Incrível

Pesquisador alemão explica os truques utilizados pelas redes sociais para nos tornar viciados em smartphones

1-2-
471

Não há quem não concorde que todos nós somos, pelo menos um pouquinho, viciados em smartphones, não é mesmo? Por outro lado, brincadeiras à parte, a ciência e a medicina têm aprofundado os estudos ao redor desse transtorno e já existem até clínicas de reabilitação especializadas no tratamento de dependentes digitais. Enquanto isso, as redes sociais aprimoram suas técnicas para nos manter o tempo todo conectados.

Nós, do Incrível.club, fomos atrás e descobrimos os inteligentes métodos utilizados por essas empresas que nos fazem ficar de olho nas redes sociais por períodos diários cada vez maiores. Christian Montag, psicólogo e pesquisador alemão, explica como funciona. Acompanhe!

O botão de curtir

Criado pelo Facebook há cerca de 10 anos e logo após inserido em inúmeras outras plataformas de interação social, o famoso “Like” funciona como uma recompensa social. Segundo Christian, as curtidas fazem com que a área ligada ao sistema de recompensas do cérebro fique mais ativa. Curiosamente (ou não), essa é a mesma região cerebral que se ativa quando comemos doces ou quando se faz o uso de drogas.

Somos constantemente testados e induzidos

Pesquisador alemão explica os truques utilizados pelas redes sociais para nos tornar viciados em smartphones

Nós somos testados como se fôssemos cobaias em um laboratório, a favor da publicidade. Algoritmos reconhecem nosso estado emocional conforme nosso comportamento online e compreendem quando estamos mais abertos para a publicidade. Dependendo de como estamos nos sentindo, a plataforma mostra esse ou aquele anúncio e, quando estimulados emocionalmente, ficamos vulneráveis à comportamentos irracionais, como as compras por impulso, por exemplo (quem nunca?).

Pesquisador alemão explica os truques utilizados pelas redes sociais para nos tornar viciados em smartphones

Em 2012, o Facebook realizou um experimento com cerca de 700 mil usuários. O grupo A recebia notícias boas, enquanto o grupo B apenas visualizava notícias negativas. Os usuários foram contagiados com o estado de humor causado pelas notícias e acabavam fazendo publicações de acordo com as emoções mostradas no feed. Enquanto isso, aqueles que não receberam nenhum tipo de notícia emocionante, apenas deixaram as redes sociais de lado.

A rolagem infinita

As empresas realizam com frequência uma série de testes, sem que a gente saiba, para descobrir novas formas de nos manter ao máximo na plataforma. Um teste que deu certo é a rolagem infinita. Nós estamos acostumados a realizar atividades que têm um começo, um meio e um fim, mas isso não acontece mais na maioria das plataformas digitais, e por isso também não percebemos o tempo passar.

O resultado disso é que, quanto mais tempo passamos online, mais dados as empresas obtêm sobre nós e, consequentemente, mais dinheiro elas ganham.

A ânsia por estar sempre ligado ao smartphone ganhou até nome, Nomofobia

<p>O celular é a grande muleta da solidão</p>
Leandro Karnal

Que tal nos desligarmos um pouquinho hoje? Mas, antes, deixa o seu comentário aqui para gente e, se quiser, não deixe de nos contar com que frequência você utiliza o seu smartphone ou se já se sentiu induzido a realizar alguma ação por causa das redes sociais.

Ilustrado por Leisan Gabidullina exclusivo para Incrível.club
1-2-
471