Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Curiosidades sobre crianças que muitos pais desconhecem

As crianças crescem em um piscar de olhos. Um dia são bebês super fofos e logo depois, já são adolescentes. E, claro, nessa jornada, os pais querem entender o que se passa com elas. Os pequenos surpreendem seus pais diariamente e ensinam os adultos a serem pessoas melhores.

A equipe do Incrível.club se interessou por peculiaridades fisiológicas e psicológicas de crianças. Conhecê-las pode ajudar a entender melhor os pequenos, para que cresçam inteligentes e felizes.

1. Os recém-nascidos não choram nas primeiras semanas de vida porque não sabem como fazer isso

Obviamente, os recém-nascidos possuem canais lacrimais, mas sem líquido suficiente dentro. Ele é produzido apenas para proteger os olhos, sem poder ser expelido. Durante as primeiras semanas de vida, o bebê só pode gritar. Os olhos inflamados sem lágrimas saindo, no entanto, são um sinal de alerta. Nesse caso, é importante consultar um pediatra.

2. As crianças possuem mais papilas gustativas do que os adultos

As crianças possuem uma capacidade muito maior de identificar sabores que os adultos. A criança possui em média 10 mil papilas gustativas, enquanto na idade adulta esse número diminui até cerca de cinco mil. É por isso que o paladar dos pequenos é tão sensível aos sabores, mesmo que eles não consigam explicar isso. Por exemplo, um prato amargo ou azedo para um adulto pode ser rejeitado por uma criança por ser muito forte. Isso pode explicar a falta de vontade de comer, que os pais consideram um “capricho infantil”, e a preferência por doces, cujo gosto é intensificado pelos receptores sensoriais.

3. O bebê não sente o gosto do sal até os cinco meses, porque os receptores não estão completamente formados

Acredita-se que os primeiros gostos que uma criança sente são doce e amargo. Só depois de chegar aos cinco meses, o processo de formação de receptores responsáveis ​​pela identificação do sabor salgado é concluído. Até uma certa idade, o paladar de bebês se mostra neutro ao gosto salgado, e os cientistas afirmam que as crianças não o reconhecem ou simplesmente não o consideram significativo até os cinco ou seis meses.

4. Os bebês não enxergam a cor azul

O vermelho é a primeira cor que os bebês enxergam. Depois vem o amarelo. De acordo com estudos, a capacidade de distinguir entre tons de azul e verde começa a se formar a partir dos quatro meses. Portanto, ensinar as cores nos primeiros meses de vida como parte da educação precoce pode se revelar uma atividade bastante inútil. Os oftalmologistas recomendam cercar a criança com brinquedos de tons vermelhos e amarelos, cores que, como mencionamos, são as primeiras que ela é capaz de identificar.

5. Os primeiros sons do bebê são muito importantes

Os pais evidentemente não vão entendem o que o bebê “diz” nos primeiros meses. Mas esses sons são um sinal de que a criança está pronta para aprendizagens. Quando os pais escutam essas “dicas”, devem prestar muita atenção.

Segundo neurobiólogos, as “conversas” com os pais tornam o bebê mais inteligente. Por isso o diálogo entre adultos e crianças desempenha um papel tão importante.

6. Os olhos da criança praticamente não mudam de tamanho à medida que ela cresce

O fato de as crianças parecerem ter olhos maiores do que os dos adultos tem uma explicação simples. É só uma questão de proporção. A fase principal do crescimento dos olhos dura até os três anos. Depois, os olhos param de crescer ou crescem muito devagar. Como comparação, o olho de uma criança de três anos possui aproximadamente 2,3 cm e, até os 20 anos, seu tamanho aumenta só 1 mm.

7. A criança fortalece o sistema imunológico quando ri

O sorriso e a risada (que são coisas diferentes) são os primeiros meios de comunicação. O bebê sorri em média 200 vezes por dia e, dessa forma, expressa alegria, aprende sons e mostra que está bem. Durante o crescimento, a risada pode ajudar a aliviar o estresse. De acordo com cientistas, a risada é o melhor remédio e o principal mecanismo de defesa do organismo infantil. Assim sendo, podemos afirmar que é aconselhável deixar as crianças darem risada, em vez de repreendê-las, uma vez que é recomendado que riam pelo menos 300 vezes por dia para serem saudáveis, isto é, a cada três minutos. O importante é que os adultos aguentem firme.

8. Até os três anos, as crianças acreditam na lógica do “se eu não vejo, ninguém vê”

Provavelmente, você já se deparou com a seguinte situação: a criança cobre os olhos com a mão e entra na cozinha para roubar doces, enquanto o adulto está lá. Ela pensa que ninguém pode vê-la porque ela não pode ver ninguém. Pode parecer engraçado, mas é uma das lógicas infantis. Isso significa que o raciocínio lógico e abstrato ainda está em desenvolvimento e tudo é assimilado de forma literal. Essa forma de pensar é considerada normal até os três ou quatro anos.

9. Os adolescentes são mais vulneráveis que os bebês

Os adolescentes precisam de mais horas de sono do que adultos e bebês — de nove a 10 horas por dia — para um desenvolvimento adequado. Estudos mostram que, nos adolescentes, a melatonina, o hormônio do sono, varia com maior intensidade que em adultos e bebês. Isso pode explicar por que eles tendem a ficar acordados até bem tarde e, depois, tenham dificuldade de levantar cedo. E isso, por sua vez, pode prejudicar o desempenho escolar.

10. Abraços são vitais para as crianças

Um abraço é uma forma de mostrar a importância e o valor da criança na nossa vida. As crianças que não recebem amor e carinho suficiente crescem inseguras, incapazes de demonstrar empatia. Mas além do aspecto psicológico, abraços são bons para a saúde física. Eles aumentam a quantidade de endorfina e ocitocina, os níveis de hemoglobina e fortalecem a imunidade.

Você conhecia essas curiosidades sobre o desenvolvimento infantil? Compartilhe com a gente observações interessantes de sua experiência na criação de crianças.

Imagem de capa Depositphotos
Compartilhar este artigo