Incrível
Incrível

Como eram estas 12 damas do passado conhecidas pela sua beleza e que já foram retratadas no cinema

Os padrões de beleza já mudaram muito ao longo da história. E é por isso que muitas damas da alta sociedade, cuja aparência era tão admirada antigamente, podem não nos parecer muito atraentes nos quadros. Além disso, é preciso saber que os pintores davam uma leve “photoshopada” em seus clientes nobres e não refletiam a verdadeira aparência deles nos retratos. E, claro, a indústria cinematográfica também embeleza algumas figuras históricas.

Nós, do Incrível.club, decidimos comparar como mulheres famosas do passado foram retratadas nos retratos daquela época e nos filmes modernos. E no bônus, uma análise sobre como o padrão de beleza evoluiu através dos séculos usando o exemplo de Isabella da França. Confira!

Georgiana Cavendish, Duquesa de Devonshire

Georgiana Cavendish foi admirada por muitos de seus contemporâneos por sua beleza. O retrato de Thomas Gainsborough retratou uma mulher que também está em conformidade com os padrões de beleza modernos. Além disso, ela era uma lançadora de tendências. Apenas algumas palavras de Georgiana eram suficientes para valorizar um artista ou tornar uma peça incrivelmente popular.

A Duquesa de Devonshire adornava o cabelo com três penas, o que causou um grande problema para os prestadores de serviços funerários. As penas de avestruz eram uma raridade na Inglaterra, e as mulheres faziam de tudo para conseguir as que enfeitavam os cavalos das carruagens funerárias. Essa beldade foi retratada nos cinemas: em A Duquesa, o papel de Georgiana foi interpretado por Keira Knightley.

Marguerite de Valois, conhecida como Rainha Margot

Segundo os contemporâneos, Marguerite brilhava com beleza incrível e charme único. Foi até chamada de “Pérola dos Valois”. Juan da Áustria, meio-irmão do rei espanhol Filipe II, viajou a Paris, apenas para ver a famosa mulher com os próprios olhos.

Depois disso, Juan escreveu: “A beleza dessa princesa não é de origem terrena, e sim divina. Ela foi feita para condenar e arruinar os homens, em vez de salvá-los”. A bela mulher já foi retratada nos cinemas muitas vezes. Isabelle Adjani interpretou Marguerite no filme A Rainha Margot.

Lucrezia Borgia

A personalidade de Lucrezia Borgia sempre foi compreendida de forma ambígua. Alguns admiravam suas qualidades morais, outros a acusavam de todos os tipos de pecados. Mas em uma coisa tanto os opositores quanto os admiradores eram unânimes: a garota se distinguia pela sua beleza.

Contemporâneos diziam que os exuberantes cachos loiros de Lucrezia batiam abaixo dos joelhos. Ela era uma loira tão charmosa que foi retratada na televisão. Na série Os Bórgias, a aparência da atriz Holliday Grainger é em muitos aspectos semelhante à descrita de Lucrezia. Exceto por alguns detalhes. O retrato de Lucrezia mostra que ela tinha olhos castanhos e um rosto estreito. E era assim que ela era descrita na época. A mulher ostentava um nariz reto, um pescoço longo e um sorriso branco como a neve. E seu andar era tão gracioso que parecia flutuar, em vez de andar.

Frances Theresa Stuart, Duquesa de Richmond

Frances Stuart conquistou o coração de todos na corte de Charles II com sua incrível beleza. Além disso, ela tinha muitos fãs. Por causa da sua aparência, Frances foi apelidada de “a bela Stuart” e reconhecida como a verdadeira personificação da Grã-Bretanha. E uma atriz não menos encantadora foi escalada para vivê-la no mundo cinematográfico. Na série de televisão The Great Fire, ela foi encarnada por Antonia Clarke.

Mas os cavalheiros não ficavam muito encantados com a inteligência de Stuart. O conde de Gramont, um aristocrata francês, ficou até espantado como uma aparência tão excepcional podia ser combinada com uma intelectualidade tão pobre.

Louise de La Vallière

Os contemporâneos admiravam mais o temperamento e as qualidades espirituais de Louise de La Vallière do que sua beleza. De todas as amantes de Louis XIV, ela era a única que nunca quis nada para si e não buscava ganhos pessoais com o romance.

Louise se distinguia por uma pele magnífica, cachos claros, olhos azuis e um sorriso gentil. Sarah Winter, que interpretou de La Vallière na série de TV Versailles, não se encaixa muito bem nessa descrição, nem com o retrato oficial de Louise.

Françoise-Athénaïs de Rochechouart, Marquesa de Montespan

A Marquesa de Montespan era considerada uma das damas mais atraentes da corte de Louis XIV. Naquela época, ela tinha uma beleza extraordinária. Seus cachos dourados caíam graciosamente sobre seus ombros, e seus olhos brilhavam azuis.

A garota também tinha um nariz finíssimo, boca pequena e um corpo arredondado. Na série Versailles, Francisca Atenas foi interpretada por Anna Brewster, que parece muito franzina em comparação com a original.

Yolande de Polastron, Duquesa de Polignac

Yolande de Polastron foi uma dama da corte e a favorita da rainha Marie Antoinette. A garota se distinguia por sua personalidade alegre e descontraída, além disso, era muito bonita.

Ela era descrita como uma mulher pequena de cabelos morenos, com pele muito clara, quase como um alabastro. Mas a característica mais linda de Yolande eram seus olhos, que eram grandes e tinham um tom lilás incrível. No filme Maria Antonieta, o papel da Marquesa foi para Rose Byrne.

Catalina de Aragón

Infelizmente, os contemporâneos de Catalina de Aragón não se preocuparam em deixar qualquer descrição detalhada da aparência da primeira esposa do rei Henry VIII. Apenas se limitaram a generalidades, dizendo que ela era a criatura mais bela do mundo.

O que se sabe é que Catalina se orgulhava dos seus longos e exuberantes cabelos. E que também se destacava por sua educação e modos refinados. A rainha foi retratada na televisão por Charlotte Hope na série The Spanish Princess (sem versão para o português).

Catherine de Valois

Catherine de Valois, filha do rei francês Charles VI, ajudou na ascensão da dinastia Tudor ao trono da Inglaterra. E tudo porque, após a morte de seu primeiro marido Henry V, ela se casou novamente com Owen Tudor.

Naquela época, a rainha era considerada extremamente bonita. Contemporâneos diziam que seu rosto era de uma cor semelhante ao marfim, e seus olhos eram grandes e escuros. No filme O Rei, Catherine foi interpretada por Lily-Rose Depp.

Elizabeth Woodville

A aparência de Elizabeth Woodville era tão fascinante que o Rei Edward IV não resistiu a propor sua mão em casamento. Elizabeth se distinguia por sua figura imponente, cabelos loiros e pele delicada. O mais fascinante eram seus olhos. Eles eram “escondidos por pálpebras pesadas, como as de um dragão”.

Os historiadores acreditam que os olhos de Elizabeth eram verdes brilhantes ou talvez dourados. Rebecca Ferguson retratou Elizabeth em The White Queen (sem versão para o português).

Sibylla de Jerusalém

Sibylla de Jerusalém, interpretada por Eva Green em Cruzada, foi uma figura controversa. Embora alguns manuscritos a idealizem e glorifiquem, é improvável que ela possuísse todas as virtudes atribuídas a ela.

Por outro lado, ela não era uma rainha tola e fraca de vontade. Seus contemporâneos comentavam sobre sua coragem e prudência. Não há uma descrição precisa da aparência de Sibylla. Mas os estudiosos sugerem que ela era uma mulher alta e bonita, de cabelos loiros.

Mary Tudor, Rainha da França

Mary Tudor, irmã de Henry VIII, foi considerada a princesa mais bonita da Europa. Diziam que ela parecia um anjo, e era admirada pela sua elegância e graça. Até os olhos claros e os cílios da jovem eram comentados.

Erasmo de Rotterdam disse sobre a garota: “A natureza nunca criou nada mais bonito”. Mas Mary se destacava mesmo pela sua forte personalidade. Apesar da proibição do seu irmão, ela se casou com quem queria e se opôs veementemente ao divórcio de Henry VIII e Catalina de Aragón. No seriado The Tudors, Mary foi interpretada por Gabrielle Anwar. Porém, na produção foi chamada de Margaret, para que a personagem não fosse confundida com a filha de Henry VIII.

Bônus: como o ideal de beleza mudou através do tempo, tomando Isabella da França como exemplo

Os historiadores sugerem que Isabella era externamente semelhante a seu pai, Philippe, o Belo. Ela era uma garota esbelta e encantadora. Seu marido até a apelidou de Isabella, a Bela. Um dos cronistas da época falou da rainha da seguinte maneira: “A mais bela das belas, talvez não só em seu reino, mas em toda a Europa”. Um retrato do século XV de Isabella corresponde às descrições de seus contemporâneos.

Entretanto, ela não ficou conhecida como Isabella, a bela, mas como “A Loba da França”, pois com seu amante, se rebelou contra o marido Edward II, rei da Inglaterra. Ela então governou o país por vários anos até que seu filho ascendesse ao trono.

Posteriormente, ela foi frequentemente retratada em obras literárias como uma mulher bonita, mas desonesta. O retrato acima, pintado no século XIX, demonstra mais o conceito de atratividade na era vitoriana do que a verdadeira aparência da rainha.

No século XX, a controversa figura de Isabella tornou-se mais compreensiva. Assim, no filme Coração Valente ela foi interpretada por Sophie Marceau, e na trama simpatiza com o herói William Wallace e até desenvolve sentimentos amorosos. Se a nobre era semelhante à atriz na aparência, é difícil dizer. Mas com certeza ela nunca se encontrou com o famoso escocês.

Na sua opinião, as atrizes devem ter alguma semelhança com o personagem histórico que vão interpretar? A história de qual das mulheres do nosso artigo mais chamou a sua atenção? Conte para a gente na seção de comentários.

Incrível/Mulher/Como eram estas 12 damas do passado conhecidas pela sua beleza e que já foram retratadas no cinema
Compartilhar este artigo