Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20 Internautas compartilham momentos em que seus animais foram verdadeiros heróis

Muita gente acha que os animais são bobos, mas sabemos que não é bem por aí. Com sentidos muito mais aguçados que os nossos, eles são capazes de sentir e perceber o que não conseguimos. Além disso, são os melhores amigos que poderíamos ter, é claro.

Incrível.club, então, reuniu relatos de seus seguidores que comprovam nossa teoria: até existe vida sem a convivência diária com cães e gatos, mas ela é muito melhor com eles. Confira só!

  • Minha sobrinha caiu na piscina e o pinscher começou a correr dali até o escritório onde minha irmã trabalha (que fica na parte da frente da casa). Ela suspeitou que algo estava errado quando chegou na parte dos fundos, olhou pela janela e minha sobrinha de 3 anos estava boiando na piscina. Sim, o cachorro a salvou.
    Rosimeri Bertolini/ Facebook
  • Minha família tinha uma cadela boxer. Já estava velhinha e com câncer, então tinha dificuldade de locomoção. Uma noite, de madrugada, meu irmão acordou com ela. A cachorra o lambia e choramingava. Ele ficou surpreso por ela ter conseguido subir as escadas para chegar no quarto, no segundo andar. Há meses não conseguia mais subir a escada devido ao câncer. Ele desceu achando que ela queria sair para o pátio, mas ela correu para o banheiro. Minha avó estava caída no chão. Tinha tido um AVC. O médico disse que ela só sobreviveu porque o socorro foi rápido. Algumas semanas depois, nossa cadela heroína partiu para o céu dos cachorrinhos. Gisele Picada/ Facebook
  • Eu já acordei de madrugada com um gato em cima de mim brigando com uma cobra coral. O gato salvou minha vida. Eu inicialmente nem me dei conta da serpente. Mas, rapidamente, joguei no chão o lençol com o qual me cobria, e foi quando percebi a cobra. O gato, bravamente, continuou a enfrentá-la até que conseguiu matar e comer. Esse acontecido foi em Cabeceiras do Paraguaçu, Bahia, terra do poeta Castro Alves, no ano de 1997. Hércules Alexandre/ Facebook

  • Certa vez meu gato ficou miando na porta do quarto e não atendemos ele. Mas ele foi até a janela e minha esposa abriu. Depois, foi até a porta pedindo para sair. Quando saiu, foi em direção à minha filha e tinha uma cobra aos pés da cama dela. Até hoje sou agradecido ao meu gato. João Paulo Freiberger/ Facebook
  • Uma vez, meu esposo tirou o celular do carregador e deixou o fio sobre a cama. Minha bebê, que, na época, tinha entre 4 e 5 meses, pegou o fio para colocar na boca. Não sei como, mas meus gatos estavam próximos e puxaram a caixinha do carregador da tomada evitando que ela tomasse um choque. Depois do susto, briguei com meu esposo por causa do fio em cima da cama. Sharon Carvalho/ Facebook
  • Estávamos limpando o pátio de casa, meu gato subiu em uma das janelas e começou a miar intensamente. A princípio, achamos que era bobagem, só manha dele. Quando entramos na casa, estava toda alagada por causa da mangueira da máquina de lavar que se soltou. Não foi fácil enxugar tudo. Se tivéssemos corrido para ver assim que o nosso gato começou a miar, teria sido menos trabalhoso. Amo meus lindos. Cintia Teixeira/ Facebook

  • Sempre amei e criei gatos. Meu marido gosta, mas não tanto quanto eu. Temos duas gatas. Um dia, uma delas estava para lá e para cá nos pés do meu marido. Ele se irritou e a espantou, mas ela continuou por ali. Quando eu olhei, havia um escorpião bem próximo dele e a gata estava espantando o animal. Quando o avisei, ele imediatamente levantou e matou o bicho. Depois disso, sempre ficamos atentos aos movimentos das gatas e ao que elas observam.
    Analia Joane/ Facebook
  • Realmente esses bichinhos são nossos guardas fiéis. Me lembro muito bem: quando eu era criança tinha um cachorro, Masaroppi era seu nome. Uma noite, meu pai estava viajando, pois era motorista de turismo. Por volta de meia noite, estávamos deitadas eu, minha mãe e minha irmã. Masaroppi começou a correr na porta, latindo e arranhando. Corria de volta para a estrebaria das vacas, voltava, arranhava a porta, latia e corria de volta para estrebaria. Minha mãe, de quem até hoje admiro a coragem, pegou o facão e a lanterna e nos levou para a estrebaria. Tinha uma jararaca enorme. Minha mãe a matou. Essa cena foi inesquecível para mim. Meses depois, meu amigo fiel foi atropelado por um ônibus e morreu. Me deu até febre de tanta saudade dele. Aline Zanoni/ Facebook
  • Minha casa estava com vazamento de gás. O gato, então, começou a arranhar a porta do quarto e a miar desesperado. Minha irmã resolveu levantar para ver o que o gatinho queria e era justamente por causa do vazamento de gás. No dia seguinte, ele ficou colocando o focinho no botijão de gás com curiosidade, sabe? Neide Santos/ Facebook
  • Meu cachorro, que era mistura de poodle, salvou eu e uma amiga do ataque de dois pitbulls. Ele se jogou na frente deles no momento em que iam nos atacar. Ficou todo ferido, precisou levar vários pontos, e só sobreviveu porque os donos dos animais chegaram a tempo. Hoje, ele já morreu, mas sempre me lembro dele com muito carinho. Josiane Hernandes Escoura/ Facebook
  • Quando era pequena, tive um cachorro que me levava para a escola todos os dias com a minha vó. Quando eu pegava o ônibus, ele continuava ali até minha vó voltar e ir para casa com ele. Todos os dias eram assim, ida e volta. Um dia, minha vó demorou para voltar, pois tinha que resolver umas coisas. Ele foi para casa e, não sei como, voltou para o ponto do ônibus no exato momento em que ela desceu. Quando ela ia subir a rua, como de costume, ele se deitou no chão e fingiu que estava morto. Minha vó entrou em desespero tentando acudi-lo. Depois de alguns minutos, levantou como quem não quer nada e continuou andando. Depois, ela descobriu que estavam fazendo arrastão na rua e levando coisas de todos que passavam por ali. Ela tinha acabado de voltar do banco com pagamento. Meu Tom. Thalia Cristinielle/ Facebook

  • Minha família sempre teve pastor alemão. Quando meu irmão mais velho tinha quase 2 anos, se sentou num formigueiro (daqueles de formigas gigantes). Foi severamente picado e ficou todo inchado. Um dos pastores, o Argos, saiu correndo e foi para cima do meu irmão. Todo mundo achava que ele iria morder o bebê, ninguém tinha reparado que a criança tinha se sentado num formigueiro. Argos pegou meu irmão pela gola e o arrastou até perto da minha mãe, que estava correndo na direção. O cachorro salvou a vida dele. Tamy Graciano/ Facebook
  • Uma vez, fiquei presa do lado de fora à noite sem chave. Meu irmão estava dentro de casa dormindo e não escutou que eu estava batendo na porta. Meu gato toda hora vinha e miava na porta pelo lado de dentro, voltava, miava de novo, e sumia. Depois de 20 minutos, meu irmão abriu a porta. Ele contou que o gato ia à cama dele, miava, e voltava para a porta. Acabou acordando e o gato o levou para abrir a porta. Ana Carolina Souza Rocha/ Facebook
  • Sou surda. Uma vez, estava sozinha em casa e fui dormir no meu quarto. Tinha um pessoal na frente do portão. Tocavam companhia toda hora e eu não escutava nada. Minha cachorrinha pinscher subiu até o meu quarto e começou a lamber minha mão — acordei na hora. Detalhe: ela nunca subiu até o meu quarto antes, fiquei impressionada quando ela me chamou. Ela sabe que sou surda, eles sentem. Débora Kloch/ Facebook
  • Há cerca de três anos, estávamos orando antes da refeição de Natal quando as cachorras começaram a latir desesperadamente em direção aos enfeites do quintal. Quando fomos conferir, a vela da decoração havia caído e iniciado um incêndio. Pegamos no começo e não houve prejuízos, mas se elas não tivessem avisado e demorássemos mais alguns minutos, provavelmente algo pior teria acontecido. Talyta Finoti/ Facebook
  • Quando eu era bebê, em um pequeno descuido da minha mãe, fui engatinhando da casa até o portão que estava aberto. Fui impedido de chegar à rua pela cachorrinha da minha mãe, que ficou me puxando pela fralda. Minha mãe conta que a cachorrinha latia de um jeito muito diferente e foi verificar o que estava acontecendo, então me encontrou na “tentativa de fuga”. William Paulo de Oliveira/ Facebook

  • Adotei um gato. Ele nasceu e foi criado na rua. Um dia, estava assistindo à TV à tarde, ele entrou assustado e miando muito. Meu bichano não é assim, então, achei que estava doido. Foi até o quarto, voltou miando muito e saiu para o quintal. Fui atrás dele e, escondido atrás da casa, tinha um homem. Comecei a gritar por socorro, ele pulou o muro e fugiu. Se não fosse o meu gato, não sei o que teria acontecido. Marta Celia/ Facebook
  • Quando era bebê, minha mãe me colocava no carrinho no quintal do sítio para tomar sol. Uma vez, os arames que dividiam o curral e a área da casa caíram/arrebentaram e as vacas correram assustadas rumo ao quintal — justamente na minha hora de banho de sol! O cachorro, chamado Jow, preto e grandão, correu em minha direção e ficou na minha frente latindo e afastando as vacas para impedir que elas me esmagassem! Minha mãe conta essa história sempre. Ela não gostava muito do Jow antes do ocorrido; depois, passou a ser “Deus no céu e Jow na terra”! Hehe sofremos muito quando ele morreu, bem velhinho! Carol Lagamba/ Facebook
  • Eu trabalhava em um shopping e saía às 22h. Sempre chegava de ônibus no meu bairro quase às 23h. Nesse dia, estava esperando meu namorado no ponto de ônibus (que era meio deserto) e tinha uma cachorrinha “vira-lata” deitada perto de mim. Quando eu menos esperava, chegou um homem embriagado tentando me agarrar. A cachorrinha atacou e mordeu ele todo. Ele fugiu e ela ficou do meu lado; poucos minutos depois, meu namorado chegou. Pensei que ela o atacaria também, mas nada aconteceu. Ela nos acompanhou até em casa. Dei comida, água e ela foi embora. Nunca mais a vi. Ela me salvou, Deus a colocou ali. Camila Farias/ Facebook

  • Meu gato também me salvou. Acordei com ele subindo em cima do meu peito. Olhava para mim e para a cabeceira da cama várias vezes miando. Quando olhei, tinha uma aranha caranguejeira enorme. Cães e gatos são anjos em nossas vidas. Lilian Torres/ Facebook

O que achou dos relatos? Você passou por alguma situação parecida? Compartilhe conosco nos comentários 😉

Compartilhar este artigo