Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 histórias de casais movidas a muito senso de humor

As relações entre os cônjuges não são simples, requerem muito esforço diário e compreensão. A fim de superar os argumentos mesquinhos e os problemas mais facilmente, algumas pessoas usam sua arma secreta: um senso de humor incomum.

O Incrível.club reuniu 10 histórias que mostram que a capacidade de aprender a rir juntos é uma garantia de um relacionamento familiar duradouro e estável.

  • Estava usando meu computador. De repente, ouvi alguns barulhos estranhos na cama. Virei-me e vi isso: minha esposa cantando "Eu sou um rolinho de carne" (uma canção que tinha acabado de ser inventada), enrolada em um cobertor, formando uma espécie de verme. Então veio rastejando e mordeu o meu calcanhar.
  • Minha avó deu a meu avô uma tarefa: livrar-se das moscas, comprando uma fita adesiva ou algum produto químico. Meu avô lhe disse que ia resolver. À noite vi no peitoril da janela 20 pilhas de 5 moscas cada, fixadas com meu spray de cabelo. Meu avô disse que tinha pego metade das moscas na rua, para impressionar a minha avó e para mostrar que estar aposentado não significava ficar fofocando em um banco de um parque com outros anciãos.
  • Compramos uns cabides. Eu comprei brancos e meu marido de madeira normal. Seis cabides para cada um. Fomos pendurar as roupas e percebi que precisava de mais alguns e comecei a reclamar disso. Meu marido me deu um do dele e foi para a cozinha. Ao retornar, encontrou-me chorando com o cabide de madeira nas mãos: "Você é tão bom! Não se incomodou de dar um dos seus cabides, já eu não teria dado um dos meus, se você precisasse!". Ele riu, beijou minha testa e disse: "Que bom que você se chateou com alguma coisa que não aconteceu com você, e não comigo"!.
  • Minha avó me contou que nasceu em uma grande família de 10 filhos. Seu pai era responsável por registrá-las no cartório. Para as três meninas colocou os nomes: Mazé, Majô e Marijosé. Super criativo.
  • Peguei um resfriado. Fiquei sem voz, inclusive comecei a roncar. À noite acordei porque o meu marido decidiu encostar minha cabeça em seu ombro dizendo: "Minha pequena Darth Vader, deite-se. Assim você vai se sentir mais confortável!".
  • Quando eu era pequena, muitas vezes dormia de olhos abertos. De acordo com a minha mãe, era meio assustador. Hoje meu filho por vezes adormece com os olhos abertos. É realmente assustador! Sua pupila vai para cima e parece que seus olhos são brancos. Meu marido se acostumou, mas às vezes eu questiono se, por acaso, entre meus antepassados ​não ​havia zumbis, já que é tão forte minha alergia a prata.
  • Entrei em trabalho de parto. Meu marido estava no hospital comigo. Para massagear minhas costas, enquanto chorava de dor, trazer-me água... Então senti que meu filho já ia sair. E comecei a chamar pelo médico. Chegou a médica, fui para a cama e ela me disse que o bebê logo nasceria. Meu marido, com um aspecto totalmente tranquilo, pegou uma cadeira, colocou-a na minha frente, observando o processo. E do nada tirou um saco de batatas fritas e começou a comer. Como se assistisse ao National Geographic! Acho que, se fosse possível, teria levado pipoca. Expulsaram-no dali e ele se ofendeu!
  • Minha mãe se casou aos 19 anos e ficou grávida imediatamente. Como era muito jovem, não sabia cozinhar e meu pai sempre estava com fome. Minha mãe decidiu corrigir a situação e comprou um livro de receitas, mas, em vez de cozinhá-las, acordava meu pai no meio da noite e dizia: "Ouça como é delicioso!" e lia a receita de lasanha ou de qualquer outra coisa. Papai aguentou por alguns dias, mas depois disse: "Raios, mas quando é que você vai cozinhar algo deste livro!?". Ainda bem que hoje as coisas mudaram e os homens também são responsáveis por cozinhar.
  • Briguei com meu namorado, estava andando a seu lado com raiva e franzindo a testa. Após uma longa pausa, ele se virou, tomou-me em seus braços, levantou-me para me prender. Ele fez isso com um olhar tão concentrado, que foi impossível segurar a risada. Quando me colocou no chão, caí na gargalhada. Mas ele, sem dizer nada, caminhou em silêncio. Quando perguntei o que foi aquilo, respondeu: "Nada, apenas te sacudi pra ver se saía um sorriso". Hoje, sempre que fico brava, ele se aproxima para sacudir um sorriso.
  • Durante a primeira fase dos relacionamentos amorosos, todos os caras dão a suas namoradas ursinhos de pelúcia, coelhos, gatinhos, etc. E meu marido me deu um gorila... Enorme, quase a metade do meu tamanho, cinza e triste. Além disso, acrescentou: "Este gorila terno me fez pensar em você, quando eu o vi".