Incrível

Especialistas explicam qual é a melhor maneira de acariciar um gato

Há cerca de 4 mil anos, homem e gato começaram um relacionamento único na história. Pequenos e fofos, é difícil não adorar nossos amigos felinos. Gostamos de mimá-los, quer sejamos seus donos ou completamente estranhos. Sua presença nos anima. Mas podemos saber se o gato está gostando das nossas carícias? A ciência responde. E ainda nos mostra a melhor maneira de acariciar um bichano.

Hoje, o Incrível.club mostra como cuidar de seu amigo do jeito mais aconselhado pelos especialistas.

Eles têm suas preferências quando o assunto é carinho

Quando se trata de mimar seu amigo bigodudo, é importante prestar muita atenção às respostas físicas do animal. Um novo estudo pesquisou quais áreas o gatinho prefere. Sinais negativos foram demonstrados quando acariciados na barriga ou perto da cauda. Por outro lado, eles tendem a apreciar as carícias ao redor do rosto, nas bochechas e no queixo.

Eles não gostam de ser forçados

Como donos, tendemos a procurar nosso gatinho e a acariciá-lo. Esse é um momento de amor genuíno entre ambos. No entanto, os estudiosos descobriram que os felinos preferem tomar eles mesmos a iniciativa da interação. É por isso que você não deve persegui-lo ou forçá-lo, mas esperar que ele se aproxime com serenidade.

Menos é mais

Carícias suaves e longas são o estilo de interação preferido dos felinos, de acordo com especialistas. Não é necessário tocá-los repetidamente; isso os deixa nervosos e lhes causa uma ansiedade inexplicável. Também é importante analisar seu rosto e seus miados para verificar se ele está realmente gostando das carícias. O gato é mais receptivo do que pensamos e precisa ser tomado por uma sensação de paz na presença do dono ou de outra pessoa.

“Não toque nos meus bigodes!”

Uma questão importante diz respeito aos bigodes. A grande maioria das pessoas não conhece sua função. Simplificando, eles são um mecanismo sensorial que os gatos usam para se localizar. Se estiver muito escuro, eles sabem o que há em um cômodo e nem precisam tocar nas coisas com seus bigodes para ter certeza. Como donos, devemos evitar tocar nessa área a todo custo. Se ela for machucada, o gatinho ficará confuso e desorientado. Além disso, ficará “chato” conosco.

Detestam ser examinados fisicamente

Sentir-se ameaçado é uma grande tendência entre os felinos. Na frente de cães grandes ou pessoas altas, eles tendem a ficar na defensiva. É por isso que, quando os pegamos pelo tronco e os levantamos sem sua permissão, eles passam muito mal. Um estudo explorou suas respostas físicas quando tratados pelo veterinário. A conclusão, um tanto esperada, foi a de que eles não se sentem confortáveis nessas situações, apresentando respiração ofegante, pupilas dilatadas e movimentos de luta para simplesmente dar o fora.

Você tem gatinhos? Acaricia-os de alguma maneira especial? Conte-nos na seção de comentários.