8 Famosas abrem o jogo e falam sobre a maternidade “real” e suas dificuldades

Nas redes sociais, a maternidade parece um conto de fadas. As crianças nunca estão doentes, as mães não têm olheiras e a gestação passou sem nenhum enjoo. Embora a pressão para ser a “mãe perfeita” sempre exista, quem tem filhos sabe que nem tudo são flores. Por isso, cada vez mais se fala sobre a maternidade “real”: um olhar mais generoso sobre as mães, que coloca uma lente de aumento no Instagram e mostra as dificuldades desse papel.

Falar sobre os problemas da maternidade serve para quebrar a ilusão de que tudo é perfeito na gestação e na criação dos filhos. Na verdade, as mães compartilham os mesmos medos, inseguranças, cansaços e dores.

A seguir, o Incrível.club reuniu depoimentos de famosas brasileiras que resolveram falar abertamente sobre a maternidade real. Se é mãe, você provavelmente irá se identificar com pelo menos um dos relatos. Acompanhe!

“Não estava me sentindo nada sensual na gravidez, nem mais bonita”

O filho de Carol Dantas, Valetin, nasceu em setembro, mas, na reta final da gravidez, a influenciadora abriu o jogo sobre as inseguranças que viveu durante a gestação. Em entrevista à Marie Claire, ela confessou que não gostava de se ver com as novas curvas e passou por momentos em que não queria se olhar no espelho.

“Claro que as curvas são diferentes, são da gravidez. Mas nesse momento que está mudando o seu corpo, você também está em uma fase mais melancólica, mais sensível, e não é fácil administrar isso”, afirmou Carol.

“Eu tenho muito medo de que falem que não sou boa mãe, que questionem: ’Por que que ela foi ter filho?’”

A atriz Miá Mello trouxe esse debate para os palcos, ao realizar a peça “Mãe fora da caixa”. No monólogo, a artista fala sobre medos, frustrações, culpas e reflexões de mães que não se sentem representadas por aquela maternidade “perfeita” exposta nas redes sociais.

“Eu mesma não me considero fora da caixa. Eu tenho muito medo de que falem que não sou boa mãe, que questionem: ‘Por que que ela foi ter filho?’ Mas eu estou respirando fundo e tomando coragem porque acho que eu vou ser melhor se falar a verdade e vai ser melhor para os outros. Esse é meu objetivo. Mas você acha que eu não me cobro, não quero ficar num padrão para ser uma boa mãe?”, disse Miá em entrevista ao Universa.

“Nós nos sentimos culpadas por tudo”

Falando em culpas que as mães sentem, Sabrina Sato também falou sobre as pressões em conciliar a maternidade e o trabalho. “Não é fácil voltar ao trabalho, foi mais difícil do que eu imaginava. A vontade que a gente tem é só de ficar com o bebê”, disse. “Acho que não tem uma mãe que não sinta culpa, nós nos sentimos culpadas por tudo. Não foi fácil, mas faria tudo da mesma forma”, completou.

A apresentadora chegou a citar a história da ex-jogadora de basquete Hortência, como exemplo de mãe que precisou retomar a vida profissional rapidamente. “Falei com a Hortência e ela me disse ’Sabrina, quando meu filho estava com dois meses eu estava jogando nas Olimpíadas’. Então, são mulheres como essas que inspiram a gente”, contou.

“Quando eu lembrava que ia ter que deixar o meu filho, a lágrima pingava no rosto dele”

Assim como tantas outras mães, as famosas muitas vezes não podem deixar a carreira profissional de lado por alguns meses e se dedicar exclusivamente ao bebê. Em entrevista a Antônia Fontenelle, Simaria, da dupla com Simone, revelou como foi difícil ter que deixar seu filho, com 8 dias de vida, para se reunir com empresários.

“Eu tive que ir, porque era uma oportunidade única que a gente tinha e eu não podia deixar passar. Foi duro para mim, porque era bem na época que eu estava amamentando e eu estava muito sensível. [...] Quando eu olhava para baixo e lembrava que eu ia ter que viajar e deixar ele, a lágrima pingava no rosto do meu filho”, disse.

“Foi um tsunami hormonal”

A cantora Pitty, mãe da Madalena, viveu uma gravidez de risco e disse que o período foi marcado por uma verdadeira avalanche hormonal.

“Foi uma tsunami hormonal, até porque eu tomei hormônio na gravidez e tive uma gravidez de risco. Então, eu tive uma onda de precisar de mais hormônio do que o que a gente já produz normalmente na gravidez. Então, foi uma avalanche de sentimentos, eu me lembro das noites em claro”, revelou a artista durante o programa Saia Justa.

“Maternidade é realmente ter que se desdobrar para dar conta de tudo e todos”

Não é à toa que ouvimos por aí que as mães têm superpoderes. Com duas filhas, Ticiane Pinheiro conhece bem a rotina de ter que fazer duas, 3 ou até 4 coisas ao mesmo tempo para ser mãe, esposa, cuidar de si e ainda ter uma carreira.

“Enquanto dou de mama para Manu, Rafinha quer que eu conte histórias e quando estou brincando de boneca com a Rafa, Manu chora querendo mamar. E nessa dupla jornada, ainda tem o marido que precisa de atenção também”, escreveu no Instagram.

“Maternidade é realmente ter que se desdobrar para dar conta de tudo e todos. [...] Isso é ser mãe, isso é ser mulher maravilha mas como eu digo, quando existe amor, tudo fica mais fácil e prazeroso”, completou.

“Eu não sabia ficar sem ela”

Grazi Massafera foi outra famosa que resolveu abrir o jogo sobre a maternidade real. Durante o programa Conversa com Bial, ela fez uma declaração honesta sobre a guarda compartilhada da filha Sofia com seu ex-marido Cauã Reymond.

“Tinha uma coisa que eu não sabia fazer, que era ficar sem ela. Eu não conseguia. Então, hoje em dia eu tenho esse tempo sem ela para dedicar a mim. É uma troca interessante também”, confessou.

“Amamentar é fundamental, mas quem não consegue não é menos mãe”

A apresentadora Fernanda Gentil usou o Instagram para falar sobre as dificuldades que teve para amamentar seu filho Gabriel. “Para uma mãe que sempre sonhou em viver o momento mágico de filme do filho mamando no peito, do olho no olho, da mãozinha segurando o nosso dedo, a notícia da mamadeira cai como uma bomba. Chorei, me julguei e repassei a gravidez inteira na minha cabeça tentando descobrir onde errei; se foi o chocolate que comi, a noite que não dormi ou aquela longa escada que subi”, escreveu.

No fim do texto, a jornalista ainda deu apoio para mulheres que passam, ou passaram, pela mesma situação: “Meu recado é esse: amamentar é fundamental, mas quem não consegue não é menos mãe. Essa foi a minha melhor descoberta: o amor que bate no peito bate também na mamadeira”.

Falar abertamente sobre as inseguranças, os medos e as situações mais difíceis que as mães passam é benéfico, pois isso cria uma rede de apoio cada vez mais forte entre as mulheres.

Você se identificou com algumas das situações descritas pelas famosas? O que é, para você, a maternidade “real”? Conte para a gente nos comentários.

Compartilhar este artigo