12 Hábitos comuns que podem atrapalhar os planos de qualquer aspirante a milionário

Há um ditado popular que diz que “rico não é quem tem muito, mas aquele que tem o suficiente”. Certamente, para muitos, o problema é entender o quanto é o suficiente e viver sob esse lema significaria nunca poder dizer: “Eu sou rico”. Por outro lado, há também quem tente enriquecer de todas as formas e com todas as forças, mas simplesmente não consegue “sair do canto”. E se as circunstâncias externas têm uma parcela de culpa, a maior parte do problema está nas atitudes e nos comportamentos da própria pessoa. Hábitos que prejudicam a vida financeira e atrapalham quem quer enriquecer são o tema deste post.

Nós, do Incrível.club, tentamos identificar quais as diferenças comportamentais entre os ricos e os demais, e encontramos diversos sinais que claramente atrapalham qualquer um que deseja fazer uma fortuna. Acompanhe!

Comprar coisas que não se enquadram no seu orçamento

“Na verdade, se você não puder comprar algo duas vezes, então não tem condições de pagá-lo”, disse o rapper e milionário americano Jay-Z em uma entrevista. E essa regra é válida para qualquer compra, com exceção dos imóveis. Veja só: se o seu celular quebrar e o preço dele for igual ao valor do seu salário, dificilmente você conseguirá comprar um modelo igual no dia seguinte, concorda?

Apenas ouvir ou ler sobre segurança financeira, mas nunca colocá-la em prática

Ter uma reserva de segurança caso alguma situação imprevista aconteça e que lhe permita viver tranquilo por alguns meses é uma das principais características de uma pessoa que conseguiu construir uma boa relação com o dinheiro. Já aqueles que imediatamente ficam endividados a cada situação inesperada ainda não conseguiram encontrar uma relação saudável com suas finanças, e dificilmente conseguem multiplicar o seu dinheiro. Você pode tentar economizar seguindo o conselho de Warren Buffett: “Não economize o que resta de seus gastos, mas gaste o que sobra de suas economias”.

Comprar sempre no crédito

Pagar as férias com cartão de crédito é um sinal claro de que nem tudo está certo com as suas finanças. Claro, ninguém está dizendo que descansar e relaxar de vez em quando não faz bem para o corpo e para alma, mas fazer isso contraindo um empréstimo é uma péssima ideia. Afinal, em vez de juntar dinheiro para a próxima viagem de férias, você irá apenas pagar a dívida contraída da anterior. Thomas Jefferson, o terceiro presidente dos Estados Unidos, dizia: “Não gaste o dinheiro que não tem”. Embora ainda não existissem cartões de crédito naquela época, havia muitas oportunidades para se endividar, assim como nos dias de hoje.

Jogar alimentos e produtos fora com frequência

Se uma pessoa tem de jogar fora alimentos estragados regularmente, isso quer dizer que ela não consegue fazer um bom planejamento de sua alimentação. Além do mais, os alimentos constituem boa parte das suas despesas mensais — portanto, você está jogando seu dinheiro fora.

Ter medo de arriscar

“Quantos milionários você conhece que fizeram suas fortunas apenas investindo dinheiro na poupança?”, perguntou o empresário Robert Allen. Se você continuar fazendo apenas o que faz hoje, então receberá apenas o que já recebe. Claro, isso não quer dizer que é preciso gastar metade do salário na loteria e o resto investindo em ações de risco, mas evitar qualquer risco na esperança de permanecer na sua zona de conforto é, certamente, uma das piores escolhas caso você queira ficar rico.

Não aprender coisas novas

O mundo está constantemente mudando e a uma velocidade incrível. Você precisa “correr” para não permanecer no mesmo lugar e conseguir acompanhá-lo. Caso opte por não gastar tempo e dinheiro para adquirir novos conhecimentos e aprimorar suas habilidades profissionais, então, no melhor dos cenários, você apenas manterá sua renda atual. E, dessa forma, acabará por deixar de lado a ideia de ficar rico. Quando perguntaram a Elon Musk como ele aprendeu a fazer foguetes, ele respondeu: “Eu leio livros”.

Não descansar corretamente

O escritor e trader Zig Ziglar uma vez disse: “Os ricos têm televisões pequenas e bibliotecas grandes, já os pobres têm bibliotecas pequenas e televisões grandes”. Algumas atividades que são consideradas relaxantes podem ser, na verdade, uma perda de tempo precioso — jogos de computador, assistir a vídeos divertidos na Internet, navegar nas redes sociais, passar o tempo no bar. Esse tipo de entretenimento pode acabar consumindo muito tempo e tornar sua vida menos produtiva.

Gastar seu tempo livre com faxina

Cozinhar e faxinar a casa são atividades bastante difíceis de se evitar. Mas gastar muito tempo ao realizá-las não é a opção mais correta. Um dia só tem 24 horas, e descontando o tempo de sono e de trabalho, lhe restam apenas, na melhor das hipóteses, 5 ou 6 horas. Se você gastá-las retirando a poeira e cozinhando, então não terá tempo para se dedicar a melhorar a sua vida financeira. Portanto, quando você entende que seu tempo custa mais caro do que contratar um profissional de limpeza, essa ideia começa a aparentar mais rentável que não aproveitar o seu tempo.

Não tentar aumentar suas finanças

Nem todo mundo tem a oportunidade de mudar completamente de profissão e ainda conseguir aumentar a renda depois disso. Mas é necessário considerar que dentro da mesma área profissional os salários podem variar bastante. E se o seu salário não acompanhar o valor dos mais altos de sua esfera profissional, então, certamente, algo está errado. Além do mais, os gerentes de grandes empresas afirmam que estão dispostos a aceitar as sugestões de aumento de salário dos funcionários se eles apresentarem argumentos convincentes.

Não acompanhar de perto o seu dinheiro

coach empresarial Jaime Tardy acredita que “a principal diferença dos ricos é que eles controlam seu dinheiro, não permitindo que o dinheiro que controle as suas vidas”. Se você não se preocupa com o quanto restará na sua carteira depois de uma visita ao supermercado, então você não está no caminho para a riqueza. Para ficar rico, você precisa conhecer bem sua receita e suas despesas. Isso ajuda a planejar o seu orçamento, a se preparar para situações inesperadas e, certamente, a criar uma relação saudável com o seu dinheiro.

Compartilhar seus planos com todo mundo

Contar seus planos de como deseja ficar rico só faz sentido se for para as pessoas que verdadeiramente o apoiam. No entanto, infelizmente, elas costumam não ser muitas. A maioria das pessoas, apesar de darem sugestões “bem-intencionadas”, certamente tentarão desestimulá-lo convencendo-o de que seus planos não irão dar certo. Existe até um conceito que descreve esse fenômeno — ele se chama mentalidade de caranguejo.

Conhecer os seus limites

Uma pessoa não irá se tornar rica se não souber o que isso significa. O filtro mental responsável por proteger sua consciência de informações desnecessárias e prejudiciais pode também excluir de sua realidade cotidiana coisas, opções de lazer e objetos de luxo muito caros, de forma que você simplesmente não terá nenhum estímulo para ganhar mais dinheiro. Por exemplo, algumas pessoas podem simplesmente passar na seção de frutos do mar ou vinhos importados e não reparar nem nos produtos como nos seus preços. No entanto, os preços altos podem servir como um estímulo para você se perguntar: “O que preciso fazer para poder ter condições de comprar isso?”

Certamente, existem muitos outros fatores que determinam a riqueza, mas tentamos destacar apenas aqueles que dependem exclusivamente do futuro milionário, e não de circunstâncias externas.

O que é ser rico para você: ter dinheiro para comprar o que quiser ou o suficiente para viver como deseja? Qual deve ser a principal característica de um futuro milionário? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo