Segundo estudo, ficar mudando de um aparelho eletrônico para o outro pode engordar

No mundo da tecnologia e dos gadgets onipresentes, é norma passarmos um tempo no celular, depois mudarmos para o tablet e, em seguida, para a TV ou o notebook. Geralmente nos conectamos ao computador, mas sem deixar de olhar o celular. Esquecemos que existe um mundo lá fora e que viver online 100% do tempo afeta nossa saúde. Agora, um estudo revelou que pessoas que alternam o uso de diferentes aparelhos têm probabilidade maior de ganhar sobrepeso.

Incrível.club deseja apresentar as conclusões dessa pesquisa, que podem nos levar a refletir sobre o tempo que gastamos com a tecnologia.

O lado B da tecnologia

Se você luta contra o sobrepeso, talvez o culpado dessa batalha esteja em suas próprias mãos neste exato momento. Pesquisadores da Rice University, nos EUA, conduziram estudos para analisar quais são os efeitos sobre as pessoas por manipularem diferentes aparelhos eletrônicos. E os resultados não foram muito favoráveis ​​para aqueles que desejam perder peso e que também passam a maior parte do dia no celular, no tablet ou no computador. A conclusão é básica: reduza seu contato com esses aparelhos.

Sem autocontrole

Os autores indicaram que o uso de vários aparelhos digitais ao mesmo tempo está relacionado a uma maior possibilidade de cair em tentações e não ter autocontrole, o que resultaria em um aumento de peso. Richard López, principal autor dos estudos, afirma que o uso desse tipo de tecnologia aumentou nos últimos anos em um ritmo similar ao do avanço da pandemia global de obesidade. Trataremos dessa pandemia a seguir.

Um problema que foi aumentando

A Organização Mundial da Saúde estima que, entre 1975 e 2016, a prevalência global de obesidade triplicou. Especificamente em 2016, mais de 1,9 bilhão de adultos com 18 anos ou mais, estavam com sobrepeso, dos quais mais de 650 milhões eram obesos. Maus hábitos alimentares, sedentarismo e, como demonstrado pelos dois estudos realizados na Rice University, abuso do uso de vários dispositivos tecnológicos, são hábitos que contribuíram para a pandemia.

Distrações constantes

No primeiro estudo, que contou com 132 participantes, foram analisados ​​diferentes comportamentos, como a frequência com que as pessoas checam mensagens no celular enquanto conversam com alguém pessoalmente, além das distrações ocasionais enquanto trabalham, como assistir a vídeos e verificar as redes sociais. Por meio de diversos exames, foi detectado que tais práticas estão relacionadas a um maior índice de massa corporal (IMC).

Desejos atraentes

No caso do segundo estudo, 72 pessoas participaram. Analisou-se a atividade cerebral dos participantes enquanto viam uma série de imagens de diferentes temas, entre eles fotografias de comidas que pareciam deliciosas, porém muito calóricas. Os pesquisadores descobriram que aqueles que tiveram comportamentos como os descritos anteriormente, como consultar muito seus aparelhos ou alterná-los no uso, mostraram uma elevação da atividade na parte do cérebro que lida com as tentações alimentares. Outro fato interessante é que também se descobriu que aqueles com maior atividade cerebral cediam mais às tentações e passavam mais tempo nas cafeterias.

Algo que todos os jovens fazem

Além disso, um outro estudo recente, apresentado na American College of Cardiology Conference (ACC), revelou que universitários que usam seus celulares por mais de cinco horas diárias têm 43% mais possibilidades de desenvolver obesidade e levar um estilo de vida que favorece o aparecimento de doenças cardiovasculares. Os autores afirmam que gastar muito tempo no celular reduz o período de atividade física, aumentando o risco de desenvolver doenças cardíacas.

A convivência sempre em primeiro lugar

Para reduzir o tempo gasto na frente dos aparelhos, recomenda-se definir limites. Algumas alternativas são: ter um dia de folga sem usar o telefone, não tirar o aparelho da bolsa durante o jantar ou colocá-lo em silêncio por um tempo para evitar cair em tentações. Dessa forma, poderíamos evitar passar o tempo todo conectados e aproveitar outras atividades, como caminhar, fazer aulas de algum instrumento e, acima de tudo, conviver com as pessoas ao nosso redor.

Você acredita que o uso de celulares, tablets e computadores está relacionado ao aumento da obesidade no mundo? Diga-nos o que pensa nos comentários.

Imagem de capa Jexi / CBS Film
Compartilhar este artigo