Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

7 Comportamentos dos pais que indicam uma boa relação com seus filhos

5-7-
13k

É normal: todo pai tenta dar ao filho a melhor criação possível. E, claro, cada um tem seu próprio entendimento a respeito de o que é essa “melhor criação possível”. Enquanto alguns tendem a ser mais rígidos e a criar uma disciplina quase militar para os pequenos, outros são mais permissivos e buscam escutar mais as opiniões e desejos das crianças.

No entanto, às vezes, alguns pais acabam exagerando na busca pela perfeição da criação e se esquecendo do principal — a felicidade da criança! Sinais comportamentais que indicam uma boa relação entre pais e filhos são o tema deste post.

Nós, do Incrível.club, reunimos os principais indicativos que, segundo diversos psicólogos, atestam uma relação saudável entre pais e filhos. Acompanhe!

1. A criança compartilha todas as suas dificuldades e problemas com você

É maravilhoso ouvir um filho falando orgulhosamente sobre suas vitórias e novos aprendizados. No entanto, o mais importante é que ele não tenha medo de dividir também seus problemas e dificuldades com você. O desejo de compartilhá-los com alguém como forma de extravasar, ser ouvido e receber apoio é uma necessidade natural humana. A criança tem de entender que a vida é feita de diversas situações — umas melhores, outras piores — e que isso não é motivo de vergonha ou para ficar deprimido.

2. Você não o pressiona por notas boas

Se uma criança recebe uma nota ruim na escola, não deve ter medo de que seus pais saibam. Crianças intimidadas frequentemente tentam de todas as formas esconder a verdade dos pais, por exemplo, rasgando as páginas com as notas ou comentários dos professores da agenda. Para essas crianças, situações desse tipo muitas vezes são motivo para pânico — elas imaginam os castigos que virão. Pais equilibrados, no entanto, tendem a explicar aos filhos que ter um bom desempenho na escola é fundamental, mas que o mais importante é adquirir conhecimento, e não viver apenas em função de notas. Dessa forma a criança vai entender que, tendo aprendido a matéria, pode se esforçar mais e melhorar a nota na prova seguinte.

3. A família respeita o espaço de cada um

Muitos pais consideram uma falta de respeito um filho entrar no quarto dos adultos sem bater na porta. No entanto, na mão inversa, muitas vezes esses mesmos pais acreditam que não há necessidade alguma de avisar ou bater quando vão entrar no quarto dos filhos. As regras (observadas, claro, questões relativas à idade e ao discernimento da criança) devem ser as mesmas para todos. O melhor é respeitar o espaço pessoal da criança.

4. Você não faz críticas severas ao seu filho

Pais equilibrados tendem a não fazer críticas excessivamente severas aos filhos. Se o que você busca é uma relação saudável, evite chamar seu pequeno de preguiçoso, de burro ou fazer “piadinhas” sobre seu corpo. Esse tipo de comentário pode gerar pequenos complexos nas crianças que, por sua vez, podem se estender até a vida adulta, sendo difíceis de superar. Mais recomendável é escolher bem as palavras e procurar dizer diretamente que determinados comportamentos não são corretos ou o desagradam. Procure ter sempre em mente que ser direto não é a mesma coisa que ser excessivamente rigoroso.

5. Você reconhece seus erros e pede desculpas

Todo mundo erra e isso não é diferente nas relações de pais e filhos. A questão é que muitos pais se esquecem de que precisam não apenas ensinar seus filhos a pedirem perdão: mais importante que isso é dar o exemplo. Se você sentir que acabou se excedendo no “carão” ou se arrepender de alguma atitude, não hesite em pedir desculpas ao seu filho. Afinal, fortes são aqueles que reconhecem suas fraquezas, concorda?

6. Você não impõe seus hobbies e interesses à criança

A criança deve fazer o que gosta (respeitados certos limites, é claro), e não com o que você gosta. É claro que muitos pais torcem para que seus pequenos tenham os mesmos hobbies e paixões que eles — e que, em alguma medida, tentem incentivar esses hobbies. Por exemplo, muitos amam futebol e procuram fazer com que os filhos gostem do mesmo esporte. Isso, no entanto, não pode significar que o pequeno não possa preferir se dedicar (no exemplo anterior) a outras atividades, como música ou dança. Tente identificar e apoiar os talentos do seu filho sem querer impor a ele seus sonhos e paixões não realizados. Pais equilibrados incentivam as aspirações dos filhos e seu autodesenvolvimento, fazendo, assim, com que as crianças cresçam felizes fazendo o que gostam.

7. Você acredita no seu filho

Uma situação comum: a professora faz uma reclamação sobre um mau comportamento da criança durante a reunião de pais. Infelizmente é normal que, em um caso como esse, alguns pais sequer tentem entender o que ocorreu ou escutar o pequeno. Em vez disso, eles apenas o criticam e pensam em algum tipo de punição. Antes de reclamar, talvez valha a pena perguntar ao seu filho o que ocorreu, para entender também seu ponto de vista. É possível que ele não seja culpado pela situação que gerou a crítica, mas em vez disso precise de ajuda para resolver o problema. Tenha sempre em mente que a vida escolar não é algo tão simples e que pode, por exemplo, envolver situações ligadas ao bullying.

Que atitudes e comportamentos dos pais você considera obrigatórios para que haja uma relação saudável com os filhos? Acredita que os pais devem ser rigorosos ou que uma boa conversa pode resolver qualquer problema? Conte para a gente na seção de comentários.

5-7-
13k