Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Por que Elizabeth II escolheu o príncipe mais pobre de toda Europa

----
10k

O príncipe Philip, duque de Edimburgo, permanece constantemente à sombra de sua grande consorte, Elizabeth II. É impossível lembrar como ele era antes de conhecer a rainha: o casal vive em amor e harmonia há mais de 70 anos. No entanto, a vida do príncipe foi cheia de eventos que seriam suficientes para uma dúzia de filmes ou romances de aventura.

Incrível.club decidiu descobrir como é o príncipe Philip. Até o próprio Indiana Jones teria invejado sua biografia. No final do post, um bônus o espera com uma dose de humor do duque de Edimburgo.

A história de um príncipe sem país

Philip Mountbatten nasceu na ilha de Corfu, na Grécia, em 1921. Sua família pertencia ao clã real. No entanto, ele não tinha direito ao trono: seu pai era o sexto filho da dinastia greco-dinamarquesa, de modo que o filho obteve apenas o título de príncipe da Grécia e Dinamarca. Quem teria pensado então que o menino ia se tornar um membro da dinastia mais poderosa do outro lado da Europa?

Em 1922, os gregos derrubaram o rei e todos os membros do clã real decidiram fugir do país. Os pais levaram Philip e suas irmãs secretamente: os berços estavam escondidos em caixas de frutas. Assim começaram as aventuras do pequeno príncipe.

A família sem um lar foi recebida por um parente de Paris. Mas Philip não ficou na França por muito tempo. Com a separação de seus pais, seu progenitor foi para Monte Carlo, onde começou a gastar o que havia sobrado da herança familiar. E a mãe, a princesa Alicia, não suportou a vergonha: foi diagnosticada com esquizofrenia e internada. As crianças tiveram que viajar para a Inglaterra, onde foram gentilmente recebidas na casa de parentes.

As irmãs ficaram na casa dos parentes e Philip foi matriculado em um internato em Londres. Era uma instituição espartana para as crianças: os alunos se levantavam antes do amanhecer, praticavam muitos esportes e eram punidos pelas travessuras.

O que fazer se a futura rainha se apaixona por você?

Philip mal tinha um futuro na Inglaterra sem dinheiro, então decidiu fazer a carreira militar e, em 1939, o futuro marido da rainha entrou no Colégio Naval e até recebeu o título de melhor cadete. Mas, fora da universidade, ele tinha fama de mulherengo e amante de festas barulhentas.

Dizem que reis e rainhas não podem escolher seus parceiros. No entanto, Elizabeth, que ainda era criança, viu Philip em um casamento e decidiu se casar com ele. Lillibet (como seus pais a chamavam) tinha 13 anos e Philip havia completado 18 anos.

As pessoas que conhecem bem a rainha dizem que Elizabeth II tem um caráter de aço e, se decide algo, então nada mudará sua opinião. É desnecessário dizer que os pais de Lillibet não ficaram entusiasmados com o primeiro amor de sua filha. Um príncipe pobre, sem um sobrenome (o título foi removido após sua fuga da Grécia), com um pai vagabundo e uma mãe doente. Parece que era impossível encontrar um marido pior para a futura rainha.

Quando a Segunda Guerra Mundial começou, Philip foi um dos primeiros a ir para a frente de batalha: ele participou de combates, saltou de paraquedas na Sicília e recebeu várias condecorações militares. Durante o serviço militar, Philip e Elizabeth não se encontraram, mas se correspondiam. Os namorados trocavam cartas em segredo para não incomodar os pais dela.

No final da guerra, ele poderia ostentar o título de oficial mais jovem da Marinha Real Britânica. Retornou à Inglaterra como um herói, formou-se na faculdade e em 1946 dirigiu-se ao rei George VI para pedir a mão de Elizabeth.

Para se casar com a futura rainha, Philip renunciou a todos os seus títulos e tomou o sobrenome de sua mãe, Mountbatten. Ele também mudou de religião: nasceu na Grécia e era ortodoxo. O rei concedeu a Philip Mountbatten o título de duque de Edimburgo. Só então, quando todas as formalidades foram organizadas e o jovem teve todos as honras necessárias para se casar com uma pessoa da realeza, foi possível celebrar o casamento.

No entanto, quando se casou, a conta bancária de Philip estava quase vazia: para dar um presente à noiva, ele teve que remover os diamantes de uma tiara de sua mãe para fazer um bracelete. E como outro presente de casamento para Lillibet, o príncipe parou de fumar, conforme o pedido de sua jovem esposa.

A cerimônia de casamento foi transmitida pela estação de rádio da BBC, já que as televisões na Europa do pós-guerra eram escassas. Assim, 200 milhões de pessoas em todo o mundo ouviram os recém-casados ​​fazerem os votos matrimoniais na Abadia de Westminster.

Da parte do noivo, poucos convidados compareceram. E tudo porque as irmãs dele eram casadas com os aristocratas alemães que apoiavam os nazistas. Tais parentes colocavam em risco a reputação dos monarcas britânicos.

Quatro anos após o casamento, o rei da Inglaterra faleceu e Elizabeth ascendeu ao trono. Philip novamente jurou fidelidade à sua esposa, desta vez como sua rainha.

“Eu, Philip, duque de Edimburgo, serei seu vassalo e devoto dedicado. E a fé e a verdade me conduzirão a você, na vida e na morte, que Deus me ajude.”

No entanto, Elizabeth voltou a tomar uma decisão, como sempre, pela vida: ela reina no trono e Philip na família. O príncipe tinha a última palavra quando se tratava de questões do lar e da criação dos filhos. O casamento deles quebrou todos os recordes, mesmo entre famílias conservadoras reais: o casal vive junto há 72 anos.

Eles criaram quatro filhos — Charles, príncipe de Gales; a princesa Anne; o príncipe Andrew, duque de York; e o príncipe Edward, conde de Wessex — e têm 6 netos e 4 bisnetos.

O príncipe Philip tem muitas conquistas desconhecidas pela maioria das pessoas

  • Estamos acostumados a que o príncipe Philip tenha se tornado a sombra de sua esposa carismática: ele a acompanhou em todas as suas viagens (no total são 251).
  • Philip pilotou quase todos os tipos de aeronaves e helicópteros que lhe estavam disponíveis (e para monarcas quase tudo está), acumulando mais de 5 mil horas de voo.
  • O príncipe consorte foi o primeiro membro da família real que decidiu embarcar em uma volta ao mundo. Também concedeu a primeira entrevista para a televisão em 1961. Hoje, todos dão entrevistas, mas naquela época foi um milagre que o príncipe tenha respondido às perguntas de um jornalista.
  • Ele escreveu vários livros sobre ecologia, animais e criação de cavalos, visitou 18 mil eventos oficiais e fez mil discursos. Além disso, é membro honorário de 780 organizações diferentes: de esportes a instituições de caridade.
  • Todas essas recepções, viagens e reuniões fazem parte de seu trabalho. Os membros da família real não podem se atrasar. Oficialmente, Philip e outros membros da dinastia recebem um pagamento por isso. No entanto, de acordo com as rígidas leis britânicas, a maior parte deste dinheiro é consumida pelos impostos.
  • O príncipe continua em grande forma: em 2008 ele pediu ao alfaiate da corte para arrumar as calças que usou por 52 anos, porque “havia engordado um pouco”. Então, Philip vestiu as calças com mais de meio século e se dirigiu à recepção real.
  • Na tranquila ilha de Tana, Philip é considerado uma divindade. De acordo com as antigas lendas dos nativos, o filho de um espírito da montanha irá um dia para terras distantes, se casará com uma mulher digna e retornará à sua terra natal. A propósito, o príncipe visitou a ilha e foi fotografado com os aborígenes.
  • Philip é a única pessoa no mundo que pode chamar a rainha de mon petit chou (“meu docinho”, em francês).
  • O príncipe adora dirigir. É verdade que, no início de 2019, ele teve que renunciar à sua carteira de motorista, porque provocou um acidente de carro e agora só anda como passageiro.
  • No dia 10 de junho de 2019, Philip completou 98 anos. Ele se aposentou há anos e passa muito tempo na fazenda da família. Em uma entrevista, declarou que nunca quis viver até os 100: “Eu não consigo imaginar nada pior, já estou desmoronando”.

Bônus: também é dono de um grande senso de humor

O príncipe Philip tem um senso de humor muito peculiar, por isso geralmente protagoniza situações muito engraçadas. Apesar da pompa britânica, sempre diz o que pensa. Nós compilamos algumas das frases mais engenhosas do Duque de Edimburgo.

  • “Nunca como comida caseira, tudo o que tenho são coisas elegantes”.
  • Sobre o projeto de proteção aos pombos selvagens: “Os gatos matam muito mais as aves do que pessoas. Por que não adotam o slogan ’matar gatos salva os pássaros?’”
  • “As crianças vão à escola porque seus pais não querem vê-los em casa”.
  • Sobre a paixão de sua filha por cavalos: “Se não soltam gases ou comem feno, ela não se importa”.
  • “Quando um homem abre a porta do carro para sua esposa, ou trata-se de um carro novo ou de uma esposa nova.”
  • Para Elton John sobre o seu Aston Martin dourado: “Oh, é você quem tem o carro que assusta, não é?”
  • Ele pediu a atriz Cate Blanchett para ajudá-lo com seu aparelho de DVD: “Ouvi dizer que você é atriz, me deram um DVD neste Natal e eu não sei como funciona, não sei se tenho que ligar o cabo verde ou o vermelho”.
  • Durante uma visita ao East End, ele perguntou a um cobrador de dívidas profissional: “Você ainda tem amigos?”

Você sabia que o marido de Elizabeth II era uma pessoa tão versátil? Talvez esteja surpreso, assim como nós, pela brilhante biografia do príncipe?

----
10k