Incrível
Incrível

9 Razões para ouvir música agora mesmo e bem alto

Ouvir sua música favorita é bem agradável, mas estudos mostraram que ela também tem muitos outros benefícios psicológicos.

Por exemplo, a música pode relaxar, aumentar a resistência e até mesmo ajudar as pessoas a lidar melhor com a dor. Neste post, contaremos quais outras vantagens ela tem.

Além disso, o Incrível.club ajudará você a determinar como sua música favorita o caracteriza.

1. Reduz o estresse

Todo mundo sabe que boa música ajuda a relaxar. É nisso que se baseia a indústria da música meditativa. Os cientistas estão confiantes de que ouvir composições agradáveis ajuda a lidar com situações estressantes.

Em 2013, pesquisadores dos Estados Unidos, da Alemanha e da Suíça realizaram um estudo com 60 mulheres. Primeiro, elas foram divididos em 3 grupos. O primeiro ouviu música relaxante (em particular), o segundo, o som da água e o terceiro não ouviu nada. Então, os voluntários realizaram um teste de estresse. Ao medir o nível de cortisol no sangue após o teste, os cientistas chegaram à conclusão, agora científica, de que a música relaxante ajuda a lidar melhor com o estresse.

2. Melhora o sono

A insônia é um problema sério que afeta pessoas de todas as idades. Há muitas maneiras de resolvê-la, e a música é uma delas.

Um estudo conduzido por cientistas húngaros envolveu 94 estudantes que se queixavam de dormir mal. Durante 3 semanas, um grupo desses alunos ouviu um audiolivro durante 45 minutos antes de ir dormir; o segundo ouviu música clássica e o terceiro, nada.

Os cientistas avaliaram a qualidade do sono dos alunos antes e depois do estudo. Como resultado, descobriram que a música clássica havia melhorado a qualidade do sono em comparação com os audiolivros. Na verdade, pode ser usada como um remédio saudável para insônia leve.

3. Reduz a dor

A musicoterapia é uma das formas de reduzir a dor e acelerar a recuperação, e os cientistas confirmaram essa teoria.

Pacientes com fibromialgia (uma doença crônica que faz com que as pessoas sintam dor em todo o corpo) participaram de um estudo de especialistas espanhóis. Um grupo de pacientes foi autorizado a ouvir música uma vez por dia durante 4 semanas. O segundo grupo não recebeu musicoterapia. Como resultado, depois de 4 semanas, as pessoas que ouviram música sentiram menos dor e o estado geral do seu humor melhorou.

Uma revisão de estudos sobre o assunto realizados em 2015 mostrou que os pacientes que ouviram música antes, durante ou mesmo após uma operação, experimentavam menos dor e ansiedade do que aqueles que não ouviam absolutamente nada.

Esses resultados mostram que a musicoterapia (desde que associada ao uso de remédios) pode ser uma ferramenta importante tanto para o tratamento da dor crônica quanto para aliviar a dor ou a ansiedade temporária.

4. Ajuda a perder peso

Uma das características psicológicas mais surpreendentes da música é que ela ajuda a perder peso.

De acordo com um estudo, pessoas que comeram em restaurantes com iluminação suave e música tranquila consumiram 18% menos do que aquelas que jantavam em estabelecimentos bem iluminados, com música ambiente rápida. Os cientistas acreditam que a música e a iluminação criam uma atmosfera mais relaxada. Isso ajuda as pessoas a comerem mais devagar e perceber o tempo que levam para se sentirem saciadas.

5. Aumenta a resistência

Outra importante vantagem psicológica da música é sua capacidade de aumentar a resistência e o desempenho. Cada pessoa tem uma frequência preferida para andar e correr. Se você ativar a música rítmica, ela ajudará você a aumentar sua velocidade. Por exemplo, esse tipo de melodia ajuda os corredores não apenas a correrem mais rápido, mas também por mais tempo.

Segundo os pesquisadores, o ritmo ideal de música para treinar é entre 125 e 140 frequências por minuto.

Qualquer pessoa que corra ouvindo um som sabe que é muito mais fácil e agradável suportar longas distâncias ao som de uma boa trilha sonora.

6. Melhora o efeito de certos medicamentos

Cientistas brasileiros da Unesp em Marília (SP) descobriram que, se pessoas com pressão arterial alta (hipertensão) ouvem música depois de tomar medicamentos, o efeito dos fármacos aumentará. Além disso, a música normaliza a frequência cardíaca, o que também ajuda nos problemas cardíacos.

Os participantes do estudo ouviram música clássica. Uma das hipóteses apresentadas pelos pesquisadores é que a música estimula o sistema nervoso parassimpático, aumenta a motilidade gastrointestinal e acelera o processo de assimilação das drogas, melhorando seu efeito sobre a frequência cardíaca.

7. Ajuda a melhorar o relacionamento com as crianças

Se você tem crianças pequenas e canta para elas, isso as ajudará a se relacionar com os amigos e com a família. Se estiver criando um adolescente, ouvir música juntos e tentar compartilhar as impressões a respeito dela influenciará grandemente na forma como a relação entre vocês se desenvolverá no futuro.

Isso foi demonstrado por cientistas dos Estados Unidos, que realizaram um estudo do qual participaram jovens com menos de 21 anos.

8. Pode diminuir a quantidade de acidentes

O professor Warren Brodsky, da Universidade Ben-Gurion, em Israel, desenvolveu um estudo que mostra que a música clássica, com características mais neutras, pode ajudar a reduzir o risco de acidentes ao volante. “Beethoven, Basie ou Bieber, não importa”, afirma o pesquisador. O ideal é que os motoristas escolham melodias que não causem pensamentos, lembranças, emoções ou o desejo de tocar os dedos no ritmo da música enquanto dirigem. “E essa é a única coisa que deve unificar as músicas da sua playlist no carro.”

9. Melhora o desempenho acadêmico

Aulas de música na escola melhoram significativamente as habilidades cognitivas das crianças. Eles raciocinam mais facilmente, melhoram sua memória de curto prazo e sua capacidade de planejar. E isso, por sua vez, aumenta o desempenho acadêmico na escola.

Estes resultados foram obtidos por cientistas da Holanda.

Bônus: preferências musicais podem dizer muito sobre você

Psicólogos da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, determinaram que o seu estilo de pensamento prevê o tipo de música que você gosta.

Mais de 4 mil pessoas participaram do estudo dos especialistas. Eles foram convidados a ouvir e avaliar 50 músicas. Como resultado, pessoas com empatia em geral, mais desenvolvida preferiam rhythm and blues, country, folk e moderna (jazz, pop, eletrônica).

Eles não gostaram da música intensa. Pessoas que podem ser classificadas como “sistemáticas” (gostam de analisar e trabalhar de acordo com um padrão), preferem apenas a música mais intensa e pesada (rock, punk e heavy metal).

Outro estudo mostrou que pessoas com grandes rendimentos preferem blues, jazz, música clássica e música pop. Já os estratos sociais menos abastados ouvem frequentemente heavy metal e rap.

Mas é bom destacar que esse estudo foi realizado no Canadá, e não no Brasil ;)

De que tipo de música você gosta? Isso ajuda na sua vida?

Conte para a gente sobre isso nos comentários.

Incrível/Psicologia/9 Razões para ouvir música agora mesmo e bem alto
Compartilhar este artigo