Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Especialista em etiqueta explica como enfrentar quem desconhece o significado de cortesia e tato

Maria Yudakova é especialista em etiqueta. Em suas publicações, ela explica como tratar os outros com gentileza mantendo o respeito próprio. Ela acredita que a etiqueta não é um tipo de conhecimento sagrado apenas para a elite, mas um conjunto de regras acessível e necessário para todos. Em palavras simples e com humor, Maria escreve sobre as regras que regulam a nossa conduta.

Graças a Maria, o Incrível.club encontrou as respostas para perguntas sobre como lidar com vizinhos barulhentos, passageiros rudes no transporte público e colegas sem tato, e escolheu as mais discutidas. Confira!

1.

  • Eu me incomodo muito com pessoas que gostam de ouvir música sem fones de ouvido na natureza ou em algum lugar público. O mesmo se aplica a crianças com desenhos animados ou jogos eletrônicos em cafés ou viagens de avião. O que faço?
    Em cafés e restaurantes, costumo chamar um garçom e pedir para ele fazer algo a respeito. Ajo da mesma maneira quando escuto alguém falando muito alto com sua família em uma videochamada. Sempre pergunto ao funcionário por que o estabelecimento permite esse comportamento desrespeitoso por parte de seus clientes. Normalmente, o problema se resolve na hora ou o garçom chama o gerente. A questão é que, se eu mesma pedir para um desconhecido colocar fones de ouvido, a pessoa provavelmente ficará agressiva. Infelizmente, as pessoas que negligenciam os padrões de etiqueta tendem a ignorar os pedidos dos outros.

2.

  • Como responder corretamente às perguntas “Você é casada?”, frequentemente vinda de taxistas, “Por que seu marido não conserta isso? Ele é preguiçoso ou você é solteira?”, de encanadores, e a outras questões semelhantes feitas por clientes a garçonetes, cabeleireiras, etc.?
    É possível dizer: “Não tenho o hábito de discutir a minha vida privada com estranhos” e coisas do tipo. Quando eu ainda era solteira, respondia da seguinte forma: “Por que o meu marido não pode consertar isso sozinho? Porque ele está preso em um presídio de segurança máxima pela terceira vez. Quer um café?” Mas a primeira opção é suficiente. E perguntas como “Por que você não é casada?” e “Por que você não tem filhos?” deveriam prever pena de até três anos de prisão com confisco de bens em favor de orfanatos e abrigos de animais.

3.

4.

  • Como ocupar os assentos de ônibus quando as passagens não indicam o número? Certa vez, entrei em um ônibus turístico em que alguns casais se sentaram de forma que ambos ficaram na janela, fazendo com que outros casais se sentassem longe um do outro, ao lado de desconhecidos. No meu caso, meus vizinhos começaram a conversar, inclinando-se sobre mim e quase deitando no meu colo. Pedi para que eles parassem, mas de nada adiantou.
    As pessoas podem se sentar onde quiserem, contanto que não se comportem como você descreveu. É claro que seria perfeito se os casais se sentassem juntos. Mas estou falando de um mundo ideal, nossa realidade é diferente. Recentemente, eu estava trabalhando em uma mesa dentro de um café. Ao meu lado, sentados com uma distância de 2 metros, uma mulher e um homem estavam conversando tão alto que não me deixavam ouvir música com os fones. Quando olhei para eles, a mulher gritou para seu companheiro: “Viu, aquela moça está olhando para a gente. Deve ser porque estamos gritando, atrapalhando-a!” Respondi, sorrindo: “Não se preocupem. Por favor, comportem-se como se estivessem na sua floresta nativa”. Trabalhei em silêncio pelo resto do dia. Sim, esse foi um conselho.

5.

  • Meus colegas de trabalho costumam me enviar solicitações de amizade no Facebook, mas não quero aceitá-las, uma vez que tenho o hábito a postar várias informações pessoais que não são da conta deles. Qual é a maneira correta de explicar isso sem ofender ninguém?
    Seu chefe não visita os subordinados dele à noite para ver como eles vivem, o que comem ou para saber se repreendem seus filhos e têm um banheiro perfeitamente limpo, certo? Podemos saber muito sobre uma pessoa que usa com frequência as redes sociais. Então você tem todo o direito de não adicionar seus colegas à sua lista de amigos nas redes sociais. Sua conta é sua propriedade. Se seus colegas exigirem que você os adicione, responda calmamente que evita misturar a vida pessoal e o trabalho ou que tem um princípio: não adicionar seus colegas aos amigos. Se eles perguntarem o porquê, responda algo como: “Meu marido não deixa”.

6.

7.

  • Como reagir quando, na minha presença, comentam sobre a aparência de alguém do meu círculo de convivência: “É melhor que ela não use esses vestidos”, “Espero que ela não faça esse corte de novo!”, “Por que ela fez uma tatuagem? É tão feia”? Ou quando me perguntam: “Ela está com excesso de peso por causa de uma doença ou não?” E a última questão é a cereja do bolo: “Como ela conseguiu casar?”, insinuando que o marido dela é carismático e que ela não o merece.
    Esse é um caso em que seria melhor ignorar a falta de educação. Mas também há respostas para tirar a vontade das pessoas de voltar a fazer esses tipos de perguntas:
    — Este vestido não fica bem nela.
    — Na minha opinião, é um vestido deslumbrante e cai bem nela.

    — Que tatuagem feia.
    — Ela é tão linda que nada pode estragar sua beleza, nem essa tatuagem, que eu achei muito legal.

    — Como ela conseguiu casar?
    — Você realmente não entende?
    Nesse último caso, pode-se acrescentar um olhar repleto de indignação.

8.

  • Eu, meu colega e a nossa chefe dividimos um pequeno escritório, e ela sempre come algo com um cheiro muito forte no local de trabalho (peixe, alho, etc.). Temos uma cantina, mas fica em outro andar e a mulher tem preguiça de ir até lá. Além disso, ela não quer que abramos a janela porque fica com frio. Como podemos acabar com essa situação? Tenho medo de que, se eu disser diretamente para ela, vou criar um inimigo.
    Vai, sim. Não tem como lidar com isso de forma delicada, porque ela é sua chefe e provavelmente não se importará com sua opinião. A única coisa que pode ser feita é discutir sobre esse assunto com os superiores dela. Seria bom se um deles entrasse no seu escritório durante o almoço. Eu tinha amigos entre os secretários de executivos para resolver problemas delicados: costumava chegar ao trabalho de manhã, tomar um café e reclamar dos meus supervisores. Em seguida, tudo se resolvia de uma forma ou de outra.

9.

10.

  • Meu colega trabalha mal, e quando peço para ele refazer suas tarefas, começa a mostrar de todas as formas possíveis que o que estou pedindo é bobagem e que eu sou o problema. Com os demais acontece o mesmo, todos têm culpa, menos ele. O indivíduo também costuma me enviar um monte de mensagens de texto e voz, inclusive à noite. Gostaria de saber como me comportar com uma pessoa assim.
    A etiqueta empresarial implica o bom desempenho de cada funcionário. Podemos compartilhar o nosso descontentamento com a nossa família ou os nossos amigos, mas, no trabalho, é imprescindível que garantamos um resultado de qualidade correspondente ao nosso cargo dentro de certo prazo. Do contrário, estaremos sujeitos a uma multa. Portanto, durante o trabalho, é importante se comportar de maneira decente e evitar enviar mensagens de voz aos seus colegas, especialmente à noite. Você pode avisar a pessoa que pratica esse tipo de conduta que sempre apaga mensagens de voz sem as ouvir e as de texto que recebe fora do horário de trabalho. Além disso, seria melhor se você registrasse cada infração de seu colega e envolvesse seu chefe na solução do problema, pois uma das funções dele é resolver esses tipos de conflitos. Quando um funcionário tende a se comportar da maneira descrita acima, ele normalmente é demitido, já que faz mais mal do que bem.

11.

  • Como reagir a frases como “E eu faria diferente!” ditas durante um bate-papo por pessoas que não sejam próximas e se opõem a qualquer notícia: “Mas você vai para tal lugar? Não gostei de lá e não iria novamente” ou “Você comprou algo novo? Eu estou satisfeito com o velho”.
    Em situações assim, a pessoa quer dar a entender que se acha melhor do que você. Uma das possíveis respostas: “Você não gostou daquele lugar? Acontece, somos todos diferentes. Estou muito feliz em saber que o velho ainda te serve, mas já estava na hora de me renovar”. A outra opção é balançar a cabeça silenciosamente em sinal de concordância ou simplesmente encerrar a conversa quando estiver exausto de falar. Você também pode fingir estar surpreso, fazendo uma careta confusa: “Você realmente curte uma coisa tão velha?” Ou sorria e pergunte: “Como assim??? Pensei que todos gostassem daquele lugar”. Muitas vezes, esse tipo de gente quer instigar uma briga ou fazer com que você dê desculpas. Porém, não se deixe ceder às emoções, pois é o que os provocadores procuram.

12.

13.

  • Como responder aos comentários desagradáveis sobre aparência, tais como: “Nossa, você emagreceu?” Estou certa de que isso não é um elogio, mas uma ofensa.
    Todos os elogios como “Você está linda HOJE”, “Como você emagreceu, hein?” e “Esse corte de cabelo fica melhor em você” dão uma vontade irresistível de virar as costas e ir embora. Existem frases de elogios universais sem conotação pejorativa: “Você está bonita!” ou “Como você é linda!” Ao falarmos sobre uma pessoa conhecida, podemos elogiar seu sorriso ou dizer algo como: “Esse vestido fica bem em você”.

14.

  • Todos sabemos que precisamos tomar cuidado ao apontar os erros alheios. Por isso gostaria de perguntar como me comportar quando alguém invade o meu espaço pessoal? Senta-se perto de mim com as pernas e os cotovelos afastados no metrô ou fala muito alto ao celular sobre assuntos pessoais em um recinto pequeno (por exemplo, em um escritório). Nessas situações, costumo sair, trocar de assento ou simplesmente aguentar.
    Você pode pedir ao indivíduo com gentileza para sair de seu espaço, porque se sente desconfortável. Uma pessoa consciente entenderá você e talvez até pedirá desculpas. Mas se ela for mal-educada, não lhe dará ouvidos.

15.

16.

  • Quando participo de uma reunião de pais, sempre quero resolver os problemas o mais rápido possível e ir embora. Porém, sempre tem pais que acham que esse é o lugar perfeito para bater um papo, como se fôssemos todos amigos: “E o meu filho falou...”, “Sim, e o meu também...” ou “Mas o meu gosta...”. Por que devo gastar o meu tempo ouvindo tudo isso? Como agir nesse caso?
    O professor deve garantir que a reunião de pais não se transforme em um encontro de pessoas que querem papear. Você pode avisá-lo com antecedência que em um determinado momento você vai embora. O importante é manter a sua palavra. Mas, se por esses motivos, acha que é melhor não ir à uma reunião, então não vá.

17.

  • O que faço se os meus sogros, matemáticos, simplesmente pessoas muito inteligentes, são completamente desprovidos de boas maneiras? Por exemplo, colocar o dedo no nariz conversando com alguém é considerado absolutamente normal na família deles. Minha sogra costuma fazer isso de boca aberta durante todas as refeições em família. Eles também não se importam de enfiar a mão em um prato compartilhado ou tomar um suco direto da caixa.

Sinto muito. Não acho que exista uma maneira decente e eficaz de influenciar as pessoas nesse caso, a não ser reduzir seus encontros. O ponto é que, se você pedir que um deles pare de beber suco direto da caixa, apenas enfrentará um olhar repleto de ódio. Se a pessoa passou a vida inteira fazendo isso, dificilmente mudará sua atitude. Mas o fato de os indivíduos em questão serem seus sogros não obriga você a manter constante contato com eles nem de recebê-los em sua casa. Você pode até parar de se encontrar com eles ou oferecer para se reunirem em um café ou restaurante. Isso pode ajudar, pelo menos ali não são servidos pratos compartilhados.

18.

19.

  • Alguns dos meus colegas adoram mostrar a todos as 856 fotos de seus gatinhos, filhos ou de seus avós e contar em detalhes como eles estão e se sentem. As histórias terminam quando a pessoa fica cansada de contá-las. Como é possível evitar isso?
    Não há uma palavra-chave especial para situações assim na etiqueta, mas esta é baseada na comunicação. Infelizmente, cada pessoa entende a comunicação de sua maneira particular. Portanto, na minha opinião, a melhor forma de reagir é escapar do possível diálogo sob o pretexto de tarefas urgentes e usando uma frase como “Oh, que filhos lindos!” A boa notícia é que se você repetir que está ocupado dez vezes seguidas, a pessoa te deixará em paz.

20.

  • O que dizem as regras de etiqueta sobre pessoas que deixam sacolas de lixo do lado de fora da porta de seu apartamento em condomínios “apenas por um minuto”?
    As regras de etiqueta não dizem nada sobre essas pessoas nem sobre macacos na savana, lobos selvagens ou algas azuis. Os padrões de etiqueta não preveem a existência desse tipo de gente no século XXI. Você até pode pedir para que essas pessoas parem de fazer isso, mas se prepare para uma resposta pouco gentil. Também é possível entrar em contato com a administração do condomínio, se tiver. Mais uma saída é colocar anúncios na entrada dizendo que não se pode deixar seu lixo no corredor. Quando eu estava no primeiro ano da universidade e morava em um dormitório, minhas vizinhas de andar eram muito bagunceiras. Uma delas costumava guardar comida no banheiro: ela colocava um saco de cenouras perto do boxe do chuveiro, deixando-as apodrecerem e, assim, atraindo baratas. Todas as vezes que tentei conversar com essa garota sobre o assunto, ela gritou comigo. Mas certa vez, minha amiga colocou alguns recados no banheiro dizendo: “Cátia, por favor, tire a gente daqui. Aqui está escuro e tem baratas. Estamos muito assustadas. Assinado: suas cenouras”. Funcionou!

21.

22.

  • Como dizer ao meu colega que ele cheira mal e deveria considerar trocar de roupa? Li que seria melhor se um colega sênior do mesmo gênero dissesse isso, mas não temos nenhum.
    Nesse caso, não vejo outra saída dentro da ética a não ser inventar algo. Minha amiga tinha uma colega de trabalho que saía com rapazes com frequência, mas raramente tomava banho. Certa vez, essa minha amiga disse à sua colega: “Que pessoa incrível você é! Consegue voltar para casa depois do trabalho, tomar um banho e ainda sair para um encontro!” Depois disso, a situação melhorou muito. Não é uma solução perfeita, mas pelo menos voltamos a respirar ar fresco no escritório. Você também poderia pensar em algo do tipo. Não posso dar conselhos mais detalhados porque não sei de quem estamos falando. Por que algumas pessoas não fazem questão de cuidar de si mesmas, enquanto outras têm de aguentar e encontrar maneiras de se comportar educadamente com elas? Porque isso é a vida. Se falamos de etiqueta, as coisas funcionam da seguinte forma: muitos podem até comer com as mãos, mas, se você é uma pessoa educada, sempre escolherá os talheres e irá ao banheiro para usar um palito de dente. Isso também se aplica à sua situação. Seu colega de trabalho cheira mal, e você acha que quer evitar ofendê-lo. Mas, na verdade, você quer evitar se tornar uma pessoa que se permite ferir os sentimentos dos outros.

23.

  • Quero pedir demissão e já apresentei a minha carta ao meu chefe. O que fazer se, nos meus últimos dias na empresa, ele tem tentado me sobrecarregar, delegando-me tarefas difíceis? E qual seria a maneira mais educada de me despedir dos meus colegas, independentemente da atitude deles para comigo?
    Você não pode influenciar seu chefe e seus colegas de trabalho, mas pode controlar seu comportamento. Vale destacar que isso é importante não para causar uma boa impressão, pois não tem como entrar na cabeça de alguém e mudar sua opinião sobre o outro. Todos entendemos que o ponto de vista alheio nem sempre tem algo a ver com a realidade. Saber se portar adequadamente é essencial para si mesmo e, também para desarmar pessoas tóxicas. Se alguém for rude com você, maltratá-lo e sobrecarregá-lo com tarefas adicionais, sorria e faça tudo que ele mandar, porque tudo vai acabar logo. Na hora de sair da empresa, basta dizer a todos: “Obrigado pela colaboração frutífera! Deixar esta empresa incrível e me despedir desta equipe profissional, que se tornou a minha família, não foi uma decisão fácil”. Você não fará isso por eles, mas por si mesmo. Então, comportar-se de forma civilizada é a melhor saída da sua situação.

E você, como costuma lidar com pessoas mal-educadas e sem tato? Comente!