Incrível
Incrível

10 Coisas que uma pessoa sábia nunca faria com sua cara metade

Muitas vezes, acreditamos que já sabemos todos as regras e dicas para manter um relacionamento harmonioso. Mas, ainda assim, pode ser que algo dê errado e que ainda tenhamos algumas coisas para aprender. Muitas vezes, cometemos erros que podem ser considerados absurdos e passamos aos clichês do melodrama. Mas algumas pessoas sábias aprenderam algumas coisas que não devemos fazer em um relacionamento para que possamos mantê-lo.

O Incrível.club reuniu 10 pequenos erros que podem resultar em problemas mais sérios para os casais no futuro.

1. Passar todo o tempo juntos

“Você é minha melhor metade” é uma frase comuns em filmes, que implica que somente quando as pessoas encontram o amor elas se tornam completas. E quanto a ser completo sozinho? Para ser, não é preciso compartilhar cada minuto com a pessoa que você ama. Os psicólogos asseguram que em aproximadamente 30% dos casos alguém no casal não tem espaço pessoal suficiente.

Muitas vezes, os casais se separam devido à falta de privacidade e ao estresse que isso acarreta. Pessoas experientes sabem que estar juntas o tempo todo não é garantia de união forte, e sim uma ameaça. Não importa quão próxima seja a relação, os membros do casal precisam ter um lugar e um momento para ficar sozinhos com seus pensamentos e tirar suas “máscaras sociais”. Praticar esportes, ler um livro ou fazer o que gosta são sempre atividades importantes para a saúde mental e física de cada um.

2. Não brigar nunca

Todos nós queremos acreditar que aquela pessoa é a “prometida” para nós, então não devemos brigar nem nos desentender, e a relação será ótima. Se vocês brigarem o tempo todo, então, não é o destino? Vocês não foram feitos um para o outro? As pessoas sábias não pensam assim. Elas estão dispostas a discutir até ficarem roucas.

Os psicólogos também insistem que não é bom evitar brigas, porque os problemas devem ser expostos e não silenciados ou suprimidos. Afinal, as diferenças não aparecem simplesmente, mas servem como sinais de mudanças que precisam ser implementadas. Um conflito resolvido é um passo dado para tornar o relacionamento mais confortável para ambos. Caso um não saiba o que deixa o outro feliz, triste, nervoso, etc, será impossível fazer com que a relação dê certo.

3. Acreditar nas promessas

Os psicólogos revelaram um padrão interessante: uma pessoa apaixonada raramente cumpre as promessas que fez à sua cara metade. E isso não se deve à falta de responsabilidade ou negligência, mas às peculiaridades de nossa percepção.

Primeiro, em um momento de alta carga sentimental tendemos a prometer à pessoa amada mais do que podemos fazer. Segundo, não é tão terrível cometer um erro para uma pessoa próxima, com quem você se sente confortável e que, com toda a probabilidade, perdoará um pequeno descuido. Esta lição foi bem compreendida pelas pessoas experientes e, portanto, elas ficam atentas às suas próprias promessas e não se apressam em acreditar em tudo o que é prometido.

4. Ameaçar com separação

Lembre-se que o relacionamento pode terminar a qualquer momento, e, assim, pressionar a pessoa a mudar seu comportamento pode ser um método eficaz, mas o efeito não dura muito tempo. No futuro, em vez de uma atitude mais sensível, essas palavras podem causar ao parceiro medo, incerteza e, provavelmente, uma resposta agressiva.

De acordo com os pesquisadores, aqueles que tendem a manipular com ameaças são pessoas que não são seguras de si. É mais fácil distanciar-se do parceiro do que se aprofundar nos problemas.
Para uma pessoa sábia, é mais fácil manter uma abordagem positiva com o seu parceiro. Eles discutem os problemas não com uma postura “eu vou terminar tudo se você não melhorar”, mas com a postura de “vamos tentar consertar isso juntos”.

5. Criticar um ao outro

Você pode estar de mau humor, seu corte de cabelo pode estar ruim ou sua piada no escritório pode não ter rendido muitas risadas, mas sua “cara metade” não deve ser sua válvula de escape, e sim lhe apoiar e ajudar a suavizar o mau momento. Em um relacionamento harmonioso, o parceiro é seu aliado, não seu inimigo. De acordo com a opinião dos psicólogos, a crítica pode provocar uma separação precoce.

Os sábios distinguem uma crítica de uma mera expressão de descontentamento. A crítica questiona as qualidades da pessoa e a menospreza. Se um tem a necessidade de criticar o outro, pode significar que o crítico tem um complexo de inferioridade e tenta compensar afirmando-se à custa de seu parceiro.

6. Ter ciúme sem motivos

“Quanto mais ciumenta a pessoa é, mais ela ama” é uma frase na qual pessoas experientes não acreditam. Os psicólogos também recomendam não levar para o lado romântico o controle excessivo e a desconfiança em relação ao casal. O mito de que uma pessoa verdadeiramente apaixonada ficará com ciúmes de tudo e todos que cruzem seu caminho está longe de ser verdade.

De acordo com as observações dos pesquisadores, as pessoas que verificam regularmente as conversas de seus parceiros nas redes sociais encontram cada vez mais razões para desconfiar do outro, aumentar sua ansiedade, querer descobrir uma traição e, eventualmente, cair em um círculo vicioso. As pessoas propensas ao ciúme de coisas insignificantes geralmente não têm certeza de sua importância para o outro e, muitas vezes, para si mesmas. Restringir a liberdade do outro não é uma opção. Mas o que fazer se o ciúme não permite que você viva em paz?

  • Não procure desculpas para pegar o outro traindo você. Deixe de verificar o celular ou redes sociais da pessoa e pare com essa tentativa desnecessária de controle.
  • Desenvolva a autoconfiança e fortaleça o relacionamento de maneira construtiva. Se você não duvida da sua importância para o seu parceiro, então não há razão para ficar com ciúmes.
  • Converse com o outro sobre o ciúme com mais frequência. É importante falar com sinceridade, mas não ficar com raiva ou acusar, muito menos começar uma briga. Falar sobre o problema em tom conciliatório e calmo também facilitará para que os dois encontrem uma maneira para resolver essa questão.

7. Responder a uma ofensa com outra ofensa

Se o seu parceiro lhe ofendeu, por que não revidar com a mesma moeda? É tão fácil fazer justiça punindo o outro por seu mau comportamento. Os estudos demostraram que a vingança pode causar uma breve sensação de euforia, comparável aos efeitos do álcool e da nicotina, mas a longo prazo só deixa emoções negativas.

As pessoas sábias conhecem bem as consequências reais da vingança: ela força você a reproduzir as queixas e evita conclusões construtivas, além de minar o relacionamento. Isso leva ao desinteresse e desrespeito mútuo.

8. Adivinhar os desejos do outro

Pessoas experientes não costumam fazer algo que o outro não pediu. Sendo assim, não esperam por uma gratidão que nunca virá. Passar o tempo todo fazendo favores ou as vontades do outro pode fazer com que, em breve, deixe de ser algo natural e passe a ser uma obrigação.

Se você é uma pessoa que tem prazer em agradar seu par excessivamente, está correndo o risco de acabar sob a pressão dos desejos dele. Mesmo se inicialmente a intenção do outro não seja lhe manipular, suas atitudes não dão outra opção. Sugerimos pensar em planos conjuntos e no cumprimento não apenas dos desejos do outro, mas também dos seus.

9. Não falar sobre relacionamentos passados

Por mais desagradável que isso pareça, é impossível construir uma relação com uma pessoa com a qual você não sabe nada do passado, suas experiências, histórias, relacionamentos, etc. Qualquer um que tenha estado em mais de um relacionamento age com sabedoria quando conta sua experiência. Falar de ex-parceiros é necessário, dizem os especialistas. Esse tipo de conversa não é utilizada para voltar ao passado, para fazer comparações, etc, mas sim para construir um futuro melhor.

Não é necessário dar todos os detalhes íntimos. Discutir suas próprias emoções e as conclusões resultantes de alguns episódio é o suficiente. Assim, será mais fácil evitar cometer os velhos erros com o parceiro atual. Além disso, a sinceridade e a disposição de compartilhar experiências pessoais aumentarão o nível de confiança.

10. Abusar de fotos conjuntas

A experiência mostra que as “selfies” frequentes não contribuem para a construção de um relacionamento harmonioso. As fotos inofensivas de um casal apaixonado podem, na realidade, indicar que essa parceria está prestes a se desfazer.

Os psicólogos notaram que algumas pessoas são excessivamente viciadas em “selfies” porque extraem as emoções das reações às fotos: optam por “curtidas” e comentários de outras pessoas, em vez de obtê-las do parceiro. Na maioria dos casos, escolhem manter a ilusão de um relacionamento ideal e, assim, evitam enfrentar e resolver problemas reais.

E quais dicas você conhece para construir um relacionamento harmonioso? Compartilhe-as nos comentários na seção abaixo.

Incrível/Psicologia/10 Coisas que uma pessoa sábia nunca faria com sua cara metade
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos