Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

8 mulheres que fizeram a diferença em 2015

2015 foi cheio de altos e baixos. Como muitas vezes acontece, surgiram, dos mais diferentes lugares, vozes que fizeram a diferença e trouxeram com elas a esperança e o trabalho admirável que mudou a vida de milhares de pessoas. O Incrível.club te convida a conhecer a luta de 8 incríveis mulheres que, em 2015, não pensaram duas vezes na hora de agir e inspiraram milhões de pessoas. 

Ellen Johnson Sirleaf

Ellen Johnson Sirleaf é a líder da Libéria, na África. Em 2015, quando a epidemia do Ebola se espalhou com rapidez impressionante, ela encarou este desafio de frente e suplicou apoio internacional para ajudar a população do seu país, um dos mais afetados pela crise. Sua luta foi imprescindível para frear o avanço da epidemia e conseguir que os afetados fossem tratados com a dignidade que mereciam.

No passado, Johnson Sirleaf também foi muito importante para que o país conseguisse superar os traumas de brutais guerras civis. Por isso, ela ganhou o Prêmio Nobel da Paz. 

Lucía Mendizábal

Lucía Mendizábal é a prova de que qualquer pessoa pode mudar o mundo. Até pouco tempo atrás, ela era desconhecida e sem participação política ativa no seu país, a Guatemala. Hoje, todos a conhecem e a admiram.

Uma tarde, ao chegar em casa, esta senhora de 53 anos escutou as notícias de um novo escândalo que envolvia governantes políticos corruptos guatemaltecos. Ela conduziu uma luta pacífica e conseguiu que o presidente fosse preso. Ela inspirou a região a lutar contra uma corrupção que parecia não ter fim. Cansada de ser testemunha de roubos e crimes impunes, usou as redes sociais para convencer seus conhecidos a lutar contra o governo. Escreveu uma mensagem que dizia 'Vamos fazer algo desta vez', e assim iniciou um plano para mobilizar toda a civilização civil. 

Tu Youyou

Esta mulher é uma das que mais salvou vidas nos últimos anos. Chinesa e farmacóloga, dedicou grande parte da sua vida à pesquisa e ao desenvolvimento da cura de uma das piores doenças da história: a malária. Ao investigar antigos textos chineses, descobriu os componentes que ajudam a prevenir esta doença que mata aproximadamente meio milhão de pessoas por ano. Este descobrimento permitiu que incontáveis vidas nas regiões tropicais, onde a doença é mais presente, fossem salvas. Foi por isso que, este ano, Tu Youyou recebeu o Prêmio Nobel de Medicina. 

Aung San Suu Kyi

O que San Suu Kyi, Mahatma Gandhi e Martin Luther King Jr. têm em comum? Todos apostaram tudo pela luta pacífica. Ao ver que o seu país, a Birmânia, era atacado por um inimigo armado, decidiu responder sem violência e criou uma resistência sem armas e aberta à paz. Muitos a criticaram, mas ela manteve a calma e a sua posição. Desta forma, conseguiu manter uma tensa e longa luta contra o governo militar no seu país e conseguiu apoio internacional para implementar ações econômicas que resultaram na dispersão do alto controle militar. Seu partido, a Liga Nacional para a Democracia, obteve vitória arrasadora nas eleições. 

Chanda Kochhar

Esta poderosa mulher, além de elegante neste lindo sari, conseguiu, em 2015, consolidar mudanças no sistema bancário da Índia. Conseguiu que o ICICI Bank, um dos principais do país, instalasse ramificações em toda a Índia, alcançando inclusive povoados remotos e abandonados. Chanda Kochhar também dedicou tempo e energia para inspirar jovens mulheres indianas a olhar para elas como possíveis vencedoras, capazes de conseguir vencer as barreiras contra a mulher. Ela costuma dizer: "Nunca desistam dos seus sonhos por pensar que não são capazes de conseguir".

Emma Watson

Muita gente pensa em Emma Watson como a bela atriz da saga Harry Potter. O que nem todo mundo sabe é que, em 2015, aproveitando a sua enorme visibilidade, ela foi muito importante para que uma enorme campanha das Nações Unidas contra a violência de gênero e discriminação contra a mulher fosse realizada. Abertamente feminista, Emma fez um inspirador discurso chamado "He for she" (Ele por ela), em que explica porque os homens deveriam lutar, assim como as mulheres, na luta contra a discriminação de gênero. 

Ruth Bader Ginsburg

Aos 82 anos, esta importante mulher, juíza nos Estados Unidos, continua trabalhando pela justiça no seu país. Sua idade avançada não diminui o ritmo intenso de trabalho. A história da sua vida inspira muita gente, principalmente sua paixão pela lei e pela igualdade da mulher na Justiça. Sua frase mais conhecida é: 'Lute por aquilo que considera importante, mas faça-o de maneira que outros se sintam inspirados a te acompanhar'.

Svetlana Alexiévich

Esta ano, a vencedora do Prêmio Nobel de Literatura foi, mais uma vez, uma mulher. Svetlana Alexiévich, uma jornalista bielorrussa que dedicou toda a sua vida a pesquisar e escrever crônicas sobre a injustiça. Além de mudar o mundo pela sua vocação como jornalista, esta mulher mudou paradigmas sobre a literatura. 

A academia sueca descreveu o trabalho de Alexiévich como «um monumento à coragem e ao sofrimento em nosso tempos». A jornalista juntou depoimentos de sobreviventes de diferentes guerras e tragédias do mundo soviético. Uma das suas obras mais conhecidas é a compilação de entrevistas feitas com mulheres soviéticas que participaram da Segunda Guerra Mundial. Sua voz foi, sem dúvida, uma das mais escutadas em 2015 e, seu trabalho, uma grande fonte de inspiração.

Tradução e Adaptação: Incrível.club