12 Costumes de casamento que para os brasileiros podem ser estranhos, mas são normais em outros países

As festas de casamento são cercadas daquelas tradições que já nos acostumamos, não é mesmo? Mas se uma pessoa do Brasil for convidada para um casamento em outro país, não há dúvidas de que ela pode sair da comemoração impactada. Afinal, cada localidade tem seus costumes e cultura que refletem em tudo o que fazem, inclusive nos casamentos.

Nós, do Incrível.club, convidamos você a conhecer algumas dessas tradições das cerimônias matrimoniais pelo mundo. Esperamos que se divirta tanto quanto nós!

Canadá

Os canadenses amam uma boa festa e não se envergonham disso. Suas tradições misturam um pouco dos costumes britânicos com os franceses e ainda incluem os de vários outros países, formando um casamento moderno e divertido. No dia da cerimônia, o noivo vai até à casa da noiva com seus amigos para buscá-la. Então, uma verdadeira procissão de carros decorados atravessa a cidade em direção à igreja. Os carros vão buzinando e os participantes anunciando que um casamento vai acontecer. As pessoas nas ruas acenam de volta e gritam seus votos de felicidade, acompanhados de divertidos conselhos para a vida de casados.

Mas o momento mais divertido acontece depois da cerimônia. Os irmãos e irmãs solteiros dos noivos juntam-se para uma divertida dança no meio do salão da recepção. Eles devem usar meias coloridas, de preferência feias, e as danças, as mais malucas possíveis. Os convidados, então, jogam dinheiro nos dançarinos, posteriormente doado aos noivos para iniciarem a nova vida.

Alemanha

Os alemães têm uma tradição que se passa noite anterior à cerimônia do casamento. Eles a chamam Polterabend, que significa despedida de solteiro. Nela, os noivos quebram uma porção de peças de porcelana para trazer sorte e prosperidade ao casamento. Depois, ambos, noivo e noiva, se juntam para limpar toda a bagunça. A limpeza em casal simboliza a união que vão precisar para enfrentar os desafios da vida de casados.

Brunei

Esse lindo e pequenino país tem uma tradição no casamento, composta de nove etapas. Cada uma tem um nome específico e um significado. Por exemplo, a 4ª etapa se chama Malam Berbedak, que significa a Noite do Polvilhar, apenas para familiares e amigos próximos. Nessa cerimônia os noivos usam roupas tradicionais, com braceletes, colares e tornozeleiras de ouro. A noiva usa também uma coroa de ouro e com muitos detalhes. A cerimônia tem esse nome porque nela os convidados aplicam nas palmas das mãos dos noivos uma mistura de farinha de arroz e óleos aromáticos, um sinal de bênção para o casal.

China

Na China, usar roupas vermelhas no casamento é uma tradição milenar que traz boa sorte, prosperidade e fortuna para o casal. Atualmente, as noivas têm aderido à cor branca, seguindo os padrões ocidentais, mas, mesmo assim, usam vestes vermelhas em algum momento da cerimônia. Na decoração da festa, usam o caractere 喜 (“Xi”) escrito duas vezes seguidas. Como o seu significado é felicidade, o costume a traz em dose dupla ao casal.

Etiópia

A tribo Mareko da Etiópia tem costumes muito interessantes para o casamento. Antes de tudo, o futuro noivo conta aos amigos com quem gostaria de se casar. Então, eles rumam para a casa dos pais da noiva observando o caminho. Consideram um bom sinal se virem alguma menina carregando uma panela cheia de água ou se avistarem um pássaro local chamado Tarailae. Eles retornam e o noivo desiste do casamento, se não virem o pássaro ou se encontrarem uma menina com uma panela vazia.

Com o sinal positivo, eles pedem a bênção dos pais e aguardam a resposta. Os possíveis sogros ainda se aconselham com os mais velhos da tribo, que discutem a honra do noivo. Só depois de todos aprovarem é que o casamento acontece.

França

Na França, os noivos costumam fazer a recepção dos convidados, ou seja, a comemoração, depois do casamento civil ou religioso, em casas de campo. Essas casas são chamadas de chateaux e, geralmente, ficam distantes 30 a 50 quilômetros da igreja onde aconteceu a cerimônia. Os convidados fazem um cortejo de carro até o chateau, buzinando muito.

Outro costume interessante está no bolo do casamento que, na verdade, não é um bolo. É o Croquembouche, uma torre de carolinas recheadas de creme e cobertas de caramelo, chocolate ou glacê. A palavra croquembouche significa “crocante na boca” e é a mais tradicional sobremesa para casamentos franceses.

Índia

Para quem gosta de festa, os casamentos na Índia são um prato cheio! Nesse país, as comemorações costumam durar de três dias a uma semana. Os noivos participam de diversos rituais tradicionais na cultura indiana. Em um deles, uma artista faz tatuagens de henna nas mãos das moças, bem como nas mãos e nos pés da noiva.

São desenhos que simbolizam os momentos da cerimônia. Em um detalhe bastante romântico, a artista esconde no meio dos desenhos o nome do noivo, para que ele o encontre na noite de núpcias. O casal usa cores vibrantes e fortes, que representam a alegria. A noiva é adornada com joias e o noivo usa um turbante e uma espada, em sinal de proteção.

Itália

Temos alguns costumes curiosos nas vésperas dos casamentos realizados na Itália. Por exemplo, lá são os noivos que escolhem o buquê, e a sogra o entrega para a nora na manhã do casamento, em sinal de aprovação. Assim como no Brasil, o noivo não pode ver a noiva antes da cerimônia. Mas na Itália, a futura esposa não pode nem se olhar no espelho.

Na noite anterior, durante o jantar de ensaio, o padrinho faz um brinde dizendo “Per centanni”, que significa “por cem anos”. É o tempo que ele deseja que o casal tenha sorte. Também nessa noite, a noiva costuma usar um broche de cor esmeralda, ou uma fita dessa cor amarrada no vestido. Alguns noivos, durante a cerimônia, costumam levar um pedaço de ferro no bolso para afastar os maus espíritos. As noivas rasgam o véu com a mesma finalidade.

Japão

O Japão tem uma tradição muito antiga chamada San San Kudo, ou seja, “três três nove vezes”. É um costume que vem sendo mantido no país desde 1600. No San San Kudo, os noivos e seus pais bebem saquê, três vezes cada, em três copos de tamanhos diferentes. Os três primeiros goles simbolizam a união entre as famílias. Os três goles seguintes, o ódio, a paixão e a ignorância. E os três goles finais são a libertação desses três defeitos. Para os japoneses, o 3 é um número de sorte, daí o 9 simbolizar sorte tripla.

México

Podemos citar também costumes muito interessantes dos noivos do México. As noivas não usam colares ou qualquer acessório de pérolas, diferente das mulheres de muitos outros países. Para os mexicanos, as pérolas simbolizam as lágrimas derramadas na vida conjugal. Por outro lado, as noivas costumam amarrar 3 fitas em sua roupa íntima no dia da cerimônia.

Uma fita vermelha que representa a paixão, uma azul para atrair dinheiro e prosperidade, e outra amarela para garantir a comida e o sustento da família. Após a troca dos votos, acontece a cerimônia do laço. O casal se ajoelha diante do altar e, enquanto isso, são unidos por um grande rosário, uma fita ou um cordão decorativo, em forma de 8. Essa fita é enlaçada em seus pescoços e simboliza a união e o compromisso eternos.

Quênia

O povo da cultura Swahili habita a costa suaíli, que abrange vários países, incluindo Tanzânia, Quênia e Moçambique. É uma cultura de mais de 3.000 anos, derivada do povo Bantu e com influências de várias outras, graças à imigração. Os rituais de casamento do povo Swahili têm a finalidade de embelezar a noiva e estimular os sentidos. Eles fazem lindas tatuagens nos pés e nas mãos da noiva, mergulhando gravetos em henna, e a banham em óleo de sândalo.

Suécia

Quando falamos sobre casamentos na Suécia, falamos de igualdade e simplicidade. Simplicidade porque não há uma comitiva com muitos padrinhos e madrinhas. Apenas um padrinho e uma dama de honra compõem a comitiva nupcial. Já a igualdade entre gêneros é encorajada na Suécia, inclusive pela igreja, por isso não existe o costume de a noiva entrar com seus pais para ser “entregue” ao noivo. Os futuros cônjuges entram juntos, caminhando de mãos dadas. E, como vão entrar juntos mesmo, o costume de não poder ver a noiva antes da cerimônia também não existe por lá.

Por outro lado, você pode se perder um pouco em um casamento sueco depois do beijo entre os noivos. Acontece que eles têm uma tradição em que a noiva deixa o recinto e todas as convidadas vão até o noivo para beijá-lo também! Depois, é hora do noivo sair para que os convidados façam o mesmo com a noiva. Um momento muito divertido, não acha?

Gostou de conhecer os costumes de casamentos de outros países? Ter contato com outras culturas é uma ótima oportunidade para aumentar o nosso conhecimento. Agora, queremos saber quais desses costumes você acha que deveriam ser adotados pelos brasileiros. Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar este artigo