foram escolhidos à perfeição. Gwilym Lee, que interpreta Brian May, lembra muito o guitarrista. Ben Hardy tem a mesma habilidade de iluminar tudo com seu sorriso, assim como fazia Roger Taylor. Já Joseph Mazzello de alguma maneira lembra muito o baixista John Deacon.

No entanto, Rami Malek tem olhos grandes e expressivos, porém azuis, enquanto os olhos de Freddie Mercury eram castanhos escuros. Isso não compromete a atuação de Malek, mas alguns fãs estranharam o fato de terem recorrido a uma prótese no nariz, dentes falsos e muito esforço para que o ator ficasse parecido com o Mercury, enquanto deixaram passar o detalhe da cor dos olhos.

3. O encontro com Mary Austin

A mulher a quem o Queen dedicou uma de suas mais famosas canções, “Love of My Life, era na verdade namorada de Brian May inicialmente. Ambos, Freddie Mercury e May tinham visto Mary numa loja de roupas onde ela trabalhava. Agindo como um amigo de verdade, Freddie perguntou a May se o que havia entre ele e a jovem era sério, e o músico respondeu que não. Assim, o cantor convidou Mary para um encontro.

No filme, a história é mostrada de uma forma muito mais romântica. Mary e Mercury se conhecem nos bastidores e parece que se apaixonam à primeira vista. O que não é 100% preciso, mas é mostrado de um jeito um tanto mágico e realista ao mesmo tempo.

4. Freddie Mercury e seu amante, Paul Prenter, não se separaram porque Paul escondeu informações sobre o mega show beneficente Live Aid

No filme, Paul Prenter, amante de Freddie, evita as ligações dos amigos do cantor, não repassa as mensagens deixadas pelo grupo e se esforça para isolar o artista de todo mundo. Quando surge o convite para o show beneficente do Live Aid, Prenter esconde tudo do astro, que assim que descobre a verdade, abandona o parceiro.

Aqui, provavelmente o objetivo era fazer com que Prenter fosse visto como uma espécie de vilão, já que ele realmente agiu como um traidor ao vender fotos e informações pessoais com Freddie após a separação. Mas a ruptura ocorreu depois de Prenter destruir a casa de Freddie durante uma de suas festas mais loucas.

5. Freddie Mercury não foi o primeiro a romper com o Queen

Um dos momentos mais intensos do longa é quando Freddie abandona o grupo, mas isso nunca aconteceu na realidade. O Queen nunca se separou oficialmente. Eles fizeram uma pausa na turnê, mas continuavam trabalhando juntos no estúdio. Além disso, Freddie nem sequer foi o primeiro a lançar um álbum solo.


Em 1981, o baterista da banda, Roger Taylor, lançou seu primeiro álbum em carreira solo, com o título Fun in Space. Depois disso, Brian May seu uniu a outros artistas e gravou o álbum Star Fleet Project, em 1983. No ano seguinte, sairia o segundo álbum de Taylor, este chamado Strange Frontier. seria só em 1985 que Freddie Mercury lançaria seu primeiro álbum solo, batizado de Mr. Bad Guy.

6. Revelando seu diagnóstico

No filme, Freddie revela à banda a trágica notícia de que ele havia sido diagnosticado com o vírus HIV três semanas antes do show Live Aid ainda em 1985, durante o primeiro ensaio. Naquele momento, o artista lutava contra sintomas graves, como tossir sangue e ter problemas para cantar. Já no mundo real, Mercury descobre que estava doente um ano depois daquele show.

Circulou um boato sobre uma reunião do Queen para o show beneficente do Live Aid, cerca de um mês antes do evento, mas isso foi provavelmente inventado para aumentar a importância da icônica apresentação.

Bônus

Rodar um filme não é apenas um processo caro, mas também requer a participação de um grande número de pessoas que devem ser consultadas. A grande questão envolvendo filmes biográficos é que a obra pode facilmente ofender parentes, amigos ou pessoas que foram próximas aos protagonistas. Levando tudo isso em consideração, encontramos alguns dados interessantes sobre a criação de Bohemian Rhapsody.

1) Apesar de seu personagem aparecer apenas por poucos segundos Tim Staffell disse ter realmente gostado do filme. Ele até se reaproximou dos antigos amigos para gravar um disco da banda Smile, cuja cançãoDoing Alright” foi especialmente feita para a produção.

2) Alguns anos antes de sua morte, Freddie pediu a Mary Austin um último favor: que suas cinzas fossem enterradas num lugar secreto. E foi o que ela fez. Há mais de duas décadas, ninguém, exceto a própria Mary, sabe onde as cinzas de Freddie estão depositadas. Mary aliás, se negou a participar da produção, mas aprovou o roteiro.

3) A última cena do filme, o show no estádio de Wembley, foi rodada no primeiro dia das gravações. Ficou quase idêntica ao show real, e Malek copiou cada movimento que Freddie realizou naqueles 20 minutos no palco.

Você já viu o filme? Notou alguma outra inconsistência? Percebeu algum outro detalhe que gostaria de compartilhar conosco? Comente!

Incrível/Gente/6 Coisas da história do Queen que o filme Bohemian Rhapsody ignorou
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos