Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Com que idade esquecemos as experiências da infância?

Todos nós sabemos que as crianças absorvem a informação como se fossem esponjas. Mas se isso é verdade, porque é tão difícil lembrarmos dos primeiros anos de nossas vidas? O Incrível.club reuniu para você dados que jogam luz sobre esta questão.

Como a memória muda de acordo com a idade

Por que isso acontece?

Existe um fenômeno chamado amnésia infantil: ele aparece aproximadamente por volta dos sete anos de idade, quando começamos a esquecer os acontecimentos dos primeiros anos de nossa infância.

Isto é necessário para o funcionamento saudável da memória nos adultos. Generalizando um pouco, ela funciona como uma memória de computador: quando muita informação se acumula, o sistema fica mais lento. Por isso, o próprio cérebro dá um jeito de apagar algumas informações. A parte do cérebro que responde pela formação da memória determina uma espécie de "equilíbrio para a conservação". O resultado disso é que o ser humano grava não apenas a nova informação, mas também apaga os dados desnecessários para continuar gravando aqueles que são novos.

Devido à possibilidade de experiências da infância poderem continuar influenciando em nosso comportamento, mesmo depois de termos esquecido delas, alguns psicólogos supõem que essas experiências certamente continuam em nossa memória. Justamente por isso, na maioria das pessoas, a cortina das lembranças sobe em diferentes idades. Por exemplo: algumas pessoas lembram do que aconteceu quando elas tinham dois ou cinco anos. Por outro lado, muitos não conseguem lembrar de fatos ocorridos quando tinham sete ou oito anos.

Ao mesmo tempo, é preciso ter cuidado com as lembranças, já que nossa mente pode deixar que a memória caia numa armadilha. Em 1980, Elizabeth Loftus, psicóloga da Universidade da Califórnia, realizou uma experiência curiosa: ela juntou um grupo de voluntários, passando a "implantar" neles falsas lembranças. Quase um terço dos participantes caiu na armadilha. Alguns conseguiram lembrar, com todos os detalhes, dos acontecimentos "impostos".

Por isso, não confie muito em todas as suas lembranças infantis: talvez você tenha apenas imaginado o fato, baseando-se nas histórias de outras pessoas, acreditando em coisas que nunca aconteceram na realidade.

Produzido com base em material de the telegraph, bbc, scientificamerican, livescience