Incrível

Uma história emocionante de que não se pode julgar as pessoas pela aparência

Nós até podemos dizer que não prestamos a menor atenção à aparência das pessoas. Mas ainda assim tiramos conclusões precipitadas sobre desconhecidos. Às vezes, atrás de um “invólucro” brilhante não há nem mesmo uma alma, e atrás de uma “embalagem fosca” se esconde uma pessoa com coração grande e alma nobre. É essa a ideia principal do conto “Alimentando um mendigo”, do roteirista e diretor Mikhail Fatakhov.

Nós do Incrível.club repensamos muita coisa depois de ler essa história, e esperamos que ela desperte as mesmas emoções em nossos leitores.

Estava no trem na linha Moscou — Petushki. Na estação Kurskaya, entrou um mendigo. Deu para ver que estava bêbado, pois estava com o rosto completamente inchado. Aparentava ter cerca de trinta anos.

Olhando para todos, ele começou a falar:

— Queridos passageiros, não como há três dias. Sério. Eu tenho medo até de roubar, porque não tenho forças para fugir. Mas estou com muita fome. Vocês poderiam me dar algo? O quanto puderem! Não olhem para o meu rosto, estou bêbado. E acho que vou gastar tudo que vocês me derem para comprar mais uma garrafa! — E foi passando pelo trem.

Nosso povo é gentil, porque não levou muito tempo para o mendigo ter quinhentos rublos na mão.

No último vagão o mendigo parou, olhou para os passageiros e curvou-se diante de todos.

— Obrigado, queridos passageiros. Que Deus esteja sempre com vocês!

De repente, um homem sentado perto da última janela, com um ar muito irritado, começou a gritar:

— Como pode? Pedindo esmola! Pedindo dinheiro. Talvez eu não tenha como alimentar minha família. Talvez eu tenha sido demitido há três dias. Mas não peço dinheiro como você.

Uma história emocionante de que não se pode julgar as pessoas pela aparência

De repente, o mendigo tirou dos seus bolsos tudo que tinha, provavelmente dois mil rublos em notas e moedas, e ofereceu ao homem.

— Tome meu dinheiro. Você precisa dele mais do que eu.

— O quê? — o homem ficou chocado.

— Tome! Você precisa! Eu vou pedir mais depois. As pessoas são gentis! — Ele colocou o dinheiro nas mãos do homem, virou as costas e foi embora.

— Ei, pare! — O homem levantou e correu atrás do mendigo com o dinheiro nas mãos.

Todo o vagão ficou em silêncio, sem discutir. Durante cinco minutos todos nós escutávamos atentamente o diálogo deles. O homem gritava que todas as pessoas são piores que lixo. O mendigo afirmava que todos são gentis e queridos. O homem tentava devolver o dinheiro, mas o mendigo recusava-se a recebê-lo de volta. No final, o mendigo foi embora, e o homem ficou sozinho e acendeu um cigarro.

O trem parou em mais uma estação. Passageiros saíram e entraram.

Ao terminar de fumar, o homem voltou para o seu assento perto da janela.

Ninguém mais olhou para ele. Todos estavam pensando em seus próprios problemas.

Às vezes, o trem parava. Alguém saía, alguém entrava.

Fizemos cerca de cinco paradas. Finalmente, o trem chegou na minha estação. Eu me levantei e fui até a saída.

Quando passei pelo homem, dei uma olhada nele. O homem estava olhando para a janela e chorando.

Uma história emocionante de que não se pode julgar as pessoas pela aparência

E você, já conheceu alguém que era diferente do que aparentava? Conte para nós.

Ilustrado por Alena Tsarkova exclusivo para Incrível.club