Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

15 Relatos de acontecimentos sobrenaturais dignos de qualquer livro de Stephen King

1--4
10k

Loira do banheiro, Saci Pererê, navio fantasma, totens indígenas — lendas de fantasmas e histórias sobre eventos inexplicáveis são parte integrante do folclore e cultura de quase todos os povos. Embora os cientistas tenham certeza de que tudo isso não passa de uma invenção da imaginação popular ou do resultado de distorções óticas, a maioria das pessoas não arriscaria sair da cama de madrugada se ouvisse sons estranhos pela casa. Relatos de situações estranhas e difíceis de explicar são o tema deste post.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que apesar das várias explicações lógicas e razoáveis para eventos estranhos, a imaginação fértil humana nunca ficará satisfeita. Confira!

  • Algumas coisas inexplicáveis ​​sempre aconteciam na casa dos meus amigos: frequentemente ouvíamos batidas vindas de diferentes ambientes e rangidos dos degraus da escada, como se alguém estivesse subindo, apesar de ninguém estar lá. Fora isso, portas e janelas se abriam sozinhas. Mas eu nunca dei muita atenção, até porque eu era muito cético e não acreditava nessas coisas. No entanto, uma vez quando estava sentado no sofá de frente para a televisão na casa dos meus amigos, ouvi do nada o grito de uma mulher. Senti como se ela gritasse com todas as suas forças na minha orelha direita, mas não havia ninguém por perto. Uma semana depois, eu estava novamente sentado com meus amigos na frente da televisão, quando um deles se virou e disse: “Acabei de ouvir o grito de uma mulher”. Ele procurou pela casa toda, mas não encontrou ninguém. E na hora eu estava certo de que ele não iria encontrar. Acredito que o fantasma dessa garota não era mau, mas que apenas fosse infeliz. Fico triste pelo fato de não ter conseguido me comunicar com ela. © em_420
  • Estava dirigindo, passando por uma ponte. Já estava ficando bem escuro, e por isso liguei os faróis. De repente, vi que vinham duas pessoas andando no sentido contrário na mesma faixa. Quando já estava bem perto delas, pisei no freio e do nada, em um período de alguns segundos, elas foram para a calçada e sumiram. Olhei pelo retrovisor — não havia ninguém. Contei à minha esposa que no momento exato em que passávamos por onde eles estavam vi à minha esquerda apenas as pernas de um cara, e à direita o resto de seu corpo. Ela confirmou, dizendo ter visto a mesma coisa. Alguns dias depois voltamos pela mesma ponte de dia, e percebi que embaixo dela há um cemitério. © gloktar
  • Antigamente meu pais iam frequentemente à cidade vizinha à trabalho e acabavam passando o dia todo por lá. A sala da nossa casa ficava entre as portas da frente, do quintal e do quarto dos meus pais. Um dia, quando meus pais foram à cidade vizinha, eu estava no sofá em frente à TV, quando meu pai, do nada, voltou para casa e entrou em seu quarto, saindo instantes depois e atravessando a sala para sair pela porta dos fundos. Em nenhum momento, ele olhou para mim ou para a televisão, como se só tivesse vindo pegar alguma coisa que esqueceu. Mais tarde, à noite, quando perguntei ao meu pai o porquê de ele ter voltado, ele ficou sem entender. Ele explicou que na hora em que tudo aconteceu, ele e minha mãe estavam a mais de 1 hora e meia de casa, e que não fazia sentido voltar só para pegar algo. Enquanto me explicava isso, percebi que ele não estava vestindo a mesma roupa que eu tinha visto em “meu pai” mais cedo naquele dia. © TheCaptainhat
  • Muitas vezes acontecem coisas estranhas na minha casa que só eu noto. Uma vez, parecia que uma pessoa invisível estava puxando minha gata pelo rabo. Ela estava andando tranquilamente pela cozinha, quando, de repente, aparentou deslizar cerca de 2 metros para trás. Eu vi como ficou irritada e tentava fugir, mas por alguns segundos ela simplesmente não conseguia se mover, como se algo a segurasse. Acho que isso é coisa de um fantasma de alguma menina de 4-5 anos que queria apenas brincar com a gata. © MTSwagger
  • Perto de casa, há um prédio de 2 andares abandonado que tem cerca de 10-12 janelas por andar. Algumas pessoas já tinham escolhido o local para desistir de suas vidas, e, no geral, o edifício tinha uma atmosfera desagradável. Uma noite, eu e uns amigos saímos da minha casa e decidimos ir ver o que tinha de interessante no local abandonado, talvez até entrar nele. Estávamos a uma distância de 50 m do prédio, e já podíamos vê-lo por completo, quando percebemos que algo parecido com um rosto branco e um pouco brilhante olhava por uma janela. Na hora perguntei para meus amigos: “Vocês estão vendo aquilo?” E meus amigos: “Sim, estamos vendo”. Então aquele rosto começou a se movimentar pelas janelas, mas com um intervalo de 1 segundo entre elas, o que é impossível. Literalmente, ele se moveu da 2ª janela até a 10ª em apenas 1 segundo, e cada um de nós apontava para onde víamos o rosto, e sempre acabávamos mostrando o mesmo lugar. © MaskedShaco
  • Morei por 4 anos em uma casa que era bastante assombrada. Me lembro da primeira vez que experienciei algo sobrenatural: acordei com o barulho de uns cliques, como se alguém estivesse mudando de canal utilizando os botões da própria televisão. Isso continuou acontecendo até o momento em que levei a TV para o porão. Depois eu e minha irmã acabamos levando nossas camas para o porão também, pois já estávamos assustadas com as luzes em forma de fogo verde que apareciam de madrugada nos cantos do nosso antigo quarto. Uma vez, antes de mudarmos para o porão, lembro de estar deitada no chão fazendo minhas tarefas de casa, quando apareceu a marca de um pé no carpete perto dos meus livros. Eu saí do quarto correndo aos gritos, e a porta se fechou atrás de mim. Eu ainda ouvi como se alguém batesse com toda sua força nela, como se estivesse com raiva. Nem na sala de estar nós tínhamos paz — uma vez, quando uma amiga da minha irmã ficou para dormir na nossa casa e ambas dormiram na sala, a convidada acordou no meio da noite gritando aterrorizada mostrando a marca de uma mordida forte em sua mão feita por dentes humanos. Mas essas coisas estranhas não aconteciam só na nossa casa — de tempos em tempos eu cuidava da menina que morava do outro lado da rua. Uma noite ouvimos barulho de vidro quebrando no porão da casa dela e então as luzes começaram a piscar. Na hora pensei que era algum ladrão, por isso peguei a menina e a levei para minha casa. Mais tarde a polícia disse que não tinha encontrado nenhuma evidência de arrombamento ou de que alguém tivesse invadido a residência. © Cloopidblorapope
  • Meu marido tinha ido para uma viagem de negócios, e eu estava sozinha em casa com meu bebê. Fui ao banheiro, e do nada a maçaneta da porta começou a se mexer sozinha, como se alguém estivesse mexendo nela do outro lado da porta. Eu disse na hora: “Estou indo”. Pensei que minha filha tivesse acordado e meu marido estivesse mexendo na maçaneta para que eu fosse checá-la. Saí do banheiro. Minha filha não tinha acordado, apenas se virado de barriga para baixo e estava com o rosto contra o colchão. Só então lembrei que eu estava sozinha em casa. Foi bem difícil conseguir dormir depois disso. Na verdade a única coisa que eu queria era sair correndo daquele apartamento. © greensvet
  • Eu e meu marido temos uma escola de artes marciais. O prédio em que ela se localiza já tem mais de 130 anos, e quando a compramos, estava em péssimo estado de conservação. Nós tivemos que fazer uma reforma completa, o que demorou algum tempo. Enquanto fazíamos a obra, usando furadeiras e serras elétricas, eu ouvia a melodia de uma caixa de música, mas ninguém ouvia, só eu. E meu esposo ouviu diversas vezes a voz de uma mulher o chamando pelo nome do fundo das escadas. Uma vez, em um sábado de manhã, meu marido estava sentado mexendo no computador e eu jogando tamagotchi no meu Ipad na sala ao lado, quando de repente ouvi o sistema de som ligando. Pensei que meu marido estivesse começando a se preparar para a aula da manhã e iria colocar música. Mas então o aparelho começou a emitir uma voz feminina: “Oi, meu nome é Katie. Tenho... anos. Sou de...” Na hora eu não estava prestando muita atenção, até que a voz começou a falar claramente: “Alguma coisa está me machucando. Alguma coisa está me matando. Alguma coisa me matou”. Naquele momento pude sentir meus cabelos da nuca se arrepiando, e pulei do sofá para ir até o sistema de som. “Por favor, alguém conte isso para meus pais, para meus professores, para o agente penitenciário...” E nesse momento, eu entrei na sala ao lado e comecei a gritar com meu marido por ele estar fazendo essa brincadeira de mau gosto. Depois que me acalmei, ele me levou até o sistema de som e mostrou que estava completamente desligado. © lunchesandbentos
  • Tudo aconteceu quando eu e um amigo fomos explorar o sótão da casa dos meus pais. De repente, vi uma garota em um dos cantos, que aparentava querer brincar com a gente. Ela era completamente normal: tinha cabelos loiros, um vestido bonito e uma aparência simpática. Já me disseram que muitas crianças não entendem que estão, na verdade, vendo um fantasma, e por isso não sentem medo — mas naquele momento, mesmo sendo criança, eu estava aterrorizado. Nunca mais voltei lá, mas sempre que subia para o 1º andar, eu via como a porta do sótão estava entreaberta, como se me chamassem para lá. Meus pais nunca acreditaram em mim e no que aconteceu. Nós nos mudamos de lá quando eu tinha 10 anos de idade. E não tinha se passado nem 1 semana, quando os novos donos telefonaram para meus pais perguntando se já havíamos percebido alguma atividade paranormal na antiga casa. Eles contaram que a filha deles dizia brincar com uma garota loira e que às vezes a viam pela casa. © Economy_Cactus
  • Estava com meus avós em Gelendzhik, no sul da Rússia. Tanto o chuveiro quanto a cabine com o vaso sanitário ficavam do lado de fora da casa, um pouco afastados. Uma vez, quando estava voltando do banho pelo caminho de sempre, vi, pelo canto do olho, uma mulher. Ela era muito alta e estava usando um vestido longo, que aparentava ser antigo. A impressão era de que ela era uma princesa de antigamente. Pude perceber que sua pele era branca e tinha certo brilho, mas o mais estranho era que estava flutuando. A típica descrição de um fantasma. Eu observei como ela pairava pelo ar e se movia até os limites da propriedade. E foi naquele momento que entendi o que estava acontecendo. Por alguns segundos, fiquei intrigado se deveria ou não segui-la. Acabei ficando parado lá com medo. © mr.kalmar

  • Eu já morei em uma casa na qual parecia que moravam gêmeos exatamente iguais aos integrantes da minha família. Naquela época, quando era adolescente, eu conversava frequentemente com minha namorada por Skype, e minha irmã mais nova costumava dormir na sala vendo TV, retornando para seu quarto de madrugada quando acordava. Uma vez, enquanto conversava com minha namorada, vi claramente minha irmã subindo para o 1º piso no fundo do vídeo. Na hora, achei muito estranho que o chão e a escada antigos não faziam nenhum barulho quando ela passava. Me virei e olhei para a sala, e vi que minha irmã estava, na verdade, dormindo. Então perguntei à minha namorada se ela tinha visto algo passando por trás de mim, e ela respondeu: “Sim, acabei de ver sua irmã passar subindo”. Outra vez, eu e minha mãe estávamos esperando minha irmã no carro, pois íamos sair para resolver algumas coisas. Depois de um tempo minha irmã entrou no carro e ficou me olhando espantada. Ela disse que pouco antes de sair de casa tinha certeza que me viu no meu quarto, e ainda gritou “Estamos saindo!”, e que alguém com minha voz respondeu: “Certo, estou indo em 1 minuto”. © 1LT_0bvious

  • A avó da minha namorada estava internada em coma e em estado grave no hospital. Os médicos disseram que as chances dela sobreviver eram de 50%. Enquanto isso, a tia-avó da minha namorada acabou falecendo. 3-4 dias depois, a avó internada acabou acordando do coma. Uma das filhas dela foi então vê-la, e ela perguntou: “Onde está Olga (sua irmã que faleceu)? Ela estava aqui e até conversamos um pouco”. Depois explicou, que enquanto estava em coma, ela aparentemente abriu os olhos e viu sua irmã ao lado de sua cama, que disse: “Por que você está aí deitada? Levante-se e vá para a cirurgia”, e depois saiu do quarto. © Novaone
  • Depois que meus pais se divorciaram, eu me mudei para o apartamento deles, e coisas estranhas começaram a acontecer comigo. Uma vez, de madrugada, escutei como se meu namorado estivesse me chamando, mas não havia ninguém no quarto além de mim. De vez em quando, eu sentia como se alguém estivesse me observando pelas minhas costas e o ventilador ligava e desligava sozinho, no entanto, o mais assustador ainda estava por acontecer. Quando tive que fazer o registro do meu carro no sistema de segurança do prédio, a administradora, Pam, que morava lá no prédio desde sua infância, me perguntou se eu tinha limpado meu apartamento. Eu respondi: “Sim, está tudo em ordem lá”, mas ela me disse: “Não, o apartamento precisa de uma limpeza espiritual”. E Pam me ofereceu ajuda com isso. Junto com ela e outros moradores, andamos pela casa com algumas sacolinhas com sálvia e pedimos para que todos os espíritos deixassem o local. Naquela noite tudo correu bem, mas eu fiquei simplesmente chocada quando alguns dias depois, Pam me mostrou a gravação de áudio daquela noite. Na gravação era possível ouvir um grito muito forte e claro que dizia: “Vá embora!” Depois disso as coisas só pioraram, e os rituais semanais de limpeza não estavam surtindo efeito nenhum. No fim das contas, eu coloquei um gravador em um dos cômodos e fui morar com minha mãe. Depois de um tempo, quando decidi ir lá verificar o que tinha sido gravado no aparelho, pude ouvir 8 vozes diferentes. Eles conversavam entre si, cantavam, andavam pela casa e até lavavam roupa. © abandoned_faces
  • Quando era pequeno, eu brincava com os fantasmas: colocava um brinquedo em um dos cômodos e saía. Quando voltava, ele já não estava mais lá e tinha que procurá-lo por toda a casa. O brinquedo sempre ia parar em um lugar diferente. Só depois de muitos anos que descobri que uma família havia sido assassinada naquela casa. © Mokahccin
  • A casa em que eu cresci era assombrada por um fantasma do bem. Era a senhora Frear, que havia construído a casa e mobiliado à sua maneira. E foi também na casa que ela passou seus últimos minutos de vida. Me lembro de como a porta do meu quarto abria e fechava constantemente, e como eu ouvia passos pela casa. Um dia, dormi assistindo televisão no sofá, e acordei depois que alguém me cobriu com o lençol. Na ocasião, até a caixa de pizza estava fechada do meu lado, e eu estava completamente sozinha em casa. Lembro de como a senhora Frear não gostava da cozinha: os antigos donos tinham feito uma reforma e escolhido materiais baratos. Ela frequentemente batia na porta da cozinha ou nas portas dos armários. Uma vez, quando ela fez isso, minha mãe disse: “Senhora Frear, eu também não gosto da cozinha, assim que nós juntarmos dinheiro vamos fazer um reforma e melhorá-la”. A partir desse momento nunca mais ninguém bateu nas portas dos armários. Quando a cozinha finalmente foi reformada, eu frequentemente sentia cheiro de comida, apesar de ninguém ter cozinhado nada. © fapvass

Você ou algum amigo já vivenciou alguma situação inexplicável como essas? Conte para a gente na seção de comentários.

1--4
10k