Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Um relato comovente que não podemos deixar de ler

----
146

"Fui à praia com os meus filhos e ela estava lá, com seus amigos. Pensei em muitas coisas ao vê-la. Talvez eu me visse nela anos atrás, quando o bombardeio de exigências do tipo 'você precisa ter e ser aceita' nos machuca mais. Gostaria de falar para ela: 'Acredite em mim, você é perfeita'. Não sei se ela acreditaria em mim...".

Hoje, convidamos você a refletir um pouco sobre este texto de Jessica Gómez e a maneira como pode mudar a nossa forma de ver o mundo.

Querida garota do maiô verde, Sou a mulher que está deitada na toalha ao seu lado. A que veio com um filho e uma filha. Primeiramente, quero apenas dizer que é ótimo estar com você e com o seu grupo de amigos durante este curto espaço de tempo em que nossos espaços se misturam às suas risadas e conversas 'transcendentais'. E como a música que vocês ouvem invade todo o ar que nos cerca. Sabe de uma coisa, fiquei impressionada ao perceber que não sei em que momento de minha vida eu passei para o lado de cá, de garota para 'a senhora ao lado', da que estava com amigos para aquela que está com os filhos. Mas eu não te escrevo por isso. Escrevo porque quero comentar que te observei. Eu olhei para você e não pude deixar de te ver. Vi como você foi a última em tirar a roupa. Vi como você se colocou atrás de todo o grupo, dissimuladamente, e tirou a camiseta quando achava que ninguém estava te olhando. Mas eu te vi. Não te encarava, mas te vi. Vi como você se sentou na toalha cuidadosamente, tapando o seu corpo com os braços. Vi como você colocou o cabelo atrás da orelha agachando a cabeça para não sair da estudada posição 'casual' em que se encontrava. Vi como você se levantou para ir nadar e prendeu a respiração enquanto esperava, nervosa, a sua amiga. Vi como você se sentiu exposta e tapou mais uma vez o corpo para esconder as estrias, a flacidez, a celulite. Vi como você ficou angustiada por sentir que não conseguia tapar tudo o que queria esconder, enquanto se distanciava do grupo, dissimuladamente, como antes. Não sei se a maneira como a sua amiga soltou o enorme cabelo influenciou o seu comportamento. Não sei se o ondulado do cabelo dela, que mais parecia uma modelo da Victoria’s Secret (sem as asas, claro) te deixou mais nervosa. Enquanto isso, você lá, encarando o chão, procurando um esconderijo em você mesma. De você mesma. Gostaria de poder te dizer tantas coisas, querida garota do maiô verde... Talvez porque eu, antes de ser a mulher com os filhos, estive aí, sentada na mesma toalha, encolhida da mesma forma. Gostaria de poder dizer que, na realidade, estive na sua toalha e na toalha da sua miga. Fui você e fui ela. E, agora, não sou nenhuma das duas - ou talvez seja ambas. Portanto, se pudesse voltar atrás, escolheria apenas o sossego. Não me preocuparia em que toalha eu preferiria estar. Gostaria de te dizer que o seu sorriso é lindo, e que é uma pena que você esteja tão ocupada em se esconder ao invés de sorrir. Gostaria de dizer que este corpo que te dá vergonha é maravilhoso porque é jovem. Não, estou errada. É maravilhoso porque está vivo. Porque carrega e transporta quem você realmente é. Adoraria te dizer que seria ótimo que você se visse com os olhos de uma mulher com mais de trinta anos, porque talvez você pudesse perceber como você merece ser amada, até mesmo e principalmente por você mesma. Adoraria te dizer que o seu grande amor não vai te amar apesar do seu corpo, mas por causa dele. Cada curva, cada linha, cada pinta. A pessoa vai amar o mapa único e maravilhoso que o seu corpo irá desenhar. E, se não o fizer, não merece o seu amor. Queria poder te dizer que - acredite em mim! - que você é perfeita do jeito que é. Sublime na sua mais linda imperfeição. Mas quem sou eu para dizer alguma coisa? Apenas a mulher sentada ao lado. Acontece que eu vim com a minha filha. A de maiô rosa que está nadando cheia de areia no corpo. Hoje, a única preocupação dela era se a água estaria muito fria. Eu não posso te falar nada, querida garota do maiô verde.. Mas para ela eu vou dizer tudo isso. TUDO! E tudo isso eu vou dizer ao meu filho também. Porque é assim que merecemos ser amados. E é assim que deveríamos amar.
Tradução e adaptação Incrível.club
Imagem de capa DEPOSITPHOTOS
----
146