9 Dicas de psicólogos que ajudarão na comunicação com seu filho

As crianças parecem ter audição seletiva: saem repetindo para todo mundo algo que você confidenciou a alguém em voz baixa, e ignoram conselhos e instruções, mesmo que você tenha dito em alto e bom tom.

Nós, do Incrível.club, reunimos as principais recomendações dos psicólogos de como melhorar a comunicação com as crianças para que elas realmente nos ouçam.

Atraia a atenção da criança

Quando as crianças estão envolvidas com brincadeira ou discussão, podem ignorar suas palavras ou até mesmo seus gritos. Para atrair a atenção da criança e fazer com que se concentre no que você diz, agache-se e coloque a mão no ombro dela. Assim, você será escutado.

Fale baixo

Acreditamos que gritos são eficazes, mas as crianças rapidamente se acostumam e deixam de reagir a eles. Portanto, se as crianças estiverem muito agitadas ou barulhentas, dirija-se a elas em voz baixa. Este método funciona muito bem com crianças pequenas, e também com adolescentes e adultos.

É preciso mais esforço para compreender as palavras ditas em baixo tom, e isso faz com que elas se concentrem e escutem com mais atenção. Subconscientemente, frases sussurradas nos parecem importantes, pois dão a ideia de que podem afetar nosso bem estar. Além disso, a voz baixa gera um efeito calmante nas crianças, reduzindo a ansiedade.

Faça com que o seu filho perceba que os resultados dependem de seus atos

Use a construção “quando — então”. Desta forma, a criança entende que suas atitudes definem os resultados obtidos e tudo depende exclusivamente dela. Use construções semelhantes se você quiser que seu filho faça algo: “Quando você terminar de assistir aos desenhos animados, lave o seu prato, por favor”.

Evite excesso de informação

A mente de uma criança com menos de sete anos de idade é capaz de armazenar em média duas informações, e de crianças mais velhas — até cinco. Portanto, não faz sentido usar várias frases ao mesmo tempo: é melhor dizer o que é importante em uma ou duas frases curtas. Ensine as regras de segurança aos poucos, não passe muitas dicas e instruções de uma única vez.

Não faça apenas reclamações

Talvez as crianças te ignorem, porque você levanta a voz frequentemente ou faz muitas reclamações. Reclamações são ineficazes:

  • Faz com que se sintam incapazes;
  • Faz com que achem que estão sendo manipuladas;
  • Elas ouvirão você menos ainda;
  • Suas reclamações simplesmente as irritam;
  • Elas logo aprendem que basta apenas esperar você terminar de reclamar, que o problema está resolvido;
  • Tanto a criança quanto você se concentram apenas no lado negativo da questão, e não em buscar soluções.

Em vez de expressar pela centésima vez insatisfação com meias jogadas no chão ou pratos deixados na mesa, tente elogiar seu filho por suas atitudes corretas. Ao exigir algo da criança, faça com instruções claras e alerte sobre as consequências apenas uma vez.

Explique à criança o que o seu comportamento significa para você

É importante a criança entender como suas ações afetam os que estão ao seu redor. Portanto, é preciso explicar-lhe que seu comportamento pode causar dor, tristeza ou mágoa, para que ela comece a desenvolver empatia. Deixe claro para o seu filho o que as palavras ou o comportamento dele significam para você, por exemplo: “Seu mau humor me diz que você está cansado e é hora de deixarmos o parquinho”.

Escute a criança

Aprenda a ouvir seu filho com atenção, não o interrompa e não se distraia com outros assuntos. Isso aumenta a confiança entre vocês. A criança se sentirá compreendida e estará mais disposta a ouvir também. Mesmo que você a flagrou fazendo algo errado, deixe-a falar, descubra como ela se sente e o que levou-a a fazer isso, e só então dê um conselho.

Ensine seu filho a pensar por conta própria

Em vez de repetir as regras de segurança pela centésima vez, treine a memória delas. Pergunte-lhes o que fazer em uma situação específica ou como resolver algum problema. Isso as ajudará a lembrar melhor as regras. E além disso, durante a conversa você poderá repetir conselhos úteis.

Ame seu filho como ele é

Gritar com o filho só porque ele cutuca o nariz ou faz escândalo em uma loja pode ser indício de que o problema não está com o filho, mas talvez com um dos pais. Para aprender a aceitar um filho como ele é, primeiro precisamos aceitar a nós mesmos.

Mesmo que o comportamento de seu filho esteja longe do ideal, você não pode duvidar de que ele será uma pessoa digna. Ame-o com todas as suas imperfeições. Se ele sentir o seu apoio constantemente, apreciará a sua opinião.

E o que você faz quando seu filho ignora as suas palavras? E como seus pais agiam nessas situações?

Compartilhar este artigo