8 Conselhos para casais que passam muito tempo juntos

Alguns aspectos da vida podem parecer ótimos durante uma fase e péssimos em outra. Por exemplo, às vezes o nosso maior desejo é trabalhar em casa para passar mais tempo com o nosso companheiro ou com a nossa companheira, mas após alguns meses em casa esse desejo pode mudar e abrir espaço para brigas e desentendimentos. A rotina, a falta de espaço próprio, o pouco tempo dedicado aos amigos e a nós mesmos são algumas das coisas que podem acontecer quando passamos tempo demais com apenas uma pessoa.

Nós, do Incrível.club, sabemos que muitos casais passam por situações como essas, por isso preparamos uma série de conselhos que ajudam a dar outros ares para a relação, sobretudo para que as duas pessoas possam aproveitar melhor o tempo que passam juntas.

1. Não negligenciar a relação com amigos e familiares

Quando um relacionamento está bom, ficar ao lado da pessoa amada é sempre muito cômodo. No entanto, isso pode fazer com que outras relações sejam negligenciadas, uma dinâmica que pode causar “codependência”, ou seja, quando o casal se isola de qualquer outra possibilidade de vida social, seja com colegas de trabalho, com amigos ou até mesmo com outros familiares. Pessoas com tendência à “codependência” costumam ter medo da solidão, sentem ansiedade, têm pensamentos obsessivos e medo do fim do relacionamento.

Para que tudo isso não chegue a níveis mais preocupantes, como quando uma pessoa abandona os sonhos pessoais, é importante perceber a dinâmica do relacionamento e não esquecer que a relação que estabelecemos com outras pessoas também é uma parte importante de nossas vidas.

2. Em vez de supor, é melhor perguntar

É natural refletirmos sobre as coisas que poderiam fazer a outra pessoa um pouco mais feliz, mas muitas vezes podemos ter uma visão equivocada sobre o que o outro realmente deseja ou precisa. Contudo, os mal-entendidos podem ser evitados de uma maneira muito simples: perguntando.

Perguntas como “O que você precisa?”, “O que te irrita em mim?”, “Como posso te fazer mais feliz?” podem abrir diálogos construtivos e evitar maiores problemas e discussões desnecessárias no futuro.

3. Perceber o tédio e suas razões

A sensação de tédio pode se manifestar de muitas formas; além disso, ela pode ser sutil ou pode aparecer de maneiras mais claras, com sinais de irritação e até mesmo como uma diminuição do desejo. Se isso começar a acontecer, um bom exercício é se perguntar o que está acontecendo e quais podem ser as razões internas que nos levam a sentir essas coisas.

Confira algumas soluções para esses problemas:

  • Retomar atividades que antes davam prazer e que por alguma razão foram interrompidas.
  • Ser criativo na hora de mostrar romantismo.
  • Ter atenção com o outro.
  • Escapar por alguns dias para fazer algo diferente.

    Os caminhos para quebrar a rotina são infinitos, basta ter um pouco de criatividade e disposição.

4. Encontrar um bom equilíbrio entre o tempo sozinho e o tempo a dois

Estar em um relacionamento não significa fazer tudo sempre a dois. Às vezes, queremos fazer algo sozinhos, e isso não significa menos amor, significa apenas que a pessoa gosta de fazer algumas coisas sem a companhia de mais ninguém. Por isso é importante conversar sobre as coisas que preferimos fazer juntos e as que não.

Algumas tarefas domésticas do dia a dia como dobrar as roupas, arrumar a casa e levar o cachorro para passear também podem ser realizadas sem a companhia do outro. Encontrar um bom equilíbrio entre o tempo que passamos sozinhos e o tempo a dois também abre espaço para a saudade e para a beleza do reencontro.

5. Cultivar o bom humor

O bom humor não é importante apenas para a relação que estabelecemos com nossos amigos, ele deve ser uma prioridade na hora hora de lidar com um companheiro ou com uma companheira. Isso pode ser feito por meio de jogos, passeios, atividades lúdicas, etc. Piadas também são bem-vindas no dia a dia. Tudo isso quebra com a rotina e deixa o ambiente muito mais animado e positivo.

6. Se necessário, considerar terapia individual ou de casal

terapia não precisa ser a última opção na hora de resolver alguma questão. De certa forma, todo mundo pode encontrar novos caminhos ao contar com a ajuda de um observador imparcial. A sensação de tristeza e de irritação ao lidar com os desafios do dia a dia pode ser apenas o pontapé inicial para se pensar em terapia. Um terapeuta pode dar apoio emocional e algumas ferramentas para melhorar a sua saúde mental e a comunicação com a outra pessoa.

7. Investir na “autodiferenciação”

Autodiferenciação” pode parecer algo complexo, mas significa apenas “dar sentido para a própria vida independentemente do outro”. As pessoas que conseguem ser elas mesmas estando em um relacionamento aproveitam tanto as experiências a dois como as experiências a sós, sem sentir que estão “escapando” de alguma obrigatoriedade.

Investir tempo em paixões individuais faz com que tanto os momentos a dois como os momentos a sós sejam mais bem aproveitados. Ter experiências independentes melhora a relação e dá mais plenitude às pessoas.

8. Concentrar-se nas coisas positivas do outro

É natural que uma pessoa pense o tempo todo sobre as coisas que o outro não faz corretamente, e às vezes é difícil parar de pensar nisso tudo. No entanto, muitas vezes tudo é uma questão de perspectiva e de ficar preso a pensamentos negativos. Para tentar mudar essa forma de ver as coisas, você pode tentar o seguinte.

  • Mudar a linguagem corporal, já que ela se relaciona com a insegurança.
  • Falar sobre as emoções que te incomodam.
  • Em vez de ver as coisas como problemas, pensá-las como desafios.
  • Expressar-se com criatividade, seja escrevendo, desenhando, dançando, etc.
  • Refrescar a mente com um passeio e sair da mesmice.
  • Listar as coisas que fazem a vida valer a pena.

Qual você acha que é a melhor maneira de dividir o tempo entre a família, os amigos e o companheiro ou companheira? E que coisas você adora fazer sozinho ou a dois?

Compartilhar este artigo