15 Sinais em entrevistas de emprego que podem nos ajudar a saber se devemos aceitar ou recusar a oferta

Às vezes, as pessoas estão prontas para assumir qualquer trabalho após um longo período de entrevistas malsucedidas. Porém, desde a conversa com o funcionário de RH, é possível identificar alguns sinais de que determinada empresa não oferecerá a satisfação moral ou financeira que você procura. É claro, recusar uma oferta de emprego não é nada fácil, especialmente após um longo tempo de busca. Contudo, especialistas reforçam que o trabalho representa uma parte crucial na vida de muitas pessoas, por isso é altamente importante encontrar o emprego certo para si.

Nós, do Incrível.club, decidimos avaliar quais os sinais mais “alarmantes” que você deve prestar atenção quando estiver em uma entrevista de emprego. Acompanhe!

Esperar que o funcionário sirva de forma altruísta aos interesses comerciais da empresa

Se você estiver procurando por um emprego desesperadamente, mas estiver sentindo que a vaga não é a mais adequada, pense bem, talvez seja melhor recusar a oferta. Os motivos são os mais variados: salário baixo, ausência de bônus, equipe pouco agradável, empresa em situação instável. Se um empregador dá ênfase nas relações interpessoais em detrimento de um pagamento justo e regular, que possa cobrir as despesas mensais do funcionário, talvez valha a pena considerar outras opções.

Exigir “investimento financeiro” antes de começar a trabalhar

Se o convite para ocupar uma vaga vem junto de uma necessidade de pagar por algo, é provável que isso seja um golpe para extorquir dinheiro. Empresas respeitadas e legítimas pagam por treinamento, pelos documentos necessários e fornecem uniforme, caso necessário.

Oferecer acordo não oficial

Se o funcionário de RH logo declara que a empresa não planeja seguir as diretrizes e normas prescritas no Código de Trabalho, tenha atenção. Esse é um ponto bastante importante, porque quando for hora de adquirir uma hipoteca ou pedir licença-maternidade, por exemplo, você precisa ter certeza que sua situação financeira se manterá estável.

Avisar que o salário não será pago regularmente

É maravilhoso receber uma oferta de emprego, especialmente após uma longa e penosa busca por um. Mas é importante não aceitar um salário inadequado para a sua realidade; ou ainda concordar em trabalhar de graça durante um “período de treinamento” estipulado. Especialistas aconselham a pesquisar o salário médio de profissionais da sua área, em determinada região, e não deixar de informar, claramente, a sua preferência salarial. Caso contrário, você pode ficar à mercê de chefes mal-intencionados, que prometem incríveis perspectivas, mas, após alguns meses, podem te demitir sem justificativa e sem o pagamento adequado.

Trabalhar nos finais de semana sem remuneração por horas extras

Quando for aceitar uma oferta de emprego, não esqueça de negociar os termos do contrato imediatamente, mesmo que não tenha outra opção disponível. É válido lembrar que as empresas também precisam de funcionários competentes, por isso é essencial conduzir as negociações de maneira amigável, não de forma conflituosa.

Trabalhar com algo “errado”

Se você não compartilha dos mesmos valores da empresa, é melhor procurar um emprego em outro lugar, para garantir paz de espírito e uma boa noite de sono.

Estar disponível 24/7

Também é relevante considerar uma oferta pensando nos seus planos de vida. Se o horário for muito puxado, que te força a largar seus hobbies ou diminuir o tempo com seus familiares, então pense duas vezes antes de aceitar. Você pode calcular o tempo aproximado que precisaria trabalhar fora do escritório, para entender como isso irá afetar sua vida pessoal.

Não poder tirar férias na época conveniente para você

Às vezes, durante uma entrevista, podem dizer que não é permitido tirar férias na época que você gostaria; ou, talvez, você perceba que esse processo será muito estressante. Se esse for o caso, não abra mão de considerar outras entrevistas.

Questionar sobre seus planos pessoais de vida

Quando, durante uma entrevista, perguntam insistentemente sobre sua vida privada — especialmente se você não considera as perguntas relevantes para o momento — pode não ser uma boa ideia perder tempo em tal empresa. Invadir o espaço pessoal, com questionamentos sobre família e filhos, por exemplo, pode ser bem desconfortável e até doloroso para algumas pessoas.

Ensinar como se portar durante a entrevista

Pode acontecer que, após o encontro com o futuro chefe, permaneça um “gosto” desagradável na boca. Quando há a sensação de que a personalidade e o estilo de administrar da pessoa incomodam, talvez não seja uma boa ideia trabalhar nesse lugar.

Comentar sobre a aparência, mesmo que não tenha nenhuma relação com trabalho

Se o trabalho não for de ator, modelo ou instrutor de fitness, comentários sobre a aparência não são apropriados. Em tais casos, há chances de que o empregador esteja procurando um parceiro(a), não um profissional competente.

Pagar durante o processo seletivo

Quando o processo seletivo inclui uma série de testes psicológicos, pelos quais você deve pagar, pise no freio: os motivos pelos quais estão procurando um funcionário podem ser bem diferentes do que você imagina.

Receber mais responsabilidades do que as preestabelecidas

Pode acontecer de a empresa ser legítima, mas os deveres do cargo se estenderem por mais responsabilidades do que antes se havia acordado. Em tais casos, é importante conversar com seu supervisor e explicar que você gostaria de continuar na empresa, mas ter seus deveres melhor delimitados, ou até adquirir um cargo diferente.

Forçar a sair da zona de conforto

É comum entrevistadores tentarem desequilibrar os candidatos com perguntas provocativas, usando a estratégia de “situação de estresse”. Por exemplo, podem dizer que a chave para se ter uma carreira de sucesso é o esforço altruísta de trabalhar horas extras, até tarde da noite. Por isso, preste bastante atenção no que esperam de você, antes de aceitar uma oferta.

Ser tratado com desdém desde o início

O especialista em emprego Danny Ertel aconselha aos candidatos pesquisarem o máximo possível sobre a empresa, sobre as diretrizes internas e como os funcionários são tratados. Hoje, não é nada difícil buscar informações no LinkedIn, Twitter, Facebook, entre outras redes sociais. E lembre-se: mesmo que o escritório seja bonito, com lindas decorações e cadeiras confortáveis — além de demonstrar resultados financeiros satisfatórios no mercado — a relação para com seus funcionários é de mesma importância.

Você já passou por uma entrevista de emprego desagradável? O que aconteceu? Conte para a gente!

Compartilhar este artigo