Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Como acabar com os mal entendidos num relacionamento

Com o passar do tempo, praticamente todo casal encara o momento em que ambos deixam de tomar cuidado com as palavras, passando a se ferir com frases impensadas.

O Incrível.club decidiu descobrir como é possível, fazendo pouco esforço, manter a chama do relacionamento e evitar a separação. Para isso, basta que você siga apenas três regras simples de comunicação.

Ao falar dos seus desejos, evite a palavra "não"

A palavra "não" tem a capacidade de dar uma conotação negativa a algumas afirmações. Logo, é preciso evitá-la ao falar sobre aquilo que você quer. Além disso, após frases assim, fica mais difícil para a outra pessoa entender como agir, pois ela fica sem saber que comportamento adotar.

  • Errado: "Não quero que você me controle".
  • Certo: "Quero que você confie em mim".

Tente usar "e" no lugar de "mas"

Esta regra parece simples, mas é preciso que você percorra um longo caminho para se acostumar com a mudança. Apesar disso, os esforços valem a pena, pois esta orientação te ajudará a mudar o rumo da conversa, transformando uma batalha verbal em uma forma de colaboração. Sinta a diferença:

  • Errado: "Eu te entendo, mas quero que você me entenda também".
  • Certo: "Eu te entendo e quero que você me entenda também".

Não destrua um gesto positivo com respostas negativas

Você já percebeu que algumas pessoas conseguem expressar sua negatividade mesmo quando estão elogiando alguém? O problema é que o cérebro humano funciona assim: reage fortemente ao que é ruim. Portanto, se quiser dizer algo bom a alguém, não misture elogios com críticas.

  • Errado: "O jantar de hoje ficou ótimo, muito melhor que o de ontem".
  • Certo: "Obrigado por este jantar, estava delicioso!"

Em algumas ocasiões, subestimamos o poder de nossas palavras e sentimos preguiça de trabalhar em nossos hábitos verbais. Mas é melhor aprender a falar de uma maneira que o outro entenda perfeitamente do que ter de consertar problemas causados por mal. Você não acha?

Ilustradora Natalia Kulakova exclusivo para Incrível.club
Produzido com base em material de Psychology Today
Compartilhar este artigo