7 Razões pelas quais não devíamos usar calça jeans com tanta frequência e como substituir essa peça-chave

De calças super-resistentes criadas para mineiros a símbolo do movimento hippie e item de alta costura. Tendências de moda vão e vêm, mas o jeans parece ter um lugar garantido no guarda-roupa de pessoas do mundo todo. E o que há de errado nisso? Na verdade, nada. Mas, num momento em que saúde, bem-estar e meio ambiente são prioridades, ao revisitarmos nossos antigos hábitos, algumas práticas saltam aos olhos e percebemos a necessidade de revê-las.

Incrível.club fez uma lista de motivos para não usarmos tanto jeans e quer mostrar que há outras opções lindas, confortáveis e sustentáveis no mercado, sem que seja preciso abrir mão de vez dessa peça tão amada.

7. Cerca de cinco mil litros de água são gastos na produção de uma única calça jeans

Sim, você não leu errado! Para ser mais exato, são consumidos até 5.196 litros de água para fazer uma única calça jeans no Brasil, desde o plantio do algodão até o final do processo produtivo, segundo dados do projeto “Pegada Hídrica Vicunha”.

Uma pesquisa sobre hábitos de consumo de moda da Lycra mostra que as brasileiras são as que consomem a maior média de jeans no mundo: são nove peças ao ano, nem todas produzidas por aqui, claro. Mas já dá para imaginar o impacto disso tudo, incluindo o descarte.

Os dados são brasileiros, mas a preocupação é global. Tanto que grandes marcas de jeans e outros itens, como Levi’s (acima) e Nike, estão investindo em campanhas de consumo consciente, incentivando a compra de roupas e calçados feitos com matéria-prima mais sustentável, além do uso das peças por mais tempo, incluindo recauchutagem e venda de produtos de segunda mão.

6. O uso diário de calças jeans pode causar problemas de saúde

Vale começar este tópico esclarecendo que o tecido do jeans em si — chamado denim, que é um tipo de algodão trançado — não faz mal algum à saúde. O que pode ser prejudicial é o uso de jeans apertado, seja por ter ganhado uns quilinhos ou se for esse o modelo da calça.

Além de ser de um tecido relativamente grosso, caso esteja muito justa, a calça jeans aumenta a transpiração nas partes íntimas, favorecendo infecções, especialmente em mulheres.

A calça skinny (aquela que é justa por todo o comprimento até o tornozelo), por exemplo, pode comprometer a circulação. Como o tecido não é muito maleável, ele forma vincos, que impedem a passagem de oxigênio.

Claro que o jeans não precisa ser descartado. A dica aqui é optar por modelos e tamanhos mais folgados. Se puder intercalá-lo com saias, vestidos e calças de outros materiais, também ajuda bastante.

5. Favorece a evolução de celulite

Mais uma vez as calças jeans apertadas são as vilãs. Este tópico, aliás, está diretamente relacionado ao anterior: prejudicando a circulação, a celulite se fortalece.

Esses furinhos que aborrecem principalmente as mulheres são causados pelo acúmulo de gordura, água e toxinas nas células. Se houver algo mais interrompendo a circulação (no caso, o jeans apertado), a celulite ganha força e torna os tratamentos contra ela menos eficazes.

A dica aqui também segue na mesma linha do tópico anterior: varie entre um jeans mais folgado e outros modelos e materiais. Se estiver fazendo algum tipo de tratamento eficiente contra a celulite, vai perceber que os resultados aparecerão mais facilmente.

4. Material duro e pouco maleável

Por ser um material um pouco mais duro e menos maleável do que os demais tecidos, o jeans limita os nossos movimentos e pode causar dores nas costas e outros desconfortos.

Se acha que é exagero, faça um teste: num dia, vista um modelito jeans coladinho. No seguinte, use uma calça bem confortável. Quando a roupa limita os nossos movimentos, somos obrigados a forçar músculos e vértebras para realizar atividades que normalmente não exigiriam tanto esforço.

Outro tipo de desconforto bem comum acontece quando exageramos na comida e precisamos até desabotoar a calça (quem nunca?). Se o jeans estiver mais apertado na cintura, mesmo durante uma refeição normal, sem exageros, já sentimos algum incômodo.

Isso acontece porque, quando comemos, o nosso estômago dilata-se até que faça a sua parte na digestão do alimento. Se a região abdominal estiver sob pressão de roupas, os ácidos existentes no estômago, que ajudam a digerir os alimentos, sobem para o esôfago, causando azia e refluxo.

3. Depois da primeira lavagem, o jeans nunca mais será o mesmo

“Jeans nunca devem ser lavados.” Parece estranho? A orientação é do CEO da Levi’s, Chip Bergh. Segundo ele, a higienização das calças deve ser feita com um pano úmido, apenas. Bergh garante que o método higieniza a peça e é a melhor forma de manter o jeans limpo e como novo por mais tempo.

Além de preservar o material, que tende a encolher ou lassear, mudar de cor, perder a elasticidade ou sofrer outros desgastes na lavagem à máquina, o método também evita o desperdício de água, que ocorre de forma excessiva durante todo o processo de produção do jeans.

Se você é do tipo que tem necessidade de lavar as roupas da forma tradicional para sentir que elas estão realmente limpas e não cogita aderir à dica da Levi’s, mas se preocupa com o meio ambiente e também não quer estragar o tecido, lavar da forma correta e usar menos jeans pode ser a solução perfeita. Nesse caso, uma revisão da forma como higieniza as demais peças também pode ser interessante.

2. Há várias outras opções

À primeira vista, reduzir o uso de jeans pode não parecer nada fácil... mas leve em conta que essa peça coringa pode ser facilmente substituída por outras várias opções mais confortáveis, duráveis e tão bonitas quanto ela disponíveis no mercado.

Calça de alfaiataria, sarja, pantalona, pantacourts, couro, jogging, legging... essas são apenas algumas das alternativas. Abusar do uso de saias e vestidos, mesmo em dias frios (nesse caso, com meia-calça), também pode garantir estilo e versatilidade ao visual do dia a dia.

1. Conforto é a última moda

Não, não é só você! A busca por roupas confortáveis está em alta. A venda de sutiã, por exemplo, caiu (quem gosta?), enquanto o moletom vê os seus dias de glória e está virando peça obrigatória nos guarda-roupas. A verdade é que o bem-estar agora é prioridade. Na moda, isso se traduz no conforto que as roupas proporcionam.

O melhor de tudo é que não é preciso abrir mão da beleza e do estilo pelo conforto. Peças com diferentes cortes e tecidos a preços acessíveis são facilmente encontrados nas lojas. Também é possível ousar na combinação de cores e nos acessórios. Quem disse que é preciso se sacrificar para estar bonita?

Se você ficou curioso para saber mais sobre moda

Incrível.club reuniu 20 fotos de looks de passarela que provavelmente farão você esfregar os olhos para entender o que está acontecendo. Acredite, não é Photoshop: é design de “outro mundo”. Confira clicando aqui!

Você é do time 100% calça jeans ou topa o desafio de provar outros tecidos, cores e modelos? Deixe a sua opinião aqui nos comentários.

Compartilhar este artigo