Incrível
Incrível

16 Histórias de leitores do Incrível sobre convidados totalmente sem noção

Às vezes, alguns amigos ou parentes vão além do bom senso. Você os convida para sua casa, mas eles fazem algumas coisas tão inapropriadas, que até dá vontade de expulsá-los imediatamente e jamais convidá-los de novo. Afinal, não é nada normal quando uma visita vai ao seu dormitório em busca de poeira e depois te julga por cuidar mal da casa, não é?

Os leitores do Incrível.club contaram histórias sobre os convidados que os deixaram sem vontade de receber visitas por um longo tempo. Aliás, no final do artigo você também encontrará algumas histórias sobre os convidados ideais.

  • Recebi uma amiga em casa. Estávamos tomando um café quando ela de repente saiu da mesa. Daí ela voltou com poeira no dedo e disse: “Ninguém controla você?” Como é que é? Alguém me controlando na minha própria casa?! Minha resposta foi: “Querida, você sabe onde fica a porta? Tchau!” © Anna Yanko / Facebook
  • Um convidado passou o dedo na TV, depois pegou um pano e limpou, olhando para mim com cara de deboche. Nunca mais o convidei à minha casa. © Elena Schvarzman / Facebook
  • Certa vez, uma amiga veio me visitar e, indo embora, caiu e machucou o ombro. Então ela me culpou por tudo! Não perguntei o que exatamente eu tinha feito de errado, mas por alguns anos ela nem falou comigo... © Tamara Galanchuk / Facebook
  • Uma vez recebemos em casa o chefe do meu marido e a namorada dele. Preparei quartos, lençóis, toalhas limpas. Então essa senhora exigiu que eu desse a cada um deles uma toalha para o rosto, uma para as mãos, uma para o corpo e uma para cada parte do corpo. Quando eu ia usar o banheiro depois dela, eu sempre tinha que descartar os absorventes usados dela. © Marina Akelieva / Facebook
  • Uma amiga estava me visitando. Eu fui tomar um banho rapidinho e ouvi as portas dos armários abrindo e fechando, ou seja, ela estava procurando alguma coisa... Depois daquilo, a porta de casa é fechada para ela. © Natalia Vinnichenko / Facebook
  • Uma amiga veio me visitar com sua filha de 7 anos. A menina comeu o bolo, foi até a janela e limpou a boca e as mãos na cortina. Eu fiquei chocada! Imediatamente trouxe uma escada e mandei a mãe dela tirar a cortina. Ela tirou, mas ficou ofendida. Mas eu não estou nem aí! É preciso educar as crianças. © Svetlana Redko / Facebook
  • Pedi a uma amiga para cuidar do meu gato durante duas semanas, enquanto eu estava viajando. Percebi que não tinha dado certo quando, ao voltar, uma vizinha perguntou se algo terrível tinha acontecido no meu apartamento. Ao entrar no apartamento, fiquei pasma... Aquele fedor, não dá para descrever. O lixo ficou acumulando por duas semanas, pois ela “não sabia onde estava a lixeira do condomínio”. Embora ela esteja bem na frente da entrada do prédio. E o gato estava fazendo suas necessidades por todas as partes porque a caixa de areia não sido limpa. Resumindo, fiquei das 7 às 18 horas limpando tudo. Isso que o meu apartamento é de apenas um quarto. © Kano Jera / Facebook
  • Nos anos 80 éramos uma família jovem: eu, meu marido e nosso filho. Apesar de que os dois trabalhávamos, eu gostava de cozinhar e sempre procurava fazer algo delicioso. Certa vez, convidamos para jantar os padrinhos do nosso filho. Aparentemente eles gostaram muito, pois começaram a vir todos os dias. Um dia, o padrinho até disse, como se estivesse brincando: “Ah, minha esposa nem quer cozinhar, ela diz, por que cozinhar se podemos comer na casa deles?” Embora sua esposa seja cozinheira de profissão. Óbvio que eles sempre deixavam um monte de louça suja... Aqui, na nossa terra, não é costume brigar com padrinhos, então inventei um truque. Na outra vez que vieram, ofereci-lhes apenas pastéis e chá, disse que não tinha tido tempo para cozinhar. Eles, é claro, ficaram pasmos e comeram com cara de ofendidos. Nunca mais vieram sem convite. © Larisa Gorodnyuk / Facebook
  • Uma vez uma amiga veio à minha casa com seus três filhos para passar duas semanas. Logo no dia seguinte, ela convidou suas amigas para virem à minha casa visitá-la. Uns dias depois, ela decidiu arrumar a casa enquanto eu estava no trabalho. Ela limpou até as gavetas, onde estava minha roupa íntima, e jogou fora todas as minhas roupas que achou “desnecessárias”. E até mesmo um saquinho com ouro... Ela nem olhou o que havia dentro. Felizmente, eu encontrei o saquinho no lixo. Suas roupas e as das crianças ela lavava várias vezes por dia, mesmo depois de 5 minutos de caminhada na rua. Chegava a lavar na máquina apenas três pares de meias. Nunca usou fralda para a criança em casa. Aconteceu várias vezes de eu estar me arrumando para ir trabalhar e pisar em algo molhado e ter que me trocar de novo. Nem falo das migalhas de comida no sofá e no chão, pois as crianças não comiam à mesa, mas correndo pela casa toda.
    É claro que eu não briguei com ela, apenas suspirei de alívio quando finalmente foram embora. Mas não consegui manter contato posteriormente. E ela nem percebeu o motivo. © Laura Kudaibergenova / Facebook
  • Uma amiga da minha filha pediu para ficar na nossa casa até o final do mês. Eu permiti, mas depois me arrependi muito. Ela não tinha o hábito de lavar os pratos depois de comer. Percebi isso apenas uma semana depois, quando vários pratos e xícaras estavam faltando. Encontrei os pratos sujos em diferentes partes da cozinha.
    Embora a menina trabalhasse, ela nunca comprou nada para a casa. Comia nossos produtos como se fossem dela. Fiquei muito irritada com essa atitude. Quando o tempo combinado passou, ela não foi embora. Eu tive que educadamente mandar ela ir embora e disse à minha filha que isso não podia se repetir. Mas ela mesma não gostou do comportamento daquela amiga. © Lika Romanova / Facebook
  • Uma colega foi ao meu banheiro “para fazer o número dois” e reclamou porque o nosso purificador de ar tinha cheiro de lírios do vale, ao que ela era alérgica. Então, na próxima vez, traga o seu purificador ou corra para a sua casa! © Elena Makhova / Facebook
  • Deixei de convidar uma colega a minha casa depois que percebi que ela subia no vaso sanitário do meu banheiro. Claro que não vi com meus próprios olhos, mas ela deixou marcas de sapatos sujos no assento do vaso. Naquele dia ela estava indo embora e já tinha calçado os sapatos quando decidiu ir rapidamente ao banheiro. Depois que ela saiu fui ao banheiro e vi as pisadas. © Elena Dmitrieva / Facebook
  • Um cara reclamou que eu comprava um azeite barato demais. Depois disso, ele, com toda a dedicação, pesquisou no Google se este azeite podia ser consumido ou se era apenas para uso técnico. © Vilena Krasnitsky / Facebook
  • Uma convidada elogiou muito nossa frigideira, dizendo que era muito boa para fazer panquecas. Quando ela foi embora, nunca mais vimos aquela frigideira... © Elena Khramova / Facebook
  • Uma vez, minha irmã pediu para hospedar ela e os dois filhos por um tempo, até que ela conseguisse um emprego e alugasse uma casa. Naquela época, eu mesma morava em um apartamento minúsculo alugado. Meu filho teve que dormir comigo enquanto eles estavam na nossa casa. Mas ele já não era um bebê, estava na escola. Pois bem, somos uma família, afinal. Mas! O tempo se passou, e ela nem tentou a mudar a situação. Enquanto eu estava no trabalho, ela estava mexendo no computador, e o meu filho e o meu sobrinho mais velho cuidavam da sobrinha. Depois do trabalho, eu ainda tinha que cozinhar, arrumar a casa e levar as crianças para passear. Às minhas perguntas “Quando?” ela apenas respondia “Não sei”. Aguentei assim apenas duas semanas e pedi que ela se mudasse. Depois eu me repreendi bastante... Mas se eu não tivesse feito isso, ela não teria aprendido a lidar com seus problemas até hoje. A propósito, aquela não foi a primeira vez. Só que daquela vez ela ultrapassou todos os limites da minha paciência e a do meu filho. Sou cruel? Então me atirem os chinelos. © Jenechka Elfimova / Facebook
  • Quando jovem, tive uma colega. Éramos boas amigas, conversávamos o tempo todo, nos visitávamos. Na verdade, ela me visitava com mais frequência. Certa vez, ela foi ao banheiro da minha casa para lavar as mãos e deixou a porta aberta. Poucos minutos depois, eu a vi diante do espelho (enquanto todo mundo estava esperando por ela na mesa). Fui apressá-la e vi uma “pintura a óleo”: sem perguntar, ela estava passando o creme facial da minha mãe, muito caro, nos seus pés. Quando me viu chocada, ela calmamente pegou mais creme e continuou, nem um pouco envergonhada. Naquele dia eu não disse nada a ela, mas não a convidei mais para minha casa e não conversei mais com ela. Eu não queria arrumar um conflito naquele momento. Depois que aquela amiga foi embora, contei tudo para minha mãe e expliquei que iria cortar o contato, pois considero tal comportamento equivalente a roubo. Minha mãe me elogiou por não ter desenvolvido conflito e disse o que me lembro até hoje: “Olha filha, que sorte que essa pessoa revelou sua essência em um ato insignificante, e não em um momento importante e responsável de sua vida.” © Darya Prokapalo / Facebook

Bônus: convidados ideais também existem

  • Há muitos anos, minha amiga e seu marido vieram nos visitar. Ele ficou apenas uma semana e partiu para a Alemanha por três meses. Porém, durante aquela única semana, ele ajudou o meu marido a resolver muitos problemas de casa, testou todos os eletrodomésticos e consertou o que precisava de manutenção. Após a partida dele, minha amiga ficou mais tempo conosco. Ela ajudava em tudo, nem perguntando se era necessário. Ah, aquelas guloseimas que ela preparou! Desejo tais convidados a todos. © Irina Kazik / Facebook
  • Estou chocado pelo que li. Eu tenho uma melhor amiga, temos amizade desde a infância. Agora nossas famílias também são amigas, somos ainda mais próximos do que alguns parentes. Certa vez, eles nos convidaram para passar o Réveillon na casa deles. Nós nos divertimos muito, brincamos e fizemos várias tolices. Eles nos deixaram dormir no apartamento deles, enquanto eles mesmos subiram para o apartamento dos pais. De manhã, quando voltaram, ficaram pasmos. O marido dela disse: “Voltem sempre, são sempre bem-vindos aqui!”. Nós apenas fizemos o básico que podíamos: lavamos a louça, varremos o chão, arrumamos a cama, etc. O apartamento ficou limpo, nem parecia que tinha tido uma festa na noite anterior. O segredo é respeitar sempre, respeitar a si mesmos e a seus amigos. E essa deve ser a regra. © Ivan Goryainov / Facebook

Você já recebeu visitas que fizeram algo um tanto estranho e deixaram apenas impressões desagradáveis? Conte nos comentários e talvez publiquemos sua história na próxima seleção!

Observação: Este artigo foi atualizado em Fevereiro de 2022 para corrigir o material de origem e/ou imprecisões factuais.
Incrível/Psicologia/16 Histórias de leitores do Incrível sobre convidados totalmente sem noção
Compartilhar este artigo