Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20 Livros infantojuvenis para falar sobre diversidade com os filhos

5-4-
167

Mais do que nunca se faz necessário falar sobre diversidade e aceitação — começar diretamente por nossos pequenos é uma das melhores alternativas. A literatura infantojuvenil, seja ela nacional ou internacional, há anos já vem tratando de temas ligados à diversidade — seja ela de que origem for — e ensinando como é importante respeitar o outro.

Por isso, nós da equipe Incrível.club separamos livros que podem ser trabalhados com crianças, pré-adolescentes e adolescentes, e vão ajudar a eliminar, já durante o desenvolvimento, o preconceito ao que é diferente. Confira!

Amoras

Emicida — Editora Companhia das Letras
Escrito pelo rapper Emicida e lançado em 2018, Amoras nasceu de uma música de mesmo nome e teve como inspiração a filha do artista, chamada Estela. Indicado para crianças de 3 a 6 anos, a obra foi ilustrada por Aldo Fabrini e exalta a beleza da cultura e da pele negra desde a infância, trazendo em suas páginas heróis e heroínas que reafirmam esse tema tão importante em tempos atuais. Um livro realmente lindo!

Meu crespo é de rainha

Bell Hooks — Editora Boitempo
Por rimas e poemas Bell Hooks escreveu um livro empoderando crianças negras no mundo todo. Meu Crespo é de Rainha conta com ilustrações lindíssimas de todos os tipos de cabelos crespos e palavras doces que conquistam os mais teimosos dos leitores e pode ser apreciado por crianças de 3 a 6 anos.

Menina Bonita do Laço de Fita

Ana Maria Machado — Editora Ática
Clássico da literatura infantil brasileira, Menina Bonita do Laço de Fita foi escrito pela aclamada autora Ana Maria Machado e conta a história de um coelho que morre de amores por uma linda menina negra. O livro indicado para crianças de 5 a 10 anos foi lançado em 1986, mas continua mais atual do que nunca.

Malala: a Menina que Queria ir para a Escola

Adriana Carranca — Companhia das Letras
Malala já era motivo de inspiração para o mundo quando a jornalista Adriana Carranca entrevistou a garota e decidiu publicar sua incrível história. Indicado para crianças de 7 a 10 anos, o leitor é apresentado a Malala Yousafzai, uma menina de 10 anos nascida na região do Vale do Swat, no Paquistão, e que tinha como objetivo apenas estudar.

Flicts

Ziraldo — Editora Melhoramentos
Em uma lista de livros infantojuvenis, é claro que o nosso amado Ziraldo não poderia ficar de fora. Flicts foi escrito em 1969 e seu texto sensível a causas LGBTQIA+ emociona leitores de todas as idades até hoje. Aqui, Ziraldo conta a história da cor bege, que não consegue de forma alguma se achar em meio às cores do arco-íris. Uma abordagem aparentemente simples, porém muito profunda.

O Menino de Vestido

David Walliams — Editora Intrínseca
Um livro sensível para se trabalhar homossexualidade e até mesmo transexualidade. O Menino de Vestido foi escrito por David Walliams e nos apresenta a Dennis, um garoto apaixonado por moda e futebol e que com ajuda de uma amiga decide passar-se por uma intercambista e frequentar a escola com seus lindos vestidos.

A Princesa e a Costureira

Janaína Leslão — Editora Metanoia
Mais um clássico da literatura infantojuvenil brasileira, A Princesa e a Costureira, de Janaína Leslão, nos apresenta a princesa Cíntia, prometida para se casar com o príncipe do reino vizinho desde seu nascimento. Porém, Cíntia se apaixona por sua costureira. Com várias aventuras dignas de um conto de fadas, é um lindo livro para se trabalhar diversidade e ganhou até mesmo adaptações para o teatro.

O Namorado do Papai Ronca

Plínio Camillo — Prólogo selo editorial
Nem sempre conversar sobre relacionamentos homoafetivos é fácil, mas em O Namorado do Papai Ronca Plínio Camillo narra com naturalidade a perspectiva de uma criança de 12 anos sobre o relacionamento de seu pai com o namorado. Além disso, o autor também é sensível aos tópicos da adolescência, como aparências sociais, mudança de escola, as dificuldades de desapegar-se da infância e até mesmo o primeiro amor.

Extraordinárias: Mulheres que Revolucionaram o Brasil

Duda Porto de Souza & Aryane Cararo — Companhia das letras
Extraordinárias: Mulheres que Revolucionaram o Brasil é um livro essencial para falar de feminismo no Brasil. A compilação feita por Duda Porto de Souza e Aryane Cararo nos apresenta mulheres guerreiras, autoras, líderes de movimentos sociais e revolucionárias que ajudaram a mudar o rumo da história brasileira, mas que acabaram se tornando invisíveis em todos os contextos em que estão inseridas.

Com Amor, Simon

Albertalli Becky — Editora Intrínseca
Este livro é a febre do momento no meio teen, ganhando até mesmo um filme e a possibilidade de outros projetos. Escrito por Albertalli Becky, conta um pouco da vida de um adolescente de 15 anos chamado Simon e de como ele é forçado pelos amigos a sair do armário. Com naturalidade e leveza, a obra consegue narrar com fidelidade os dilemas de um jovem gay.

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

Benjamin Alire Sáenz — Editora Seguinte
No caso deste livro, Benjamin Alire Sáenz desenvolve uma narrativa que gira em torno de dois jovens que se complementam muito bem e criam um laço de amizade maior do que qualquer outro visto antes. Além de abordar temas como descobertas pessoais, a obra é um ótimo instrumento para discutir os problemas da masculinidade em tempos modernos e a criação de elos afetivos entre dois homens. E aqui segue um pequeno spoiler: eles descobrem que o amor e a amizade são as verdadeiras chaves para desvendar os segredos do Universo.

Os Dois Mundos de Astrid Jones

A. S King — Editora Autêntica
Em Os Dois Mundos de Astrid Jones, a autora A. S King convida o leitor a conhecer uma adolescente que não consegue ver sentido na vida. Nascida em uma pequena cidade americana, Astrid luta diariamente para se aceitar, enquanto deve se enquadrar nos padrões sociais em que está inserida. Ela não tem com quem conversar sobre suas dúvidas e angústias, então decide se deitar no jardim e “contar” tudo para os passageiros dos aviões que vê passar pelo céu.

O Mau Exemplo de Cameron Post

Emily M. Danforth — Editora Harper Collins
Outro livro para conversar sobre homossexualidade feminina, O Mau Exemplo de Cameron Post, escrito por Emily M. Danforth, conta um pouco da vida de Cameron, uma garota que perde os pais em um acidente de carro, mas que não consegue sentir a dor da perda. Forçada a morar na casa da tia conservadora, passa por diversos dilemas internos de aceitação própria e deve lutar o tempo inteiro pelo direito de ser quem é. A obra foi muito bem aceita pela crítica literária e adaptado para os cinemas, ganhando prêmios no festival Sundance.

Do Jeito que a Gente é

Márcia Leite — Editora Ática
Escrito por Márcia Leite, é uma obra sensível aos dilemas vividos por adolescentes. Temas como aparência, mudanças advindas da adolescência e os desafios da vida são abordados de forma simples e despretensiosa e podem ser trabalhados tanto em sala de aula quanto em casa.

Garoto Encontra Garoto

David Levithan — Grupo Editorial Record
David Levithan já é conhecido por escrever livros com a temática LGBTQIA+. Uma de suas obras mais famosas é Garoto Encontra Garoto, ideal para adolescentes que estão tentando achar seu lugar no mundo. Aqui o protagonista, Paul, encontra a pessoa dos seus sonhos (Noah), apenas para estragar tudo e passar por diversos desafios para conquistá-lo novamente. Uma história cheia de reviravoltas e fatos que levarão o leitor a refletir.

Meu Menino Vadio

Vianna Luiz Fernando — Editora Intrínseca
Indicado para adolescentes acima dos 17 anos, Meu Menino Vadio, de Vianna Luiz Fernando, aborda um tema muitas vezes ignorado. Aqui conhecemos um pouco da realidade de uma família que lida com o autismo, a relação entre pai e filho e como Henrique, um adolescente de 15 anos com autismo, lida com sua condição e vê o mundo à sua volta.

Passarinha

Kathryn Erskine — Editora Valentina
Mais um livro para falar sobre o espectro autista. Passarinha, de Kathryn Erskine, é um lindo romance sobre uma adolescente com síndrome de Asperger que tenta, da melhor maneira possível, consolar o pai após a morte de um filho, ao mesmo tempo em que procura compreender sua condição e modo de ver a vida e o mundo. Aqui, Caitlin aprende, dia a dia, a enxergar um pouco mais de cor no mundo em uma jornada de autoaceitação.

Todo Dia

David Levithan — Grupo Editorial Record
Já imaginou acordar todo dia em um corpo diferente? É assim que David Levithan apresenta o protagonista de Todo Dia — chamado apenas de “A”. Temas como transexualidade, bipolaridade e fluidez de gênero são trabalhadas sob a perspectiva de um personagem que passa por isso todos os dias.

Menino de Ouro

Abigail Tarttelin — Editora Globo livros
Em Menino de Ouro, Abigail Tarttelin aborda as dificuldades de um adolescente em uma família que não consegue lidar com temas fora do padrão social. Max nasceu com os dois conjuntos de cromossomos, XX e XY — portanto é, ao mesmo tempo, menino e menina. A autora tenta ao máximo desmistificar esse tema que pode ser tão confuso tanto para pais quanto para crianças e adolescentes que passam por isso.

Uma História de Amor e TOC

Corey Ann Haydu — Grupo Editorial Record
Outro tema pouco explorado na literatura, mas que vem ganhando força, é a abordagem de doenças que afetam a saúde mental. Em seu livro de estreia, chamado Uma História de Amor e TOC, Corey Ann Haydu nos apresenta a Bea, uma garota que sofre com Transtorno Obsessivo-Compulsivo. Ela se apaixona por Beck, garoto que também sofre com TOC e os dois devem passar por diversos dilemas e questionamentos para fazer o relacionamento dar certo.

O que achou? Já havia lido algum dos títulos acima? Sentiu falta de algum que poderíamos ter colocado aqui? Deixe nos comentários sua recomendação de leitura e vamos tentar montar uma segunda versão com suas sugestões 😉.

5-4-
167